Pular para o conteúdo principal

Marta se torna maior atleta da história do futebol, mas título não significa nada no Brasil

Duas vitórias e a classificação, mas precisamos melhorar muito.


Foto: Agência Reuters
Apesar da classificação e das duas vitórias, a primeira por 5 x 0 diante de Camarões e a segunda por 1 x 0 diante da Nova Zelândia, muito ainda precisa ser melhorado.

Até agora o grande destaque do Brasil atende pelo apelido de Formiga! A jogadora com maior desempenho nas partidas disputadas. Excelente marcação, movimentação, ajudando muito na defesa, no meio e ainda chegando até o ataque.

Cristiane também está muito bem, chamando o jogo, chutando a gol e se movimentando bem. Sua entrada deu outra cara ao ataque do Brasil. A lateral esquerda pode melhorar e a Ester precisa parar de errar tantos passes.

No mais a Seleção Brasileira não apresenta um futebol vistoso e ainda depende muito dos lampejos de Marta. Está faltando alguém que faça a ligação no meio, assim como falta tranquilidade e qualidade no toque de bola das nossas meninas.

Jogamos na base do chutão e geralmente temos um buraco no meio campo. Jogadoras “mordendo” na marcação, mas mordendo da forma errada. Às vezes vemos três ou quatro jogadoras fechando em cima de uma adversária e não conseguem roubar a bola, que acaba sendo tocada pela equipe adversária e resta às jogadoras brasileiras correr ainda mais para marcar a adversária que recebeu a bola. 

A pressão funciona em alguns casos, mas deve ser feita com inteligência e sempre ter uma jogadora na sobra pra tentar fazer a interceptação do passe e sair no contra-ataque.

Estamos correndo demais e sem necessidade, mas é um preço a pagar pela falta de organização da equipe em campo. Organização essa que não vemos desde os amistosos, e a Seleção apresenta exatamente o mesmo “padrão” de jogo.

Temos um elenco de qualidade, porém precisamos de mais aproximação, trabalhar a posse de bola, criar espaços e fazer passes precisos. Arriscar mais nas bolas de fora da área pode ser interessante, pois apesar de ter boas finalizadoras criamos o costume de querer fazer a tabela, invadir a área adversária e marcar de dentro da pequena área.

Apesar de nossa qualidade, precisamos jogar com mais inteligência e organização, pois se enfrentarmos uma seleção de mais toque de bola passaremos por dificuldades.

Outro aspecto é a tranquilidade que nos falta. Precipitamos o passe, queremos jogar correndo o tempo todo e quem corre é a bola e ainda não mostramos que sabemos disso, e cabe ao técnico perceber todos estes pontos que estão muito claros para todos que acompanham os jogos e passar essa tranquilidade e organizar melhor a sua equipe.

O ouro é possível? Sim, mas precisamos melhorar bastante para alcançar este objetivo.

Não é cornetar. É analisar de forma sensata as nossas atuações! Todos os ligados ao futebol feminino estão na torcida pela tão sonhada medalha e principalmente por mais respeito, investimento e planejamento para o futebol feminino por parte da CBF, independente da cor da medalha. Já passou da hora!

Comentários

  1. Pelo fato delas não terem apoio nenhum do governo (ministério do esporte etc) nem de empresas particulares são vencedoras sempre.
    Andando com as "próprias pernas"
    Vencedoras e campeãs
    \õ/

    ResponderExcluir
  2. Rodrigo, com certeza são vencedoras sempre!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…