Translate

quinta-feira, 31 de março de 2011

Um desabafo contra a falta de gestão no Brasil

            Mais uma polêmica envolve o Brasil na organização da Copa de 2014.

            Muito elogiada no começo por ser a cidade maravilhosa, do Corcovado, da "garota de Ipanema" e do Cristo Redentor, agora é exemplo de má administração e falta de gestão rumo aos jogos de 2014 e 2016.

Muitas obras para 2014 ainda estão na maquete

            Isto reacende um tema que tem sido mais frequentemente abordado no país e muito comentado aqui no blog: A falta de gestores capacitados.

            Os reflexos são visíveis. Saúde, transporte, educação, esportes, entre outras áreas mostram sérios problemas, mas vamos nos ater ao Esporte.

            O atraso nas obras para Copa e Olimpíadas são reflexo de algo que já conhecemos e hoje está esquecido. Quem lembra das Vilas Olímpicas, Centros Esportivos e até mesmo obras do Rio para o Pan 2007?

Centro Esportivo Miécimo da Silva-RJ, Há alguns anos
revelava atletas, hoje revelam-se buracos e má utilização

            A mídia, os políticos, estes nossos “gestores” esquecem, mas nossas crianças que aprendiam, eram educadas e criavam uma expectativa de vida e futuro melhor através do esporte não! Estes "gestores"  consequentemente esquecem do Brasil, dos investimentos que o país receberia voltados para esporte e formação de atletas, gerando emprego para diversas pessoas.

            Esporte gera investimento, investimento gera emprego, crianças nestes projetos são socializadas. Obras para eventos esportivos importantes devem deixar um legado e ser utilizadas no treinamento de atletas amadores e também de alto rendimento e com isso tudo, o país se torna uma potência esportiva e consequentemente econômica.

            Até quando o país viverá com este problema? Obras super faturadas, atrasadas e depois de prontas abandonadas (como Velódromo da Barra). O povo deixado de lado, seja no esporte ou na educação, futuros interrompidos, sonhos frustrados porque o estado deixou um centro esportivo abandonado.

Velódromo da Barra

             Até quando o Ministério dos Esportes irá se omitir, dizer que está tudo bem, enquanto vemos crianças largando o campo, a quadra ou a piscina pra ir esmolar ou assaltar ali na esquina?

Exemplo de Construção abandonada, Maria Lenk vira foco
de novos "nadadores": Larvas de mosquitos da dengue

             Triste realidade de um país onde se fala em igualdade, esporte, copa, olimpíada e legado, mesmo quando existem centros esportivos e ginásios “fechados”, sonhos destruidos e “gestores” que de gestores têm apenas o título porque o comportamento é apenas homens egoístas, incapazes e sem visão que só querem aparecer na televisão.

*Embora não se possa generalizar, infelizmente, muitos gestores se enquadram neste perfil!

quarta-feira, 30 de março de 2011

FUTEBOL FEMININO: Campeonato Carioca de Futebol Feminino 2011



            Hoje, três dias após o primeiro encontro de futebol feminino do país, reuniram-se na Federação de Futebol do Rio de Janeiro os representantes de clubes para debater o Campeonato Carioca Adulto Feminino de futebol 2011.

            Foi grande surpresa a abertura da Marcelo Vianna, diretor de competições da Federação, em promover o futebol feminino e muita coisa já ficou pré-definida no arbitral deste dia 29. Outra grande surpresa foi o não comparecimento de nenhum representante do Flamengo na reunião, porém a FFERJ espera a participação/contato do clube.


Marcelo Vianna no Arbitral deste dia 29.
foto: www.fferj.com.br

            O campeonato se iniciará no dia 17 de abril e deverá terminar 20 dias antes dos Jogos Mundiais Militares (15 de junho de 2011). A competição deve contar com no mínimo 8 e um máximo de 14 equipes, fato muito sinificativo uma vez que em 2010 o campeonato estadual adulto feminino teve a participação de apenas 3 equipes.

            As partidas serão realizadas nos fins de semana (sábados e domingos) e dependendo de como ficará a tabela, que depende do número de equipes participantes, poderá ter jogos em feriados.

            Campeão e Vice do Campeonato Carioca de Futebol Feminino 2011 garantem a vaga na Copa do Brasil 2012.

