Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

As Grandes Mídias e o Descaso com o Futebol Feminino

        Na noite desta segunda-feira o Presidente do C.R. Vasco da Gama, Roberto Dinamite, declarou no ciclo de palestras dos presidentes dos quatro grandes clubes de futebol do Rio de Janeiro, realizado na Casa do Saber, na Lagoa que "Clubes precisam apoiar o futebol feminino".

            A informação foi confirmada pelo blog Da Arquibancada que esteve presente no evento: “Roberto ressaltou ainda que a realização de campeonatos, muitas vezes, é inviabilizada pelos custos envolvidos e cobrou mais apoio do governo, da CBF e das federações. "Os clubes e as empresas precisam de incentivos para investirem na modalidade".”

            No evento, dentre outros assuntos, Dinamite falou sobre a volta de Juninho Pernambucano ao ‘Gigante da Colina’, fato que ocorrerá daqui a 3 meses. Jogador vem para a disputa do campeonato brasileiro.

            Sites como Globo.com, Folha.com e Lancenet.com.br abordaram apenas a volta de Juninho ao Vasco e este tipo de atitude, ainda mais vindo de sites referência na disseminação de notícias como esportes e com um grande poder de alcance, mostram o interesse da mídia em divulgar a modalidade no país.

            O futebol feminino é noticiado hoje através de blogs e sites sobre a modalidade como Futebol Feminino Profissional, Batom na Bola, Da Arquibancada, Uma Vida Com Futebol dentre outros que lutam contra a maré e mesmo sem apoio/patrocínio mostram que acreditam na modalidade.

            Com encontros como o realizado pelo Vasco da Gama no último dia 26 (I Encontro de Futebol Feminino do Brasil) espera-se mudar a mentalidade do país do futebol em relação às mulheres da bola.

            “Nossas mulheres são guerreiras. Na verdade, super heroínas que enfrentam a tudo e todos para manter viva a chama do futebol feminino” – Edu Pontes, Comentando no Esporte.

            Jogadoras como Laylla Mariana (ex atlético, Santos e hoje na University of Texas at San Antonio) e Fabiane Nascimento (com passagens por equipes como Juventus, São Bernardo, Palmeiras, Ventura County Fusion-EUA e outros) esperam poder viver bem e ver o quadro do futebol feminino mudar: “Infelizmente não espero muito do futebol feminino no Brasil, mas espero que isso me surpreenda e mude. Sempre tem muitos projetos e coisas que podem acontecer mas não acontecem. Nem tenho muito o que falar, pois é difícil opinar sobre algo que não tem consistência.” – concluiu Laylla.

            “Treinar, jogar, estudar e ter um trabalho além do futebol  faz parte da realidade diária das jogadoras brasileiras como Fabiane” – Edu Pontes.

            Muitas outras ‘Layllas, Fabianes, Martas, Carlas, Marias e Joanas' vivem nesta mesma expectativa. Infelizmente existe um machismo e consequente desvalorização do futebol feminino. Se trata de um esporte único onde um atleta masculino recebe até R$700mil por mês enquanto atletas profissionais do feminino muitas vezes nada recebem.
           
            "Precisamos de bons gestores com visão empreendedora e que pensem mais no esporte do que em si mesmos" declaração do Coronel Tadeu Correia, diretor de futebol do Vasco no encontro do dia 26/03.

            A união dos clubes (amadores e profissionais) para troca de experiências e opiniões contribuem para o crescimento do esporte e para que todos possam corrigir os passos do trabalho em prol das mulheres e do futebol. Isto acontecendo, não haverá mais esta “discriminação” e descaso das grandes mídias quando o assunto é O Futebol Feminino Brasileiro.

            Parabéns aos donos de blogs, sites e outras formas de redes sociais consideradas "autônomas"  pelo trabalho realizado. Parabéns às nossas atletas e demais profissionais da bola pela garra e perseverança. São todos exemplos da busca por um sonho e se depender da força e união que vem sendo demonstrada não só teremos o direito de sonhar, como a alegria de acordar e ver que aquele sonho se tornou realidade.

Comentários

  1. A maior verdade que temos é, que somente nós que trabalhamos com o futebol feminino e junto com o vasco e a marinha conseguiremos monstrar muitas coisas. A mídia é suja e interesseira. O jeito esta em continuarmos a imcomodar toda essa corja, unidos com o mesmo propósito.

    Que bom que estamos juntos !!!!

    Abraços... Ale.

    ResponderExcluir
  2. Conta comigo aqui em SP e com minha empresa VALEU Mkt!
    Abs.

    Sérginho - valeumkt@valeumkt.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…