Translate

domingo, 24 de outubro de 2010

ERRAR É HUMANO, MAS ERRAR A MAIORIA DOS FUNDAMENTOS DA PROFISSÃO É DISPLICÊNCIA

É triste você assistir a um jogo de futebol onde os fundamentos básicos do esporte parecem ter sido esquecidos pela maioria dos atletas em campo.

Quando o jogador erra um ou outro passe ou finalização, quando é algo esporádico, se torna aceitável, porém assistir um profissional do esporte que ganha R$50.0000, R$90.000 ou R$500.000 errando o básico da sua profissão e demonstrando falta de domínio de tais fundamentos, isso se torna INACEITÁVEL.

Cito como exemplos a partida do campeonato brasileiro entre Botafogo x Vitória deste sábado (23/10) e também a partida do campeonato italiano entre Parma x Roma neste domingo (24/10). Jogos que foram marcados pelo grande número de passes errados, domínios de bola, finalizações, cruzamentos e outros fundamentos mal executados.

Um dos defeitos de muitos jogadores profissionais é achar que não necessitam continuar treinando os fundamentos da sua atividade profissional. É visível que os atletas que se destacam são aqueles que procuram aprimorar suas valências.

Zico não foi um exímio cobrador de falta sem treinar. Romário não foi o rei da grande área sem saber onde e como bater na bola. - Um jogador de basquete não será bom finalizador da linha de 3 pontos sem treinar este fundamento, assim como um nadador não diminuirá seus tempos se não aprimorar os detalhes dos fundamentos do seu nado.

Isso chama-se TREINO. 

Não só o clube deve cobrar isso de seus jogadores, como os próprios jogadores precisam se cobrar quanto a isso.

O treino leva o jogador a aprimorar sua técnica, em qualquer esporte. Mas vamos nos ater ao desporto futebol!

Os clubes precisam colocar em cláusula contratual que o jogador precisa demonstrar qualidade nos seus fundamentos. Caso não demonstre, terá redução salarial! 

O triste é que muitos jogadores não irão concordar com esta cláusula, porém dominar os fundamentos é simplesmente a OBRIGAÇÃO destes "profissionais" que muitas vezes apresentam um futebol com qualidade muito inferior a muitos atletas de futebol "amador" do nosso país.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A FÓRMULA PARA O SUCESSO: ACREDITAR EM SI MESMO

"Muitas dificuldades ocorrem no dia a dia, mas a força de vontade e acreditar em si mesmo quando lhe dizem o contrário são parte da fórmula de obter sucesso em todos os campos da vida!"


As pessoas precisam confiar mais em si mesmas e em suas idéias: EU QUERO, EU POSSO e EU CONSIGO!!! Se acreditarem nisso, nada lhes parará.

Como dizia Albert Einstein: "O único homem que está isento de erros, é aquele que não arrisca acertar."

Ou ainda como Theodore Roosevelt costumava dizer: "É muito melhor arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se a derrota, do que formar fila com os pobres de espírito que nem gozam muito nem sofrem muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta que não conhece vitória nem derrota."

O que procuro dizer é que seja no esporte, no marketing, no empreendedorismo ou na vida é necessário arriscar para alcançar objetivos e sonhos.

Pessoas têm medo de errar, mas esquecem que até nos erros existe aprendizado. Os erros foram feitos não para que desanimemos e sim para que obtenhamos sucesso na próxima tentativa.

Imaginem se as pessoas que obtiveram sucesso desistissem na primeira tentativa. Nada se realizaria!!!

As pessoas que chegaram a algum lugar, que obtiveram sucesso, tiveram uma série de insucessos, de erros... Pessoas torcendo contra, dizendo que não daria certo, que não conseguiriam. Mas eles foram em frente, ergueram suas cabeças e no fim puderam olhar para trás, para as dificuldades e pessoas que lhes depreciaram e orgulhar-se de dizer: EU CONSEGUI!