            Estuda-se também a possibilidade de realização da transmissão dos jogos em TV Aberta.

            Outro ponto abordado foi a preparação do Campeonato Adulto Feminino 2012, onde espera-se ter todos os pontos definidos já em outubro de 2011, dando tempo assim para a busca de um patrocinador para o campeonato, negociação de transmissão e direitos de TV além da busca de aporte financeiro e organização estrutural por parte dos clubes.

            Na próxima segunda, dia 04 às 16hs, será realizada a reunião de definição do campeonato 2011 já com esboço da tabela 2011 e regulamento prontos.

           Este é um gande passo rumo a profissionalização do Futebol Feminino. O Rio de Janeiro caminha para realização de um bom campeonato na temporada 2011 e sem dúvida para um ainda mais organizado e bem estruturado na temporada 2012.

            Começa-se a mostrar dentro do Rio de Janeiro uma grande união em prol da modalidade. O mais importante é ver que as equipes e representantes estão unidos em busca de melhor organização, tanto pelos clubes quanto pela federação. - Comentando no Esporte.

Realização de Campeonato dos clubes não Filiados no segundo semestre 2011

            Coronel Tadeu Correia, representante do Vasco da Gama, informou ao Comentando no Esporte que é certa a realização de um campeonato para os clubes não filiados à federação no segundo semestre de 2011.

            “Já estou realizando os acertos com Eduardo Tacto, presidente da ATAFF, para que um campeonato das equipes não filiadas ocorra no segundo semestre.” – Coronel Tadeu Correia.

            Isso mostra a preocupação e força de vontade em prol de uma modalidade forte. Os clubes que não participarem do campeonato da federação 2011 poderão se organizar e melhor estruturar, mantendo o ritmo de jogo e melhorando sua preparação nesta competição (dos não filiados à FFERJ) e se prepararem em relação à gestão, administração, estrutura e financeiro para a disputa do Campeonato Carioca Adulto Feminino 2012.

terça-feira, 29 de março de 2011

As Grandes Mídias e o Descaso com o Futebol Feminino

        Na noite desta segunda-feira o Presidente do C.R. Vasco da Gama, Roberto Dinamite, declarou no ciclo de palestras dos presidentes dos quatro grandes clubes de futebol do Rio de Janeiro, realizado na Casa do Saber, na Lagoa que "Clubes precisam apoiar o futebol feminino".

            A informação foi confirmada pelo blog Da Arquibancada que esteve presente no evento: “Roberto ressaltou ainda que a realização de campeonatos, muitas vezes, é inviabilizada pelos custos envolvidos e cobrou mais apoio do governo, da CBF e das federações. "Os clubes e as empresas precisam de incentivos para investirem na modalidade".”

            No evento, dentre outros assuntos, Dinamite falou sobre a volta de Juninho Pernambucano ao ‘Gigante da Colina’, fato que ocorrerá daqui a 3 meses. Jogador vem para a disputa do campeonato brasileiro.

            Sites como Globo.com, Folha.com e Lancenet.com.br abordaram apenas a volta de Juninho ao Vasco e este tipo de atitude, ainda mais vindo de sites referência na disseminação de notícias como esportes e com um grande poder de alcance, mostram o interesse da mídia em divulgar a modalidade no país.

            O futebol feminino é noticiado hoje através de blogs e sites sobre a modalidade como Futebol Feminino Profissional, Batom na Bola, Da Arquibancada, Uma Vida Com Futebol dentre outros que lutam contra a maré e mesmo sem apoio/patrocínio mostram que acreditam na modalidade.

            Com encontros como o realizado pelo Vasco da Gama no último dia 26 (I Encontro de Futebol Feminino do Brasil) espera-se mudar a mentalidade do país do futebol em relação às mulheres da bola.

            “Nossas mulheres são guerreiras. Na verdade, super heroínas que enfrentam a tudo e todos para manter viva a chama do futebol feminino” – Edu Pontes, Comentando no Esporte.

