Translate

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Vasco precisa melhorar o apoio ao Futebol Feminino


Vasco teve uma atleta convocada para a disputa do Campeonato Sul-Americano de Futebol Feminino que será realizado em Curitiba do dia 20 de janeiro ao dia 2 de fevereiro de 2012.

Jogadora do Vasco Convocada pela CBF (Clique na Imagem para ampliar). Fonte: CBF

O site oficial do clube carioca sequer menciona a convocação de sua jogadora para o Sul-americano sub20! 


No página oficial do clube também não existe nenhuma área reservada para a modalidade, ao contrário do que acontece em outros clubes do Brasil.

Site oficial não tem área reservada para o Futebol Feminino. Descaso ou falta de visão?


As poucas informações encontradas só são acessadas quando o visitante do site vai até a área pesquisa e digita o termo "Futebol feminino", e estas informações não são muitas.

Somente na área pesquisa é possível achar alguma nota sobre o Futebol Feminino do clube, e são poucas.
(Clique na imagem para ampliar)
Dentro do clube, na sala de troféus por exemplo, não há destaque nas vitrines principais dos troféus das equipes de futebol feminino!

São pequenos detalhes que fazem a diferença! Notícias de convocação para Seleção Brasileira devem ser prioridade de qualquer clube independente da categoria! No caso do futebol feminino, se torna ainda mais importante se o clube tem pretensões de captar patrocinadores.

A visibilidade a troféus nas principais vitrines da sala do clube destinada a estes, também torna a modalidade mais familiar aos vascaínos e cria uma identidade e afinidade dos torcedores do clube com o futebol feminino e isso é de suma importância!


Hoje o clube de São Januário trabalha com as equipes sub11, sub13, sub15, sub17, sub20 e adulta e poderia ter uma estrutura física e profissional melhor estruturada e com certeza um maior aporte financeiro para dar condições de excelência ao futebol feminino do clube que hoje caminha com bastante dificuldade apesar dos títulos e visibilidade da modalidade em jornais, sites e blogs sobre a modalidade.


Se o Vasco da Gama afirma apoiar o futebol feminino, algumas coisas devem ser repensadas e/ou planejadas afinal, ao que tudo indica: "Você está fazendo isso errado"!

Visibilidade e potencial o clube e o futebol feminino possui. Imagina se a modalidade e o desporto forem vistos como negócio?

Fica a dica!
(Vocês podem conferir as informações do texto pesquisando no site www.vasco.com.br, de onde os prints das imagens foram retirados)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal e Próspero 2012


Desejo a todos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo! 

Que todos tenham um Natal repleto de paz, amor e harmonia e o novo ano que se aproxima seja de muita saúde, sucesso e conquistas! 

Que este novo ano seja uma porta aberta para que todos os nossos sonhos se realizem! 

Boas Festas!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Futebol Feminino: Um título que não esconde a necessidade de planejamento


Ontem a Seleção Brasileira de Futebol Feminino, comandada por Jorge Barcellos, ganhou o primeiro título desta nova empreitada ao vencer a Dinamarca por 2 x 1 no dia de ontem, domingo.

O que todos esperam é que o título do “Torneio Internacional Cidade de SP” coroe esta nova fase da Seleção em que o apoio da CBF e do Ministério dos Esportes seja massivo.

Erica marcou os dois gols da vitória e foi destaque no torneio.


A conquista não esconde, de forma alguma, os problemas que há décadas são conhecidos.

O foco da nova fase de preparação visa não só a conquista olímpica como a conquista do inédito título mundial, conquistas essas que são almejadas há tempos, mas que não aconteceram até hoje pelo descaso e falha no planejamento da Confederação Brasileira de Futebol, que não temos certeza se em algum momento existiu.

Se o foco são títulos não há como não se preocupar com os alicerces do futebol feminino brasileiro. Faltam campeonatos e/ou torneios estruturados que visem o desenvolvimento da modalidade nos quatro cantos do país, falta preocupação em formar atletas de base para que a renovação seja constante e assim títulos sejam conquistados.

Falta metodologia de treinamento, definição da forma de jogar desde a base até a categoria principal para assim solidificar e tornar o estilo de jogo da seleção inconfundível e algo intrínseco e que toda jogadora que atue na base leve até a seleção principal sabendo exatamente a forma de pensar, treinar e jogar.

Cabe à CBF e Min. Dos Esportes criar o centro de desenvolvimento de futebol feminino focado na formação e aperfeiçoamento das atletas na parte técnica, física, educacional e psicológica.