EU QUERO, EU POSSO e EU CONSIGO!!! Se acreditarem nisso, nada lhes parará.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Poker/PEC perde para Carlos Barbosa mas sai com espírito de dever cumprido

O time de Petrópolis encarou o Carlos Barbosa e acabou derrotado por 6 x 3, com 3 gols do monstro Vander "Magic" Carioca.

Apesar do placar adverso que tirou o Petrópolis dos playoffs a equipe se mostrou aguerrida até o fim, como sempre. O time de Guerreiros mais uma vez em quadra!

Mas não quero falar do resultado em si. Quero ressaltar a qualidade da equipe petropolitana que em todas as partidas se mostrou guerreira e mesmo com todas as dificuldades que conhecemos no mundo esportivo como dificuldade de patrocínio, pouco apoio à modalidade no Rio de Janeiro, mostrou que com um trabalho sério pode-se ir longe.

O time fez história chegando aos playoffs e a equipe demonstrou que é capaz de vôos mais altos, além de honrar o futsal do Rio de Janeiro na Liga Futsal com belas atuações.

Destaque para um monstro do futsal brasileiro chamado Vander Carioca. Palavras da equipe da SporTV que cobria o jogo descrevem exatamente o que os amantes do futsal sentem ao vê-lo jogar: "Se alguém quer aprender a jogar como pivô é só gravar os jogos do Vander Carioca, jogador de extrema qualidade e categoria. Diferenciado!"

Espero que resultados dessa equipe sirvam para que a modalidade tenha maior apoio e força no Rio de Janeiro, atraindo patrocinadores e reacendendo a chama daquele futsal de dez, doze anos atrás.

Parabéns ao Poker/`PEC - seus diretores, assessores, patrocinadores, seus atletas, a equipe de apoio, limpeza e todos os funcionários do clube pelo comprometimento e a busca de sempre fazer o melhor pelo futsal e pelo Petrópolis Esporte Clube.

domingo, 3 de outubro de 2010

O ESPORTE EDUCA E TRANSFORMA - O esporte como ferramenta de socialização e diminuição da violência

Hoje me emocionei vendo uma matéria no programa Globo Esporte.

A reportagem contava a história de um menino que largou o tráfico e que agora segue por outro caminho: O ESPORTE.

Esse é o contexto geral da história que comprova o que muitos já sabemos: O ESPORTE EDUCA, TRANSFORMA e essa pode ser uma boa solução para a violência no país.

Do que adianta combater o tráfico se o mesmo continua a recrutar crianças para seus "exércitos"? O combate pode ser feito através do esporte. Levar as crianças das comunidades para quadras de esportes, para piscinas ou tatames. 

Não importa qual modalidade, o que importa é incluir estas crianças na sociedade através do esporte e mostrar a elas que podem ter um futuro através de meios lícitos e não somente através do tráfico.

A criança e o adolescente das comunidades precisam ter os atletas que sairam de outras comunidades de diversos locais do país como um espelho, espelho esse que demonstra que através do esporte eles tem a chance de se tornar um atleta, de ter um futuro e desta forma, não ter mais olhos para os falsos benefícios do tráfico.


Vamos colocar projetos em nossas praças, espalhar e colocar nossos professores e profissionais de educação física em contato com estas crianças lhes dando o suporte necessário técnica, físico e PSICOLÓGICO.



Se humanizarmos a relação entre o educador físico/esporte e a comunidade/crianças teremos jovens mais felizes, mais esforçados, mais autoconfiantes aprendendo com as regras do esporte a trabalhar em equipe, respeitar ao próximo.


Se eles irão se tornar de fato atletas de alto rendimento não sabemos, mas com certeza se tornarão pessoas melhores.

A prática esportiva orientada por um educador físico é uma ferramenta que temos à favor da cidadania e que deve ser melhor observada e utilizada em todo o país!