            Jogadoras como Laylla Mariana (ex atlético, Santos e hoje na University of Texas at San Antonio) e Fabiane Nascimento (com passagens por equipes como Juventus, São Bernardo, Palmeiras, Ventura County Fusion-EUA e outros) esperam poder viver bem e ver o quadro do futebol feminino mudar: “Infelizmente não espero muito do futebol feminino no Brasil, mas espero que isso me surpreenda e mude. Sempre tem muitos projetos e coisas que podem acontecer mas não acontecem. Nem tenho muito o que falar, pois é difícil opinar sobre algo que não tem consistência.” – concluiu Laylla.

            “Treinar, jogar, estudar e ter um trabalho além do futebol  faz parte da realidade diária das jogadoras brasileiras como Fabiane” – Edu Pontes.

            Muitas outras ‘Layllas, Fabianes, Martas, Carlas, Marias e Joanas' vivem nesta mesma expectativa. Infelizmente existe um machismo e consequente desvalorização do futebol feminino. Se trata de um esporte único onde um atleta masculino recebe até R$700mil por mês enquanto atletas profissionais do feminino muitas vezes nada recebem.
           
            "Precisamos de bons gestores com visão empreendedora e que pensem mais no esporte do que em si mesmos" declaração do Coronel Tadeu Correia, diretor de futebol do Vasco no encontro do dia 26/03.

            A união dos clubes (amadores e profissionais) para troca de experiências e opiniões contribuem para o crescimento do esporte e para que todos possam corrigir os passos do trabalho em prol das mulheres e do futebol. Isto acontecendo, não haverá mais esta “discriminação” e descaso das grandes mídias quando o assunto é O Futebol Feminino Brasileiro.

            Parabéns aos donos de blogs, sites e outras formas de redes sociais consideradas "autônomas"  pelo trabalho realizado. Parabéns às nossas atletas e demais profissionais da bola pela garra e perseverança. São todos exemplos da busca por um sonho e se depender da força e união que vem sendo demonstrada não só teremos o direito de sonhar, como a alegria de acordar e ver que aquele sonho se tornou realidade.

segunda-feira, 28 de março de 2011

O Primeiro Passo Foi Dado: I Encontro de Futebol Feminino do Brasil

No último sábado, dia 26 de março, o Brasil começou a caminhada por uma melhor organização e fortalecimento do Futebol Feminino.

            Organizado pelo C.R. Vasco da Gama e pela Marinha do Brasil foi realizado no Rio de Janeiro o 1° Encontro de Futebol Feminino do Brasil reunindo cerca de 100 representantes de clubes amadores e profissionais de diversos estados como Amazonas, Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

            O evento teve como proposta debater com os participantes o desenvolvimento do Futebol Feminino e também as dificuldades enfrentadas pela modalidade no país.

Mesa composta pelos representantes do Vasco, Marinha do Brasil e
também organizadores dos Jogos Mundiais Militares

             De inicio foi abordada a parceria Vasco/Marinha, um exemplo de gestão em prol do futebol feminino e seguiu-se abordando temas como gestão esportiva, ética, moral, valores positivos, linhas de planejamento estratégico, a importância das divisões de base para a manutenção de equipes profissionais, criação de calendários adaptados, campeonatos alternativos e formação de um grupo unido para debater junto à federação do Rio de Janeiro abatimentos e reduções de taxas para que mais equipes possam disputar o campeonato estadual da federação e assim dar mais oportunidades à modalidade.

            A falta de gestão e organização esportiva, logo a falta de gestores capacitados no mercado brasileiro foram disparados apontados como responsáveis pela atual situação do Futebol Feminino. A necessidade de organização e união por parte das equipes também foi amplamente abordada.

            Uma das grandes idéias do dia foi apresentada pela blogueira e twitteira Mariellen Romero, autora do blog Da Arquibancada e do twitter @DaArquibancada que propôs a reunião com representantes de blogs e sites sobre o assunto visando a divulgação da modalidade e a transmissão de jogos de futebol feminino em tempo real via Video Streaming.

            O encontro foi muito importante para identificar as necessidades do futebol femininino e definir a realização de novos encontros periódicos sobre o tema para unir e fortalecer o esporte e planejar projetos à favor da modalidade.

            Neste dia 29/03 será realizada reunião arbitral na Federação de Futebol do Rio de Janeiro e o II Encontro de Futebol Feminino já tem data para ocorrer. Será no dia 14/05.


