© Getty Images
Na análise mensal do mundo do futebol feminino, o FIFA.com traz os principais destaques de novembro, um mês repleto de torneios, títulos e acontecimentos surpreendentes.
SeleçõesRainhas africanas de volta ao trono Guiné Equatorial retornou ao topo do futebol continental após uma campanha soberba no Campeonato Africano Feminino, realizado no seu território. Na final, as donas da casa contaram com o talento de Genoveva Añonman, artilheira do torneio com sete gols, e golearam a África do Sul por 4 a 0. Assim, o país recuperou a taça perdida há dois anos para a Nigéria, que desta vez terminou em quarto lugar, após a derrota de 1 a 0 na disputa pelo bronze contra Camarões. Añonman foi indicada ao prêmio de melhor jogadora do ano no futebol feminino africano, ao lado da meio-campista sul-africana Portia Modise e da goleadora prodígio da Nigéria, Chinwendu Ihezuo, de apenas 15 anos.
Decepção australianaO quarteto que disputará o Campeonato Feminino do Leste Asiático foi definido este mês, e a grande surpresa ficou por conta da ausência da Austrália. As Matildas perderam a vaga para a China, que venceu por 2 a 1 na última partida de Tom Sermanni como treinador. Wang Li Si e Zhang Rui fizeram os gols que classificaram as chinesas para a competição regional, que terá ainda a participação doJapão, da Coreia do Norte e da anfitriã Coreia do Sul.
Brasil de técnico novoNa mesma semana em que Mano Menezes perdeu o cargo na seleção masculina do Brasil, Jorge Barcellos foi demitido da equipe feminina. Para o lugar dele foi escolhido Márcio de Oliveira, técnico que no ano passado conduziu o São José a uma tríplice coroa, faturando a Copa Libertadores, a Copa do Brasil e o Campeonato Paulista.
Melhores do ano a postos Nesta quinta-feira foram anunciados os finalistas dos prêmios de Jogadora do Ano da FIFA e Técnico do Ano no futebol feminino. Na primeira categoria, a dupla americana Alex Morgan e Abby Wambachconcorrerá com a brasileira Marta, vencedora de cinco edições, enquanto o troféu de melhor treinador será disputado por Bruno Bini, Norio Sasaki e Pia Sundhage.
ClubesLyon triunfa no Japão
Menos de um mês antes de sediar a Copa do Mundo de Clubes da FIFA, o Japão foi palco de um importante torneio feminino, o Campeonato Internacional de Clubes. O evento reuniu os vencedores da liga e da copa do país, Leonessa de Kobe e Beleza respectivamente, além do campeão europeu, Lyon, e do ganhador do Campeonato australiano, Canberra United. O troféu ficou com a equipe francesa, que precisou da prorrogação e de um pênalti convertido por Sonia Bompastor para bater o Leonessa por 2 a 1 na final. Já o Beleza, que havia sido derrotado pelo Lyon por 5 a 2 nas semfinais, faturou o bronze com uma vitória de 4 a 3 sobre o Canberra.
EUA anunciam nova ligaTimes de Boston, Chicago, Kansas City, Nova York, Nova Jersey, Portland, Seattle e Washington competirão na nova liga profissional feminina dos Estados Unidos a partir do ano que vem. A novidade foi anunciada pelo presidente da Federação Americana de Futebol, Sunil Gulati, que confirmou que a entidade terá participação ativa na organização e na gestão da liga, a fim de evitar novos problemas financeiros. A organização informou ainda que irá subsidiar os salários de até 24 das jogadoras de seleção que atuarão no torneio, procedimento com o qual as federações canadense e mexicana também se comprometeram em relação às 16 e 12 atletas das respectivas equipes nacionais.
Colo Colo faz história O Colo Colo, do Chile, tornou-se o primeiro clube de fora do Brasil a vencer a Copa Libertadores. O título veio com o triunfo de 4 a 2 na disputa de pênaltis com o Foz Cataratas, após uma final sem gols no tempo regulamentar. Karen Araya, da equipe de Santiago, foi eleita a melhor jogadora do torneio, enquanto a atacante Cristiane, do São José, terminou no topo da artilharia, com sete gols.
Dupla nórdica festeja primeiro títuloAs ligas da Noruega e da Suécia terminaram com dois campeões inéditos, o Kvinner e o Tyresö respectivamente. O time sueco conquistou a taça no saldo de gols graças a Madelaine Edlund, que balançou as redes a oito minutos do fim da derradeira partida do campeonato. O Kvinner, por sua vez, faturou o título norueguês com uma rodada de antecedência, após atuação de gala da badalada atacante Isabell Herlovsen, que marcou quatro gols.
Hoffenheim contrata joia japonesaA transferência mais interessante do mês foi sem dúvida protagonizada pelo Hoffenheim. O clube da segunda divisão alemã buscará a vaga na elite reforçado pela habilidosa armadora Mana Iwabuchi, de 19 anos. A jovem, que conquistou a Copa do Mundo Feminina da FIFA pela seleção principal e faturou o prêmio de melhor jogadora da primeira edição da Copa do Mundo Feminina Sub-17 da FIFA, em 2008, assinou contrato para atuar até 2014 na ambiciosa equipe da cidade de Sinsheim.
O número
0
 — A Guiné Equatorial não foi vazada uma única vez nos cinco jogos que disputou para conquistar o título africano. O sucesso das campeãs, no entanto, não se baseou apenas na solidez da defesa, mas também na eficiência do ataque, que terminou o torneio com 18 gols marcados.
O que elas disseram"Ainda não decidi o que fazer no ano que vem. Na verdade, o meu plano era não ter jogado este ano, então agora estou dizendo para ninguém acreditar em mim, porque nada do que eu havia falado aconteceu. Talvez seja legal fazer a minha despedida nessa competição." Solveig Gulbrandsen, meio-campista da seleção norueguesa, a respeito de uma possível participação na Eurocopa Feminina do ano que vem.

Extraído de FIFA.com