Precisam ser traçados também como será a distribuição de olheiros por todo o país. Muitos estados não têm competições oficiais e isso prejudica não só as atletas, mas também a modalidade que perde talentos pelo simples fatos da falta de um plano de ação no que diz respeito à observação destas atletas.
A meta de curto prazo está definida: a conquista do título olímpico. Já conhecemos a meta de médio prazo que é a conquista do título da Copa da Copa do Mundo e a de longo prazo é mais complexa, pois está relacionada a alguns fatores:

·       Se preocupar com a observação e o trabalho das seleções de base tanto no que se refere a atletas como de novos profissionais de comissão técnica que podem e devem ser observados Brasil a fora,
·       Tornar a modalidade mais popular,
·       Dar condições para que a modalidade evolua,
·       Trazer a Copa do Mundo da modalidade para o país,
·        Fazer o slogan “Brasil – País do Futebol” soar menos hipócrita, pois o futebol feminino ainda é esquecido,
·     Planejar e viabilizar oportunidades à ex atletas qualificadas à frente ou no processo de evolução e estruturação da modalidade no país,
·        Alcançar e manter a o futebol feminino brasileiro no topo do mundo.

Pra que isso aconteça, muita coisa precisa acontecer, mas o principal é pesquisar, planejar, desenvolver e implantar uma nova forma de gestão que foque o futuro da modalidade.

O Futebol Feminino precisa de ações permanentes e não apenas de ações para poder dizer que estamos tentando fazer algo. De mentiras e hipocrisias já estamos mais do que “satisfeitos”.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Nada de "Cornetar"! É hora de apoiar e torcer: Em Busca do Ouro Inédito!


Durante a partida entre Brasil 0 x 1 Dinamarca, e após seu término muitas pessoas criticaram a atuação da Seleção Brasileira.

As “cornetadas” foram comentadas pela atacante Cristiane em seu perfil no Twitter (@11_oficial).

Mensagem do twitter da atacante Cristiane

Muitas pessoas questionaram a atuação da Seleção, criticaram Marta e companhia, dizer que as atletas de nossa Seleção não são capazes de ganhar de seleções como Canadá, EUA, Japão e Dinamarca, entre outros.

Os torcedores se preocupam com o título do Torneio Internacional de São Paulo e acabam esquecendo-se de analisar detalhes. Além das jogadoras atuando desde o começo do ano e com calendários de competições completamente diferentes, o foco da Seleção é a preparação para conquistar os títulos que até então não temos.

O título do Torneio Internacional de São Paulo pode ser importante para alguns, mas acredito que o entrosamento e implantação da nova filosofia de jogo seja mais importante para os objetivos maiores que são o Ouro Olímpico e a Copa do Mundo da modalidade.

Brasil precisa trabalhar para conquistar os tão sonhados Ouros - Olímpico e Mundial.

O jogo contra a Dinamarca foi muito bom para a equipe canarinho perceber que precisamos mudar alguns aspectos: carregar menos a bola, trabalhar mais o toque, aprender a jogar sem a bola, melhorar a movimentação em campo, dentre outras coisas.

O futebol feminino evolui em todo o mundo e o individual não pode ser o único diferencial de nossas meninas. Nossas atletas precisam ser bem trabalhadas para que jogando de forma mais coletiva o grupo se torne bem forte e com os talentos individuais possam se tornar, finalmente, “invencíveis” na busca dos títulos inéditos!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Discriminação atrás das 4 linhas: Falta espaço para ex atletas na gestão do Futebol Feminino


O futebol feminino começa a demonstrar que entrou na linha do progresso. O ministro do esporte, Aldo Rebelo, está trabalhando muito pelo esporte brasileiro e encabeçando esta lista está o futebol feminino.

Ministro Aldo Rebelo - Fonte: Uol Esportes
No Brasil, as mulheres sofreram e sofrem uma série de preconceitos. Um destes preconceitos é a capacidade de uma ex atleta ser peça fundamental na gestão ou comando técnico de uma equipe, federação ou confederação.

O Ministério dos Esportes quebra esta paradigma a partir do momento que nomeou a ex atleta da Seleção Brasileira, Mariléia dos Santos, a Michael Jackson, como coordenadora geral de Futebol Feminino.


