Pular para o conteúdo principal

BRASIL PODE PERDER COPA DE 2014 SEM NEM JOGAR - DEFICIÊNCIA DE PLANEJAMENTO

22Rio de Janeiro, 31 de maio de 2010.

O Brasil pode perder a Copa do Mundo de 2014 sem jogar uma única partida!!!! Parece brincadeira de mau gosto, mas na verdade este é um pensamento que preocupa muitos brasileiros e muitas pessoas do meio esportivo nacional e internacional.
O Brasil já deveria ter começado as obras para um dos mais esperados eventos que serão realizados no país: A COPA DO MUNDO.

As obras estão atrasadas e as alfinetadas da FIFA tem sido constantes, e com razão: "O país do futebol mostra ao mundo "sua outra face", a de país desorganizado".

Um evento deste porte e desta importância devia estar sendo levado a serio. Suas obras já deveriam estar bem adiantadas afinal não dá para esperar começar 2011 para se fazer algo.  Além disso, todos os campos do mercado de trabalho nacional serão beneficiados gerando emprego e renda em todo o país.

Não queremos ver correria para finalização das obras e muito menos a imagem do Brasil sendo "torrada" em todo o mundo pois o atraso e outros problemas que podem vir a acontecer vão prejudicar o país na tentativa de sediar outros eventos no futuro.

Queremos cada vez mais títulos para o País do futebol ,mas definitivamente, não queremos o rótulo de País desorganizado.


INSTALAÇÕES ESPORTIVAS 2014 e 2016
O BRASIL NÃO DEVE PENSAR APENAS NO AGORA


Outro aspecto preocupante da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016 são as instalações esportivas que serão construídas. A preocupação não é pelo atraso em obras comentado anteriormente, mas sim na visão que se deve ter destas instalações.

O governo Brasileiro deve pensar no que as construções vão gerar antes dos eventos e no que poderão gerar após os eventos para que não tenhamos "elefantes brancos", estruturas inutilizadas e esquecidas à exemplo de tudo que foi construído para os Jogos Panamericanos realizados no Rio de Janeiro em 2007.

As obras devem gerar emprego até a finalização das obras, mas os estádios e instalações esportivas no geral devem ter planos pós-eventos. Este tipo de planejamento pode E DEVE trazer ao país inclusão social e oportunidades de empregos também depois da Copa ou da Olimpíada.

Um legado deve ser deixado, o povo deve ser beneficiado e todo o desporto Brasileiro deve ser "reformulado". 

O Brasil tem tudo para se tornar uma potência esportiva, o que falta é investimento e vontade para que isso aconteça. Infelizmente o que se vê é apenas politicagem: Prefeitos, vereadores, governadores e partidos políticos se gabando pela conquista de eventos esportivos e empregos gerados durante as obras, mas o que se vê depois é o abandono e o descaso.

Um exemplo de como estruturas não são utilizadas como deveria, são os CENTROS ESPORTIVOS e também AS OBRAS DO PAN 2007. 

Os Centros Esportivos recebem milhares de crianças mensalmente deveriam ser o berço de atletas de alto rendimento, promessas de títulos e de um belo futuro esportivo para o país, porém só vemos abandono e más condições. O legado do PAN 2007 também não é muito diferente: Velódromo, Parque Aquático Maria Lenk, Polo de tiro de Deodoro - instalações inutilizadas e que poderiam ser centros de treinamento e aperfeiçoamento de atletas. POUCOS BENEFÍCIOS FORAM TRAZIDOS.

Maria Lenk, Velódromo e Arena da Barra

É, o Brasil perde a oportunidade de melhorar através dos eventos esportivos. 

No PAN foi assim e o caminho se mostra o mesmo para 2014 e 2016. Atrasos nas obras, promessas para ludibriar o povo, sem soluções para problemas como falta de segurança, transporte deficiente e poluição, em especial a da Baía de Guanabara e lagoa da Barra, e a certeza do tamanho DA FALTA DE PLANEJAMENTO que vivemos hoje no Brasil.


Eduardo Pontes.

Comentários