Pular para o conteúdo principal

"Ele não tem visibilidade" - Uma inverdade sobre o Futebol Feminino no Brasil

Sabemos que o mundo gira em torno de mídia, dinheiro, marketing, mercado, lei da oferta e da procura.

                Nesse contexto entramos no tema: Futebol Feminino. Uma modalidade que não é valorizada no país do futebol, desprezada pela mídia e esquecida até pela entidade máxima da modalidade no país, a CBF.

                Para muitos isso se deve à falta de mercado, pouca visibilidade e consequentemente poucas chances de fazer marketing e publicidade.

                Infelizmente essa inverdade só mostra a falta de interesse e falta de criatividade das mídias de um modo geral, empresas e potenciais patrocinadores para o esporte, sem esquecer claro do Ministério dos Esportes e também da CBF.

                Uma das premissas básicas do marketing é a criatividade e acima de tudo CRIAR OPORTUNIDADES. Não se espera um mercado “cair do céu”. Se determinada fatia de mercado não existe ou é pouco explorado o interessado pode e deve transforma-la em um novo mercado e moldá-lo conforme você o faz evoluir.

Em outras palavras, a oportunidade se cria e em um mercado como o futebol feminino, praticamente inexplorado no Brasil, quem tomar as rédeas e investir neste mercado irá ser o pai, o pioneiro e assim será o exemplo de sucesso a ser seguido.

As emissoras de TV, jornais, revistas, portais de internet e empresas do ramo esportivo, em geral, não investem por dois motivos:  preguiça ou medo.

O futebol feminino se mostra cada vez mais atraente em todo o mundo e aqui, na Terra de Garrincha, Pelé e IGUALMENTE de Martas, Formigas, Suntaque, Marias, Fernandas, Carolinas e Cristianes não pode nem deve ser diferente.

Para demonstrar como o mercado pode ser interessante, vamos a alguns dados:
·         A média de público no mundial da Alemanha é maior do que a média de público no campeonato brasileiro de futebol masculino;
·         As mulheres são responsáveis por 66% do consumo das famílias brasileiras, representando R$1,3 trilhões por ano;
·         Segundo o IBGE existem 3.941.819 milhões de mulheres a mais do que homens no Brasil, totalizando assim 99.941.819 milhões de mulheres (cerca de 51,9% da população);
·         Até 2008, antes do “boom” do esporte no Brasil, 30% das mulheres praticavam alguma modalidade esportiva, representando em números atuais aproximadamente 34.876.800 no esporte, onde ¼ joga futebol (8.719.200 mulheres);
·         92,9% da população tem idade entre 0 e 59 anos, idade excepcional para diveras oportunidades de marketing e comércio de serviços e produtos.
Essas informações supracitadas só mostram que não há porque não investir no futebol feminino e na mulher de um modo geral. Hoje elas dominam o ranking da maioria de pesquisas, recebem salários equivalentes aos homens em muitas profissões, são as principais consumidoras e influenciadoras no que se refere a aquisição de bens, produtos e serviços. São destaque também em muitas modalidades esportivas.

O mundo evolui enquanto o Brasil vai ficando pra trás no futebol feminino. O país possui uma grande quantidade e qualidade de mulheres que jogam futebol.

Eu vejo, você vê, a CBF mostra que não se interessa e muitos, por medo, não tem coragem de remar “Contra a maré”.

Para mudar este quadro bastaria o Brasil se candidatar a país sede da Copa do Mundo de Futebol. Não é difícil, não é complicado, basta ter coragem de criar uma oportunidade favorável para que o esporte possa evoluir e crescer!

Se o futebol feminino tivesse uma voz própria ele diria: Dizer que eu não tenho espaço, que não vendo e não sou popular? Não podem me culpar pela falta de coragem e visão de vocês. A minha parte, que é lutar e mostrar que estou vivo, eu faço todos os dias!”.

Futebol Feminino no Brasil – “Tamo Junto” – Nós somos a sua voz! #FFTamoJuntoBR

Comentários

  1. Muito bom seu post.
    Isso tudo é desigualdade de gênero.
    Mas...#FFTamoJuntoBR

    ResponderExcluir
  2. Chama-se pré-conceito!
    O Brasil é um país extremamente MACHISTA e tanto a CBF, como o grande público, acham que futebol é coisa de homem!
    Puro preconceito desprezível!!!

    ResponderExcluir
  3. Não sei se você está sabendo o presidente do Fluminense decretou o fim do futebol feminino no clube... na terça-feira, às 17 horas, as meninas farão um protesto na sede do clube.
    Acho que independente de qual seja o clube pelo qual você torce, é muito importante o apoio de homens nessa luta! Isso é uma grande perda para o futebol carioca e nacional...
    Se puder, pelo menos, divulgar, seria bacana!

    Segue o link: http://www.po-de-arroz.com/component/content/article/55-destaque/5372-jogadoras-do-futebol-feminino-convocam-imprensa-e-torcedores-para-protesto

    ResponderExcluir
  4. concordo plenamente com vc!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!