A Participação do Representante da CBF no debate
           

            No segundo momento de debates que se iniciou às 14:30h, o Coronel Ronaldo, representante da CBF, enviado para acompanhar e ‘espionar’ o encontro, começou sua participação dando infelizes declarações como: “Me desculpem mas eu não estou aqui para enganar ninguém. É impossível querer comparar a grandeza do futebol masculino com a pequeneza do futebol feminino.” e ainda “O futebol feminino nunca irá alcançar o nível do futebol masculino...” e “A Seleção Brasileira Feminina de Futebol somente sobrevive graças ao dinheiro do futebol masculino, que é de onde a CBF tira o dinheiro para arcar com diárias, viagens e outros...”.

            Deste ponto em diante houve grande questionamento no papel da CBF na ajuda ao futebol feminino, mas segundo as palavras do representante da entidade no evento “a CBF não pode fazer nada pelo futebol feminino no Brasil e quem deve ser cobrada são as Federações”.

            Em seguida Leonardo Allevato (@leoallevato), um dos responsáveis pela organização do evento e renomado profissional de educação física lhe fez um questionamento sobre ética no futebol (um dos temas abordados no encontro) comparando o futebol masculino ao feminino quanto a atitude dos técnicos da Seleção masculina abrirem mão de treinar outras equipes em paralelo, enquanto na Seleção feminina Kleiton Lima acumula o cargo de técnico da Seleção Brasileira e também do Flamengo.

            Coronel Ronaldo ‘pecou’ no uso de suas palavras demonstrando certo machismo da CBF dando a entender que o futebol masculino é diferente do feminino, e ser ético no masculino é diferente de ser ético no feminino, mesmo quando sabemos que ser ética é um princípio básico da sociedade e que tem um único sentido.

            Em questionamento feito pelo Comentando no Esporte (@Edu_Pontes)  indagando qual o papel e quais projetos que a CBF, entidade que não colocou em seu site nenhuma menção/mensagem e agradecimento ao Dia Internacional da Mulher, possui para a disseminação/melhorias do futebol feminino no Brasil, o representante apenas se esquivou dizendo que o dia internacional da mulher não foi mencionado porque era carnaval e não havia expediente. Quanto aos projetos, se limitou a dizer que quem deve ser cobradas são as federações.

            Esperamos que estes encontros ajudem a dar uma nova visão à CBF e às Federações para que haja uma maior valorização e mais projetos voltados para o futebol feminino. - Comentando no Esporte.


quinta-feira, 24 de março de 2011

FUTEBOL FEMININO: Falta de Gestão, Falta de Visão e o Machismo/Preconceito com as Mulheres da Bola.

Na terra da bola, país do futebol e de clubes(de futebol masculino) com investimentos e patrocínios astronômicos mais um time feminino encerra atividades pela falta de investimento.

É triste, mas é a realidade brasileira! Essa falta de apoio ao futebol feminino reflete três problemas do esporte na terra de Garrincha, Leônidas da Silva,e muitos outros: A falta de gestão no esporte, a falta de visão e profissionais capacitados em marketing esportivo e o machismo/preconceito para com as mulheres da bola.

As mulheres ganham seu espaço? Sim, de fato! Porém o esporte praticado por mais de um milhão e quinhentas mil mulheres(só no Brasil) e admirado por outras milhões de pessoas de todos os sexos e idades ainda enfrentam uma enorme resistência e dificuldades.

O Palmeiras, do técnico Jorge Barcelos, teve equipe montada às pressas para o I Torneio Internacional Interclubes de Futebol Feminino que ocorreu em Janeiro na cidade de Araraquara, obteve bom desempenho e contava com jogadoras como: Vanessa; Fabiana, Saymon, Tânia Maranhão e Andréia; Bárbara, Piti (Bruna), Formiga e Rosana; Nildinha (Fernandinha) e Roseli. Mas o sonho foi interrompido por falta de patrocinadores (sendo que o time masculino possui patrocinadores que injetam milhões por ano no clube).