Aldo Rebelo e Mariléia "M. Jackson" dos Santos
Esse talvez seja o primeiro grande passo para a valorização não só da mulher, mas das atletas que lutaram e fizeram a modalidade ser o que é hoje.

Quantas jogadoras poderiam hoje ser técnicas, diretoras ou coordenadoras de clubes e/ou  projetos e instituições?

Acho que a vivência destas que viveram as maiores e sórdidas dificuldades e preconceitos da modalidade quando jogavam seriam hoje peças fundamentais para a evolução da modalidade, agora fora das quatro linhas. 

Assim quebramos também o preconceito que existe no meio do futebol com mulheres em cargos altos, sendo respeitadas, coisa que hoje é repudiada por muitos homens que se dizem gestores esportivos no Brasil!

As mulheres vem ganhando respeito como jogadoras, mas fora dos campos continuam sendo totalmente desvalorizadas e discriminadas!

E vocês, o que acham? Comentem e deixem as suas opiniões!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Os Problemas do Futebol Feminino


No Brasil clubes e gestores tem a ideia errada de que o futebol feminino gera pouco retorno financeiro.

Essa crença se dá por conta da falta de especialização e, na maioria das vezes, falta de visão destes que se dizem “conhecedores” da gestão e marketing esportivo.

Os clubes podem fazer uma série de parcerias e fechar pequenos patrocínios com empresas de pequeno e médio porte e garantir assim não só a manutenção de um projeto como a fidelização destas empresas que tendo uma boa visibilidade (fato que tem 99% de chances de acontecer) irão investir valores maiores na próxima temporada.

Empresas com este perfil e que querem investir existem aos montes e o clube pode também fechar com uma grande empresa que queira investir um valor considerado pequeno.

Marcas dispostas a investir ou para as quais os clubes podem apresentar propostas
existem aos montes, basta os clubes serem menos gananciosos que tudo acontece!


Nossos vulgos gestores precisam aprender que em um mundo globalizado o pouco pode significar muito.

Outra coisa que ainda precisa ser trabalhada na mente dos nossos jurássicos administradores esportivos é que planejar não é o simples ato de montar uma equipe e colocar em uma planilha o seguinte termo: conquistar o titulo!

Muitos clubes montam equipes de futebol feminino com total descaso e acham que sem organização e pequenas metas que se completam no planejamento, o clube não alcançará objetivos maiores.

Planejar significa investir, dar condições, pensar e avaliar até onde se pode chegar com o investimento que o clube está fazendo. É criar organogramas, fluxogramas, ter uma pessoa responsável por cada tarefa fundamental para o andamento do projeto e para que as metas possam ser alcançadas.

No futebol feminino brasileiro o que temos atualmente são gestores que não tem visão do esporte como negócio, são profissionais mais preocupados mais em tomar o lugar do outro ou de fazer seu nome ao invés de estarem preocupados com o futebol feminino e o andamento do projeto em que estão trabalhando.

Um fator que influencia isto é que as atletas, muitas vezes, recebem “esmola” e se contentam ou submetem a isto. O clube atrasa pagamento, paga pouco ou não dá a estrutura que prometeu e as jogadoras continuam pensando pequeno, como jogadoras de pelada e não como atletas que querem mesmo um dia dizer que são profissionais: “Ai, tá ruim, mas pelo menos o clube está dando algo. Então nem vou reclamar!”.

Jogadora de futebol não pode pensar assim! Jogadora de futebol não pode pensar só em si, mas esta barreira é uma que talvez seja a mais difícil de ser quebrada, não pela necessidade e realidade social da qual estas atletas vem, mas pela incapacidade de muitas jogadoras em acreditar que unidas elas podem transformar muitas coisas a favor do desporto.

Os problemas do futebol feminino são muitos. Alguns maiores, outros mais fáceis de lidar, mas todos eles se resumem a uma coisa: a vontade de fazer com que o futebol feminino dê certo!

Quando tivermos pessoas, gestores, atletas e outros profissionais com esta real vontade, tudo será muito mais simples!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

São Gonçalo FC - Mais que um clube, uma cidade


O São Gonçalo F.C foi criado não só com o objetivo de representar a cidade de São Gonçalo, mas acima de tudo para recuperar o orgulho dos gonçalenses pela região onde nasceram, cresceram e vivem.

Esse projeto de profissionalização do clube surgiu graças à parceria entre o Presidente do clube, Eduardo Castro, e o ex-atleta, goleador e hoje gestor esportivo e diretor executivo do clube, Felipe Conceição (Felipe Tigrão – com passagens pelo Botafogo-RJ, Cabofriense-RJ, Portuguesa-Rj, Vitória de Guimarães-Portugal, Seleção Brasileira, entre outros ).

