Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

O MARKETING ESPORTIVO NO BRASIL - FALTA DE VISÃO?

O esporte é uma das grandes paixões de milhares de pessoas em todo o mundo e desperta o interesse de vários segmentos do mercado.

O esporte envolve mídia e é visto pelo "consumidor" como uma ferramenta de entretenimento, saúde e lazer. Por esta visibilidade, empresas querem utilizar o esporte como veículo de comunicação entre a empresa e o consumidor de seus produtos: torcedor, telespectador, esportistas, leitores e afins.

Infelizmente no mercado brasileiro de Marketing esportivo a maioria das empresas tem "receio" de investir neste tal segmento, por medo de ter a marca associada a polêmicas, pela falta de conhecimento de seus profissionais de marketing e desinteresse em disponibilizar uma parte do seu poder publicitário ao esporte. Sendo assim essas empresas apoaim-se apenas em esportes que já estão no topo.

"Onde está então o empreendedorismo e de fato o profissional que tem a capacidade criar oportunidades e não apenas de apoiar-se nelas?"

Temos uma série de clubes e atletas no Brasil que estão em busca de algum patrocínio, como exemplo do Botafogo F.R. no estado do Rio de Janeiro.

O Clube começou uma "nova era", uma reestruturação a sete meses e já colhe os frutos de tal empenho conforme entrevista publicada no próprio site do Botafogo, onde Miguel Ângelo da Luz - Diretor de Esportes Olímpicos quando foi perguntado sobre a evolução do Clube respondeu:

"Evolução do clube:
“Estamos brigando pelas primeiras posições em todos os esportes que disputamos e em quase todas as modalidades. Nos campeonatos estaduais em todas as categorias, estamos brigando pelo título. Além disso, já conquistamos um Carioca sub-21 de polo aquático e fomos vice no Troféu Brasil. Vamos agora disputar o Sul-Americano de basquete nas categorias de base e podemos conquistar esse título importante tanto no feminino, onde somos tricampeões, quanto no masculino. A natação tem ganho tudo no Infantil e já melhorou o desempenho no mirim e petiz. Só não temos a melhor equipe no júnior, em todas as outras, inclusive o sênior, ganhamos tudo no estadual e tivemos bom desempenho no Maria Lenk. Todos os esportes estão bem, mas os aquáticos, sediados no Mourisco Mar, estão realmente de parabéns, não tenho do que reclamar”."

O Clube também tem projetos para o futuro mas esbarra na questão: PATROCÍNIO.
Estudos comprovam que o Marketing Esportivo é uma ótima plataforma para alcançar o público e proporciona um ótimo retorno aos seus investidores além de rejuvenescer e dar prestígio a imagem corporativa.
Conforme matéria publicada no site do IBME ( Institudo Brasileiro de Marketinhg Esportivo) referente ao rejuvenescimento provocado pelo MKT Esportivo: "Um dos grandes institutos de pesquisa do mercado e opinião pública realizou um estudo sobre a eficiência do patrocínio esportivo no Brasil e neste estudo a maioria dos entrevistados (63%) reconhece a importância do Marketing Esportivo e não a vê como desperdício de verba de marketing pelas companhias."
Então o que falta para este tipo de investimento no Brasil? Profissionais com capacidade de criar oportunidades e não apenas de apoiar-se nelas? Ou empresas mais informadas e com espírito empreendedor?
CONCLUSÃO: O marketing esportivo no Brasil é um enorme bolo que tem fatias saborosas que podem ser deliciadas pelas empresas. Cabe a estas empresas abrir os olhos pois muitas oportunidades são buscadas por elas e seus "limitados" profissionais do marketing no horizonte, enquanto se estas empresas olhassem para os lados, veriam uma série de possibilidades para seu crescimento e investimento.

Por Eduardo Duarte de Pontes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…