Infelizmente o Futebol Feminino é deixado de lado pelos clubes, empresas e pela própria CBF. Aí entra o que foi dito anteriormente: 

  • Falta de Gestão dos Clubes e Entidades Esportivas - incapacidade (e sem a menor intenção) de fazer um planejamento voltado para um futebol feminino com caráter social e de alto rendimento(estão diretamente ligados);
  • A Falta de Visão e Profissionais de Marketing Esportivo capacitados - que não sabem ou não gostam nem ao menos de pensar no que move suas mentes pouco brilhantes: o dinheiro, porque investir no futebol feminino é expor produtos e marcas à mulheres que, segundo estudo/pesquisa realizado pela empresa Sophia Mind as mulheres são responsáveis pelo consumo de U$20 trilhões por ano e são responsáveis também por 66% das decisões de compras realizadas pelas famílias. (Esse mercado não é altamente interessante???)
  • Machismo/preconceito com as "mulheres da bola" - pelas características poderíamos até, de certa forma, (considerando o esporte futebol como emprego e comparando o masculino com o feminino) alegar assédio moral pois as empresas(clubes) expõe o futebol feminino a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas predominando condutas negativas e aéticas de gestões que não se importam com o "esporte feminino", mas ao mesmo tempo dá toda condição ao esporte masculino mesmo sabendo que os dois possuem "as mesmas" características e são práticas esportivas idênticas. 

Se os clubes brasileiros e os 'profissionais' de gestão e marketing não concordam com estas colocações, então que façam o trabalho como se deve, dêem apoio ao futebol feminino em sua totalidade, criando condições dignas e fazendo um planejamento básico. 

É inadmissível em um país onde o Futebol Masculino arrecada milhões e milhões anualmente para cada clube, que não se tenha a capacidade/vontade de investir poucos mil reais no Futebol Feminino, esporte de mulheres guerreiras e que são a base da sociedade: A família. 

Todos sabemos que, se as mulheres não tivessem aberto mão de 'viver' para cuidar da família e apoiar incondicionalmente seus homens/maridos enquanto eles lutavam por seus ideais como empresas, clubes e esportes fortes muitos não teriam conseguido, então nada mais justo do que começar a apoiar estas guerreiras: As mulheres da bola.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Equipe feminina do Cabuçu FC confirma participação no Campeonato da Prefeitura de Japeri e procura parceiros/pratocinadores.

Nesta sexta-feira 25/03 será realizada na Secretaria de Esportes de Japeri a última reunião sobre o campeonato feminino que tem início previsto para o dia 09 de abril.

Cabuçu FC. Presença confirmada no Campeonato
da Prefeitura de Japeri 2011.

O Cabuçu FC, equipe de Nova Iguaçu é uma das favoritas ao título por ser uma das equipes em destaque nas competições na temporada 2009/2010 onde foi campeã do torneio Japeri e 3° colocado no Torneio Taça Cidade de Nova Iguaçu.

A equipe já confirmou a participação e visa o título o campeonato 2011 e está na busca de parceiros/patrocinadores para dar ainda mais solidez ao trabalho que está sendo realizado pelo técnico Alexandre Amaral.

Alexandre Amaral - técnico deu nova cara
e qualidade ao time feminino do Cabuçu.

Na minha visão (Eduardo Pontes - responsável de marketing) "as parcerias dariam ao trabalho maior tranquilidade e também maior suporte e motivação às atletas, além de mais qualidade. Infelizmente se torna difícil o entendimento do porque tantas empresas relutam em apoiar o futebol feminino e acima de tudo as mulheres.

O campeonato de Japeri 2011 envolverá cerca de 12 equipes. São aproximadamente 264 atletas isso sem mensurar a visibilidade que a competição possui na região (segundo o censo a região possui 920.599 habitantes). E por que a falta de investimento? As empresas de produto para mulher e outras de segmentos variados perdem tempo. O investimento no futebol feminino é baixo se comparado ao futebol masculino ou até mesmo outros esportes no Brasil".

A equipe azul e branca de Cabuçu espera fechar em breve um patrocinador além de um fornecedor de material esportivo. 

Projetos vem sendo preparados e parcerias/patrocínios esperados, pois o clube pretende se tornar um centro de formação de atletas e uma referência ao futebol feminino dentro do município de Nova Iguaçu e também exemplo no Brasil.

sábado, 19 de março de 2011

Futebol Feminino RJ: Em Reunião, Secretaria de Esportes de Japeri dá Pontapé Inicial no Campeonato 2011.