 Juntos, o presidente Eduardo e o agora Diretor Executivo Felipe, aceitaram o desafio de tornar o clube na identidade da cidade, e já estão conseguindo.

Leia a matéria: Felipe "Tigrão" - O Goleador agora é Dirigente (Foto: Kiko Charret)

Criado recentemente, o clube está realizando sua primeira peneira para jovens nascidos entre (1989 e 1998).

Graças ao planejamento, organização, seriedade e profissionalismo demonstrado, o projeto já colhe bons frutos. Um destes é a forma como o clube, que está em atividade há poucos meses, mexe com a vida e a alegria dos moradores da região.

Muitos garotos entram em contato através do site do São Gonçalo FC expressando a vontade de fazer parte dessa nova história e também o orgulho de poder se tornar um jogador do clube local.

Moradores e parentes dos jovens envolvidos na peneira afirmam que um clube com o nome da cidade era exatamente o que faltava, pois a cidade ama o futebol, fato que é confirmado pelo número de inscrições realizadas para testes em apenas duas semanas.

"Já são aproximadamente 500 meninos, de idades entre 13 e 22 anos, onde vemos muita qualidade. Nosso projeto foi pensado e planejado na hora certa! Quem ganha é a cidade que vê seus jovens empenhados e orgulhosos por poder vir a representar o lugar onde vivem." – afirmam Eduardo Castro e Felipe Conceição.

As inscrições ainda vão até o dia 10 de dezembro. Para saber como participar da peneira, basta acessar o site do clube: SÃO GONÇALO FC.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Futebol Feminino como ferramenta de um futuro melhor

Amigos e amantes do futebol feminino. 

Devido as dificuldades de aquisição de patrocínio, para tentar manter o nosso projeto de futebol feminino aqui no RJ estamos precisando da ajuda de vocês.



O projeto Futuro Futebol Feminino é um projeto criado e mantido por mim, Eduardo Pontes e o técnico Alexandre Amaral onde não contamos com nenhuma forma de incentivo. 


Ale Amaral e Eduardo Pontes

O projto atende meninas com idade entre 15 e 27 anos de uma região carente de Nova Iguaçu que veem no esporte a oportunidade de um futuro melhor. Esse projeto está mudando a vida delas dentro e fora dos campos.

Trabalhamos com 10 meninas na temporada 2011 e já temos 30 meninas que serão atendidas pelo projeto na temporada 2012.

O valor que estamos arrecadando é para arcar com TODOS OS CUSTOS de material (uniformes, coletes, bolas e materiais técnicos, e outros) PARA TODO O ANO de 2012.

Queremos continuar transformando os sonhos destas meninas, que amam o futebol, em realidade e pra isso contamos com a solidariedade de vocês!


Vejam alguns dos resultados do projeto em 2011:


  •  Mudança significativa de comportamento e melhoria de qualidade da vida também fora de campo;
  •  Melhoria no convívio familiar, bem como o apoio da família a pratica do desporto (hoje as famílias que não apoiavam acreditam no potencial dessas meninas);
  • As meninas se tornaram mais responsáveis; 
  • Cuidam-se mais e se preocupam com seu bem estar físico e mental;
  • Preocupam-se com estudos, futuro, evitam o consumo de bebidas alcoólicas e o cigarro, além de terem reconquistado ou redescoberto o amor próprio e a autoestima!;
  • Quatro atletas já estão em clube e atuarão na temporada 2012 como atletas federadas e remuneradas.

Para continuarmos alcançando estes resultados em 2012 criamos o Vakinha. É um sistema de arrecadação online onde vocês podem contribuir a partir do valor mínimo de R$5,00. Pra isso, basta acessar o VAKINHA, clicar no botão Contribua Já, preencher o cadastro do site e efetuar sua doação por cartão de crédito, boleto bancário ou transferência bancária.


(Em caso de erro você pode copiar o link e colar no seu navegador: http://www.vakinha.com.br/VaquinhaP.aspx?e=113543)

Contamos com a ajuda de vocês.


Qualquer dúvida ou informações, entrem em contato por e-mail: Eduardo_d_p@hotmail.com

Desde já o meu muito obrigado!
Eduardo Pontes - Projeto Futuro Futebol Feminino