Pular para o conteúdo principal

EUA - Campeão Mundial sub-20 fazendo o simples

Foto: Fifa.com
Na manhã deste sábado a Seleção sub-20 de Futebol Feminino dos Estados Unidos venceram a Alemanha e se consagraram Tricampeãs mundiais.

O jogo resume bem o que acontece no futebol feminino mundial e que nós brasileiros ainda não aprendemos e esse resumo chama-se fazer o simples.

Os EUA venceu a seleção da Alemanha porque fez o que a adversária não conseguiu: jogar o básico do futebol que nada mais é do que tocar a bola, saber se posicionar e não errar fundamentos.

O Japão, que conquistou o terceiro lugar na categoria, também mostra este mesmo futebol de domínio dos fundamentos básicos deste esporte.

É difícil jogar em conjunto, de forma coletiva? Não,  não é!

Essa eficiência e disciplina técnica, física e tática é algo que deve ser trabalhado desde a base. Uma base que já vem sendo trabalhada por Japão, EUA e Alemanha, por exemplo, enquanto no Brasil ainda dependemos do esforço único e exclusivo das atletas. Os trabalhos de clubes são deficientes, assim como os trabalhos a nível de seleção.

Que assistir jogos como estes nos sirvam de aula para nós e que queiramos trabalhar de forma que possamos ser chamados de país do futebol. 

Temos os talentos, mas precisamos trabalhá-los! Precisamos formar novos ídolos para a modalidade, precisamos renovar! Precisamos trabalhar sério para dar oportunidades a meninas que estão aí, espalhadas pelo Brasil e não tem uma chance de brilhar, não tem onde treinar, não tem oportunidades na Seleção e que muitas vezes, mesmo que tenham oportunidades em clubes não tem a felicidade de poder viver dessa sua amada profissão. Muitas abandonam, não por não quererem mais jogar, mas porque nós a abandonamos, nós as desmotivamos e nós enterramos os seus sonhos!

Vamos aprender e trabalhar! Reafirmo que temos os talentos, mas eles sozinhos e somente com o seu suado e valioso esforço não conseguirão os títulos! Elas precisam de apoio e de um trabalho sério!

É simples, basta querer!

Parabéns EUA, Alemanha e Japão pelo trabalho voltado para o coletivo, para a base e para o desenvolvimento da modalidade!

Comentários