Hoje foi realizada a primeira reunião entre as equipes de futebol feminino da baixada do Rio de Janeiro para definir detalhes do regulamento do Campeonato da Prefeitura de Japeri.

Prefeitura de Japeri e Secretaria de Esportes -
grandes incentivadores do Futebol Feminino. Acreditando no Esporte!


A reunião ocorreu na SEMUTLER - Secretaria Municipal de Esportes, Turismo e Lazer de Japeri com a presença do Secretário Municipal de Esportes - Carlos Alberto Xavier Loroza que disse: "Sabemos das dificuldades em realizar um campeonato de futebol feminino, mas estamos empenhados para realizar com sucesso o quarto ano de competição".

Carlos Alberto
Secretário de Esportes de Japeri

Este será o primeiro campeonato de futebol feminino do ano no Rio de Janeiro.

Inicialmente o campeonato deverá começar no dia 16/04 e poderá contar com nove a onze equipes.

O técnico do Cabuçu FC, Alexandre Amaral ficou muito satisfeito com o que viu: "A secretaria de esportes está mostrando empenho e está de parabéns por apoiar o futebol feminino, ainda mais em uma região onde há tantas atletas com qualidade" - ressaltou.

Alexandre Amaral - Técnico
do Time Feminino Cabuçu FC.
A segunda reunião, e última antes do começo da competição, será realizada no dia 25/03 para definir os últimos detalhes.

Espera-se que até o dia 31/03 seja publicada a lista das equipes participantes e a tabela oficial da competição.



quinta-feira, 17 de março de 2011

Futebol Feminino: A Preparação Precária Seleção Brasileira - Reflexo da Má Gestão da CBF?

O grande assunto entre as atletas, os profissionais e as pessoas que acompanham o futebol feminino é a preparação da Seleção Brasileira para o mundial da Alemanha 2011.

O Brasil não disputou nenhum amistoso e conforme declarações do técnico Kleiton Lima, a Seleção canarinho "não irá realizar nenhum amistoso nesta primeira fase de preparação".

A seleção americana já marcou cerca de 11 amistosos nessa caminhada rumo ao mundial, além de ter participado do Mundialito de Futebol Feminino, em Portugal.

A pergunta é: a que se deve essa diferença na preparação?

A resposta é simples: falta de gestão e consequentemente a pouca importância do futebol feminino no Brasil por quem deveria fazê-lo 'caminhar', a CBF.

Não existe um planejamento anual, até porque mal se tem apoio da própria Confederação Brasileira e das Federações a esta modalidade! São poucos campeonatos estaduais, poucas equipes e muitas atletas de qualidade e com muita força de vontade e abandonadas.

Por que não criar: projetos sociais de futebol feminino, centros de formação de atletas, campeonatos estaduais e nacionais fortes? 

Isso é o básico que se espera de uma boa gestão esportiva. Pensar em favor da modalidade, da sociedade e das atletas e profissionais que dela vivem (ou tentam). Saber que quanto mais visibilidade a modalidade tiver, maiores serão os benefícios para esta gestão, maiores serão os patrocinadores interessados, e muitos outros benefícios virão!

Hoje o futebol feminino no Brasil vai ganhando maior visibilidade, porém isto só ocorre graças a blogs, twitters e facebooks das pessoas que realmente se importam com o esporte.

Machismo total apoiando apenas o futebol masculino? Até quando a CBF vai negligenciar o Futebol Feminino? 

De fato parece machismo sim e se depender da CBF a resposta para o quando vai parar de negligenciar o futebol feminino, provavelmente será: "AINDA POR MUITO TEMPO", mas são pessoas como nós que farão a diferença (e já fazem) em prol da modalidade com um dos maiores potenciais sociais e comerciais do país!

LIGA FUTSAL: Em jogo de 13 gols, Poker vence São Paulo com gol de Vander "Magic" Carioca a poucos segundos do fim

Em jogo eletrizante o Poker/Petrópolis venceu o São Paulo/Marília/Construban por 7 x 6.

Destaque no jogo de 13 gols para o pivô Vander "Magic" Carioca, que anotou o gol mais importante da partida faltando cerca de 30 segundos para o fim da partida dando assim a vitória ao time carioca.

