Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Futebol Feminino 2013 - e pra quem ainda não me conhece, muito prazer, sou Eduardo Pontes



Eu sei que no fundo, talvez não conte muito acreditar em mim, afinal aos olhos de alguns sou apenas um pontinho d'água no meio do oceano!

Mas o que eu posso fazer é me esforçar de alguma forma e acreditar em mim. Vou dando o melhor de mim e uma hora algo acontece, mesmo que eu saiba que as vezes pareço um sonhador.

Sei que o caminho não é fácil, mas vou seguindo em frente, afinal tudo tem a sua hora!

Eu me sinto na responsabilidade de ajudar na mudança, de recuperar a credibilidade e confiança das atletas no futebol feminino.

E eu me cobro todo dia , eu me revolto, eu me chateio por fazer "tão pouco"! Eu não quero atletas rindo quando se fala em melhorias, eu quero transformar a revolta em esperança!

Me sinto impotente várias vezes, fico mal, recebo umas notícias que se eu pudesse chegaria com o pé na porta e jogaria toda a sujeira com nomes e sobrenomes no ventilador! Posso até estar exagerando, mas talvez poucas pessoas queiram tanto a mudança hoje como ou quanto eu!

Eu não quero que a realidade da modalidade mude por mim, mas por me colocar no lugar de atletas e me preocupar com elas! Por saber o quanto é importante!

E se morrer fizesse tudo mudar do dia para a noite, se este tivesse que ser o preço a pagar, eu não me importaria não!

Não sou tão político quanto deveria, gosto de mão na massa, de fazer, mas se hoje a minha arma é a palavra e a formação de opinião, usarei estas da melhor forma para de algum modo ajudar! E mesmo que seja pouco, vou fazendo a minha parte da melhor forma que eu posso com os recursos que eu tenho, porque não aguento mais ver o "país do futebol" assassinando sonhos e enterrando futuros de tantas meninas e mulheres que só queriam o direito de viver jogando um esporte que no mundo inteiro é respeitado, menos aqui dentro. O futebol das mulheres!

Hoje elas mal sobrevivem e recebo mensagens todo santo dia de atletas que desistiram da luta, não por serem fracas, mas por terem que optar em determinado momento entre o sonho e a sobrevivência, em pagar contas, em ajudar seus pais e constituir família, ou viver quebrando a cara, recebendo pouco, sendo desrespeitadas e vivendo de falsas promessas de pessoas que há anos estão no futebol feminino e nunca mudarão a conduta.

Mas como viver de Futebol Feminino se no Brasil isso não se permite? Por isso eu às entendo e respeito as decisões por elas tomadas, até mesmo quando preferem ficar de boca fechada quando certas coisas acontecem! Não concordo com a postura, mas respeito e compreendo!

Na verdade respeito e admiro cada atleta, das mais jovens às mais experientes que decidiram lutar contra as dificuldades e tentar sobreviver duramente do futebol e do que a modalidade pode oferecer no Brasil!

E nossa entidade de administração desportiva? Essa até então demonstra não se importar com o futebol feminino!

Queria que apenas uma pequena parte dos homens que controlam o futebol no Brasil fossem tão homens quanto nossas "meninas" são mulheres de encarar a dificuldade e continuar lutando mesmo quando, ao que parece, no Brasil desejam que elas desistam de tudo!

O caminho é longo, as dificuldades existe, mas eu NUNCA abaixarei a cabeça e eu NUNCA vou deixar de falar, escrever, ajudar, aconselhar e fazer o que eu puder para mudar! E se eu fizer com que as atletas passem ao menos a se questionar mais e saber o que é certo, o que é errado e o que pode ser feito por elas afim de que algo mude, que seja! Ficarei feliz!

Mas sinceramente não sou conformista, não sou daqueles que aceitam dançar conforme a música! Não sou ganancioso... mas sou AMBICIOSO e se vejo pessoas incomodadas com o que escrevo é sinal de que estou no caminho certo, afinal só se incomoda quem sabe que as coisas estão erradas e que provavelmente estão fazendo as coisas de forma errada!

2013 está apenas começando e pra quem ainda não me conhece, muito prazer, sou Eduardo Pontes e estou aqui para falar sobre e cobrar respeito ao futebol feminino brasileiro!

Comentários

  1. Pois é , Eduardo. Eu sou santista e parei d e ver futedol masculino depois da sacanagem que fizeram no Santos com as Sereias da Vila no inicio do ano passado . Olha que via futebol desde a década de 60 . Acabam com modalidades que não rendem grana pro bolso deles . No Santos , mandaram embora as maravilhosas Sereias prá contratar 420 funcionários ( prá fazer o que , não sei ) . Tens o meu apoio.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…