Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Tribuna do Interior: Gestão e marketing precisam andar juntos

http://itribuna.com.br/esportes/noticias/6542/

Matéria publicada no site Tribuna do interior 

Gestão e marketing precisam andar juntos

Ana Carla Poliseli
João Paulo W. Benassi
José Carlos Brunoro proferiu palestra sobre marketing esportivo
Como parte da programação dos 25º Jojups, ontem à noite foi realizada uma palestra sobre marketing esportivo com José Carlos Brunoro, um dos mais importantes nomes do marketing esportivo do Brasil. Durante a conversa com dirigentes, empresários locais, profissionais e acadêmicos de educação física e áreas afins, ele comentou sobre a necessidade de que o marketing esportivo mude o foco, deixe de ser visto como tático para ser estratégico.
Segundo ele as empresas não entendem muito bem o que o esporte pode fazer por ela. “Elas só vêem o que podem fazer ao patrocinar o esporte, não integram o que há de bom no esporte para a cultura da empresa”, comenta. Apesar de apontar o erro nas empresas, ele também comenta que os dirigentes não sabem aproveitar as vantagens do marketing. “Faltam bons projetos. O erro de muitos é chegar para a empresa e dizer que o projeto é barato. Ele não quer saber se é barato, quer saber o que pode agregar à sua marca”, diz.
Na palestra voltada para dirigentes, em sua maioria de cidades pequenas, ele ressaltou outro grande erro na forma como o marketing esportivo é visto. “As pessoas tem muita ilusão de procurar as grandes empresas. O esporte é democrático, cabe no bolso de qualquer um”, afirma. Para exemplificar o tema, ele explicou que em uma corrida de bairro é muito mais lucrativo procurar comércios da região, que se identifiquem com o que está sendo usado do que com multinacionais que não sabem nem onde fica aquela cidade.
Brunoro explicou que a palestra não foi para dar soluções. “Estou ouvindo os problemas e dando minha opinião”, diz. José Carlos Brunoro é presidente do Conselho da BSB (Brunoro Sport Business) e diretor da Confederação Brasileira de Basquete. Um dos mais destacados atletas e técnico do voleibol nacional, campeão Mundial Interclubes em 1984.
Integrou a comissão técnica medalha de prata nas Olimpíadas de Los Angeles. Desde a década de 90, tem se destacado no meio do futebol, sendo gerente de futebol na co-gestão entre Palmeiras e Parmalat, que deu vários títulos ao time.  Já foi consultor do Ministério do Esporte e membro do Conselho Nacional de Esportes. É diretor de mercado da Confederação Brasileira de Basquete. Presidente de Conselho de BSB e presidente executivo de Sports e Strategy.
Grandes competições
Brunoro também comentou sobre as preparações do Brasil para a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Segundo ele, para o segundo o país está mais preparado. “Primeiro por ser concentrado em um único local e também por termos mais tempo está bem adiantado o ritmo do Rio de Janeiro”, diz.
            Em relação à Copa, ele explicou que ela vai acontecer, mesmo perdendo o que há de melhor na realização desses jogos. “As cidades não estão aproveitando a presença dos jogos para ter infraestrutura completa. O que fica da Copa é o turismo, a vontade de conhecer aquelas cidades onde o jogo aconteceu. É uma pena, mas a copa acontece.”
Segundo ele, assim como para as grandes realizações, falta gestão em tudo o que se relaciona ao esporte. “Em relação às competições o número não é o que assusta, o que falta para que os empreendimentos tenham sucesso é planejamento. Um plano diretor para o esporte”, afirma. Apesar dos problemas, ele se diz otimista. “Essa semana dei uma palestra no ministério do esporte. Eles queriam montar um planejamento para 15 anos para o esporte. Isso nunca aconteceu, então estou com esperança de que algo mude”, finaliza.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…