Destaque na equipe fluminense também para os fixos Cupim e Amadeu, ambos com 2 gols na partida. O também fixo Vinícius anotou um dos gols do Petrópolis.


A vitória foi muito importante para a equipe do Rio de Janeiro, que perdeu a primeira partida da competição para o Intelli, não deixando assim os demais times se distanciarem na tabela que começa 'embolada' com 7 equipes somando 3 pontos, 3 somando 4 e apenas duas com 6 pontos e 100% de aproveitamento.


Agora o Poker enfrenta o V&M Minas, dia 22/03  às 19:15h no Ginásio da UCP em Petrópolis.

Vander "Magic" Carioca - Um dos maiores pivôs do Futsal Brasileiro:
 Uma das armas do Poker na Liga Futsal 2011
A equipe de Vander, Lenísio, Cupim e companhia conta com o apoio da torcida para alcançar mais uma vitória na competição, desta vez contra o Minas.

terça-feira, 15 de março de 2011

Estádios para 2014: Elefantes Brancos?

Como a falta de visão e de gestão impressiona!
 Esporte profissional, gestão amadora!


Hoje, no programa de TV por assinatura Redação SporTV, foi abordado o tema sobre os "elefantes brancos". Estádios criados para a Copa de 2014 nas cidades de Natal, Manaus, Cuiabá, Brasília, entre outros.

Estes estádios estão localizados em locais com pouco público e baixa visibilidade no futebol, conseqüentemente surge a idéia de DIVERSIFICAR, utilizando estes estádios para eventos, universidades e até para o Carnaval, como é o exemplo da arena de Manaus.

Maiores informações sobre a matéria e declarações do Tribunal de Contas da União em: http://www.copa2014.org.br/noticias/5035/QUATRO+ESTADIOS+DA+COPA+PODEM+ELEFANTES+BRANCOS+DIZ+TCU.html

Isso demonstra a falta de organização e gestão esportiva no país e até mesmo uma falta de capacidade de pensamento e planejamento do Ministério dos Esportes e demais entidades como a CBF e as Federações de cada estado.

Os vulgos "elefantes brancos" podem dar espaço ao futebol feminino de cada estado e também a projetos sociais, além de formação de atletas. Podem ainda ser utilizados para divulgação do futebol feminino e masculino com jogos amistosos das Seleções de base e principais, gerando renda, visibilidade aos patrocinadores e afins. 

As possibilidades são muitas e lucrativas, falando no que infelizmente realmente atrai os nossos "falsos gestores" de hoje: dinheiro.


Por que não fazer estádios com pistas de atletismo também? Reutilizá-los para transformar o país em potência esportiva, preparando atletas e profissionais de diversos esportes?

Não é difícil fazer em prol do esporte no país, falta é pensar de forma empreendedora visando a melhoria do esporte e da socialização nas regiões onde estão estes estádios.


Nos falta gestores capacitados! Falta olhar o que o esporte pode fazer em favor das crianças do nosso país e dos milhares de atletas e pessoas que buscam um futuro melhor nas cores verde e amarelo!

segunda-feira, 14 de março de 2011

Uma mensagem para o Japão e para o mundo!


Que Deus abençoe a todos os Japoneses e pessoas que vivem no Japão. Estamos orando por vocês!

Que com mais este ocorrido em mais um ponto do planeta, o ser humano repense seus atos e aprenda a viver em harmonia com o meio ambiente. O planeta Terra 'chora',  'sangra', 'grita'... CLAMA por uma vida equilibrada!


Só assim poderemos viver sem medo de catástrofes, sem chorar e ainda culpar a natureza. A culpa não é dela, Mãe Terra, e sim de nós, filhos ingratos que erram e não sabem ver tudo que ela faz por nós!

Fonte: www.finalsports.com.br

Que Deus toque cada um de nós para que mudemos de atitude e possamos finalmente aprender a viver em paz com o nosso planeta!

O homem é responsável por aquilo que cativa!



quarta-feira, 9 de março de 2011

A CBF e o descaso com o Futebol Feminino

Nesta terça-feira, dia 8 de março, foi comemorado o Dia Internacional da Mulher!

