Pular para o conteúdo principal

Futebol Feminino - Não se pode mais errar


Ontem a Seleção Brasileira de Futebol Feminino encontrou a derrota em Londres!

O time repetiu a mesma atuação de partidas anteriores. Um futebol pouco coletivo, com falta de proximidade entre as jogadoras e falta de tranquilidade. 

Atuando desta forma irreconhecível, a avaliar pelo que realmente podemos render e pela qualidade do elenco, a derrota era apenas questão de tempo, E VEIO 
NA HORA CERTA.

Perdemos no momento que podíamos, onde ainda podemos aprender e corrigir os muitos e primários erros que vem sendo cometidos.

Não é momento de ser hipócrita e dizer que estamos bem! Não, não estamos bem! Vivemos na esperança da criação e definição de jogadas por parte de Marta e Cristiane, e em um grupo que tem qualidades que somadas podem fazer a diferença, esperar só isso é muito pouco. 

Neste momento cabe a todos (jogadoras e comissão) avaliarem de forma sensata como estamos atuando, o que está faltando e o que pode e precisa melhorar. Depois desta auto análise todas as jogadoras e comissão devem sentar e TODOS, um a um, expor suas opiniões e ideias pra melhorar. Em alguns momentos, se é para melhorar, decisões devem ser tomadas em conjunto.

Essa é a hora de deixar nome, cargo, história, conquistas individuais e tudo mais, de lado. É hora de lembrar de todas as dificuldades que cada uma enfrentou pra chegar até onde estão hoje. Tudo que se ouviu nessa caminhada, todas as vitórias já alcançadas, as derrotas sofridas as reviravoltas e pensar que estar em Londres já é um marco na carreira de todas elas que foram discriminadas pelos próprios "amigos" e familiares, e por uma sociedade e um mundo do futebol que sempre foi e ainda é bastante machista! 

É hora de vencer mais uma barreira! Transformar as dificuldades em união e força pra tentar o tão sonhado ouro olímpico.

Vamos tocar a bola, vamos correr na hora certa, deixar o individualismo de lado e utilizá-lo pra decidir somente em algumas jogadas. Vamos fazer o simples, tocar a bola, aproximar e jogar de forma objetiva.

Vamos cadenciar o jogo, movimentar a bola até abrir o espaço necessário pra penetrar na zaga adversária ou ter a oportunidade de finalizar de fora da área.

Erramos até onde ainda era permitido! Errar agora é dar adeus ao sonho, então é hora de botar a cabeça no lugar e dar o melhor em prol de um objetivo chamado FUTEBOL FEMININO! Objetivo este que não mudará com ou sem o ouro, mas que terá nesta medalha um gás a mais para quem deve realmente cobrar melhorias, e que eles, 90% das atletas e profissionais da modalidade não tem feito!

E neste aspecto também não se pode mais errar!

Comentários