Pular para o conteúdo principal

Uma Grande Oportunidade para o Futebol Feminino no Brasil

Em janeiro de 2011 foi promulgada pela ALERJ uma lei que obriga a realização de partidas de futebol feminino antes de jogos decisivos (semi-finais e finais) no Maracanã.

A lei só entra em vigor a partir de janeiro de 2013 quando o Maracanã será reaberto.

Os clubes que descumprirem serão multados em 5% da renda obtida na partida.

'Autor da lei em conjunto com o deputado Paulo Melo (PMDB), o presidente da Alerj, deputado Jorge Picciani (PMDB), acredita que esta é uma oportunidade de dar visibilidade nacional ao consagrado futebol feminino do Brasil.

"O nosso futebol feminino já tem destaque internacional, em grande parte por conta do enorme talento de jogadoras como a Marta, eleita a melhor do mundo por mais de uma vez. Medidas como a aprovada propiciam o fortalecimento dos times femininos e, consequentemente, o surgimento de novos talentos", destacou Picciani' em matéria publicada no site do jornalista Sidney Rezende.

Realmente este é uma lei que tem tudo para dar certo e alcançar seu objetivo: dar visibilidade ao Futebol Feminino no Brasil.

No Brasil hoje são cerca de um milhão e quinhentas mil praticantes da modalidade que, dada a proporção, é um mercado a ser explorado. Com este projeto espera-se que empresas fabricantes de produtos voltados para as mulheres e outras grandes empresas de outros segmentos invistam em marketing esportivo, pois a visibilidade deste esporte é muito grande e pouco utilizada.

As empresas necessitam aprender que além do lado comercial, investir no futebol feminino é investir na inclusão social e no auxílio a tantas meninas e mulheres que amam este esporte e vêem nele a oportunidade de um futuro melhor.


"É muito melhor arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se a derrota, do que formar fila com os pobres de espírito que nem gozam muito nem sofrem muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta que não conhece vitória nem derrota." - Theodore Roosevelt

Comentários

  1. Atuo no São José Futebol Feminino como coordenador e também assessor em marketing esportivo. A luta é árdua para conseguirmos mais espaço. Mas uma lei como esta nos ajuda a subir mais um degrau e tomara sensibilizar ainda as empresas sobre a grande oportunidade que está a frente.
    Atualmente temos a importante e valiosa ajuda do poder público e como patrocinador oficial, a instituição educacional Etep Faculdades, que acredita na modalidade e está muito satisfeita com a parceria. Todavia, seria de grande valia que gestões como esta fossem copiadas pelo Brasil afora.


    Gustavo Assad.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!