Cada dia mais se fala em Futebol Feminino e na valorização não só da modalidade, mas também das mulheres que a praticam e ali vêem um futuro melhor. Paralelamente, se comenta a falta de visibilidade e apoio ao esporte no Brasil e foi exatamente o que a entidade maior do futebol brasileiro, a CBF, demonstrou nesta terça-feira ao não divulgar, homenagear ou simplesmente comentar a data em sua página oficial.

É inaceitável que a CBF esqueça das cerca de um milhão e quinhentas mil mulheres que jogam futebol e também as outras milhões que acompanham e gostam de assistir futebol, seja masculino ou feminino.

Tal atitude representa exatamente como a Confederação Brasileira de Futebol trata do futebol feminino: com descaso.

Falta apoio às federações, clubes e competições, falta de centros ou projetos de iniciação esportiva, eventos sociais. Tudo que pode, deve ser feito e é extremamente importante para a disseminação e fortalecimento da modalidade no país! E sabendo disso só resta uma pergunta: E por que a CBF não faz isso?

"Parabéns" CBF, pela falta de comprometimento, pelo descaso e demonstração de falta de visão e gestão do futebol feminino! Mesmo assim, com o esforço de muitos esta modalidade está crescendo e vai crescer ainda mais!

Às mulheres, o sempre parabéns pela garra, determinação, perseverança e superação diária em todos os sentidos. Não seriamos nada sem vocês! Parabéns todo dia!

Futebol Feminino - Eu Apoio!
Porque o mundo da bola também é das mulheres!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Como a Falta de Ação da CBF Atrapalha o Futebol Feminino

O Futebol feminino é assunto constante nas mídias sociais, ferramenta que ganha força a cada dia e alavanca ainda mais este tema.

Infelizmente outros meios de comunicação (rádio, TV, jornais, revistas online e impressos) não dão espaço a esta modalidade, que só é falada quando há alguma competição da Seleção Brasileira ou quando se fala de Marta, estrela 'verde e amarela'  eleita 5 vezes a melhor do mundo.

Marta, eleita 5 vezes a Melhor do Mundo

A que se deve esta aparente falta de interesse da imprensa? A falta de visibilidade seria a responsável pelo desinteresse de empresas em patrocinar este esporte? E onde entra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF)?

A imprensa hoje é levada pelo 'modismo', publica apenas o que lhe é de interesse. O que vende jornal, dá Ibope e acessos aos seus sites, sejam as notícias apelativas ou não. A imprensa perdeu um pouco de seus valores básicos e com isso perdeu a visão empreendedora que lhe seguia pois não enxerga que Futebol Feminino é um diamante bruto esperando ser lapidado e se tornar uma belíssima e lucrativa jóia!

Esta falta de incentivo e divulgação é diretamente responsável pela falta de patrocinadores e empresas dispostas a apoiar e estampar a sua marca, afinal o que toda empresa espera é ter visibilidade.

As atitudes da imprensa, que afetam visibilidade da modalidade é reflexo da falta de ação da CBF! A toda poderosa do futebol brasileiro não toma ações junto aos clubes e federações em busca de uma maior valorização deste esporte e das mulheres que o praticam.

CBF deve apoiar mais o Futebol Feminino nos estados

Um grande exemplo de gestão do esporte brasileiro e que poderia ser seguida pela CBF é o da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), que não só investe na modalidade masculina como também na feminina.

A CBV apoia o voleibol, oferece cursos de capacitação às federações, projetos de iniciação esportiva (Viva Volei) e é responsável pela difusão, coordenação e normalização da prática do voleibol em todo território nacional, já tendo intervido até mesmo na negociação para transmissões de TV da Super Liga em canal aberto.

CBV Apoio total ao Voleibol Feminino

Cabe à CBF seguir este modelo vencedor (que torna a CBV exemplo mundial de gestão esportiva) preocupando-se não só com o futebol masculino (que hoje é o centro das atenções e de suas ações), mas também investindo na iniciação esportiva, em núcleos de futebol feminino e no apoio à federações para formação de campeonatos fortes em cada estado.

Exemplo de Gestão Esportiva no Brasil!

Quem ganha é o social, as mulheres e o país do futebol!  O mundo da bola agradece!

Futebol Feminino - Eu Apoio!