Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Futebol Feminino: um texto que não precisa de título

Marta Vieira - Eleita 5 vezes a melhor jogadora de futebol do mundo.
Vanessa Pereira - Eleita pela terceira vez consecutiva a melhor jogadora de futsal do mundo.

O que elas tem em comum?
São BRASILEIRAS, e sofrem com as dificuldades do futebol feminino.

É incrível o potencial e a habilidade das atletas brasileiras. Hoje, o mundo reconhece isso, mas o Brasil, um dia chamado de "País do Futebol", nunca se importou com elas: As Mulheres!

Há décadas o futebol feminino brasileiro sofre com a falta de estruturação e planejamento. Não existe uma liga e o único campeonato nacional é a Copa do Brasil onde só os campeões estaduais participam.

No Brasil não há trabalho de base, o trabalho nos clubes é abaixo das expectativas e necessidades, salve raras exceções.

Por parte da federação nacional não há nenhum plano de ação e de desenvolvimento para o futebol feminino, nem junto aos clubes ou junto às federações estaduais. Aqui o que se espera é que os clubes se virem e desenvolvam o futebol feminino sozinhos e aí se der certo, as entidades de administração do desporto vão e então demonstram apoio e se "juntam" aos clubes.

Era para ser o contrário, não!? As entidades de administração do futebol no Brasil (confederação e federações estaduais) deveriam se esforçar para dar aos clubes condições de disputar competições, criar um trabalho, aparecer e aí fazer o futebol feminino ganhar espaço, sendo visto, sendo incentivado por empresas privadas. Mas se isso não existe, como a modalidade vai se desenvolver?

Culpar os clubes, a falta de apoio, a falta de investidores e visibilidade é muito mais fácil do que assumir o erro e reconhecer que a modalidade não se desenvolve porque quem deveria cuidar disso deixa a desejar.

Amigos, é a organização, seriedade e transparência de um trabalho que traz a visibilidade, mídia, apoio, e não o contrário, e isso requer tempo. Até quando, aqui no Brasil, os responsáveis ficarão esperando que a evolução caia do céu e do dia para a noite?

Só o trabalho e o desejo de mudar são capazes de fazer a diferença!

E aí, muitos falam que: "ah, o Brasil não tem a cultura do futebol feminino.". Mas qual a 'cultura do Brasil'? Um país onde QUALQUER ESPORTE SE TORNA POPULAR, desde de que seja feito um trabalho para isso.

O Basquete cresce e ganha novos adeptos, o vôlei já cresceu e continua no topo, o futebol ganha destaque até se organizarem um campeonato de golzinho de rua, o rugby vai ganhando espaço e mídia a cada dia, o beach soccer e o futsal também tem público e visibilidade em qualquer lugar do país, ou seja, se alguém se esforçar e realmente quiser fazer, DÁ CERTO!

Todos os dias eu recebo mensagens, ligações ou e-mails de atletas que me informam: "Edu, estou parando de jogar futebol. O Brasil não me permite jogar e muito menos viver do futebol feminino, então eu tenho que pensar em mim, no meu sustento e de alguma forma no meu futuro." e aí eu me pergunto:  Até quando o Brasil vai interromper sonhos e enterrar futuros de tantas meninas e mulheres que só querem viver do futebol feminino?

É mais fácil ganhar a vida fora do país do que aqui dentro, afinal lá fora existe o reconhecimento e o futebol feminino é tratado de uma outra forma.

No Brasil muito se cobra de "profissionalismo das atletas", mas do que adianta elas terem comprometimento se as entidades e até os 'profissionais' do meio (técnicos, dirigentes e preparadores) não tem atitudes profissionais? Como cobrar postura e ética das atletas se isso é o que nem quem administra o desporto no Brasil tem para com elas?

As periferias estão cheias de meninas que sonham em jogar futebol. São dezenas, centenas, milhares país à fora que tentam e se esforçam até onde dá, mas o que pensar de um país onde atletas que jogam há cerca de 20 anos veem a modalidade da mesma forma há anos e nada muda?

O que fazer em um país onde a atleta não pode ter voz, afinal se ela falar ela sofre represálias e pode ficar até fora de um time ou seleção? O que fazer em um país onde atletas são cortadas por lesão da seleção e a sua seleção não se preocupa em recuperá-la? 

Essa 'culpa' não é das atletas ou do futebol feminino, a culpa é de quem deveria fazer algo e não faz! Manter uma seleção é uma obrigação que um país como o Brasil possui, não é um favor!


Mas apenas 'manter' uma Seleção NÃO BASTA! Tem que planejar, tem que criar oportunidade da modalidade se desenvolver, tem que realizar um plano de ação, captar patrocinadores para O FUTEBOL FEMININO e não para a entidade de administração e aí investir parte destes recursos nas federações dando diretrizes a serem cumpridas e cobrando os resultados. Deve-se fazer parcerias com a grande mídia, jornais, revistas, emissoras de TV, sites de internet e criar um espaço para o futebol feminino aparecer!

"Ah Eduardo, você está falando besteira e não sabe de nada, na teoria é fácil quero ver na prática. Esse tal Eduardo é um piadista e quer aparecer" (e olhem que eu já ouvi muito isso). Poxa, senhores, então problema é o fato de dar trabalho fazer, de não ser tão simples como na teoria? Então se você aí acha difícil fazer algo, por favor, dê espaço pra o profissional ou pessoa que tem vontade e quer fazer!


Meus caros eu li isso hoje em um perfil do facebook e se encaixa super bem nessa situação: "Quer glamour? Então não seja empreendedor. Quer trabalhar pouco? Então não seja empreendedor. Não quer dar satisfação a ninguém? Então não seja empreendedor. (Geração de Valor)", e é bem isso mesmo. Dá trabalho e se você não quer ter trabalho, você está fazendo a coisa errada! Mude de área de atuação e/ou profissão!

Voltando ao foco: Como eu já falei, não adianta esperar os clubes se desenvolverem sozinhos e aí, depois que houver êxito nesse desenvolvimento querer sair na foto e posar de bom moço! Os clubes tem suas responsabilidades na formação de atletas, mas de nada adianta formar atletas se não existe espaço para mostrar o trabalho do clube e dos profissionais que ali estão.

Quem deve criar oportunidades, planejar e desenvolver o futebol feminino é a entidade de administração e hoje no Brasil tem pessoas esperando que seja da forma contrária!

Não há investimento no futebol feminino brasileiro, não há preocupação ou plano de ação. No um dia chamado de país do futebol ainda é necessário ter profissionais de verdade preocupados com a evolução do desporto e não com o desenvolvimento pessoal e individual. 

O Brasil e os responsáveis pelo futebol não se deram conta que as atletas estão ganhando cada dia mais respeito fora do Brasil, e se existe respeito à 'Seleção Brasileira' isso acontece graças ao esforço e ao futebol que nossas atletas demonstram jogando fora do país e até mesmo em outras seleções, afinal elas são valorizadas pelo mundo, mas ainda não são respeitadas aqui no país da 'camisa canarinho'.

E esse respeito que essas guerreiras conquistam lá fora, pelos 'quatro cantos do mundo', está levando o futebol feminino a um caminho de duas escolhas: Aceitar ou aceitar o poder das mulheres que jogam futebol. E em breve, por livre e espontânea pressão só restará abaixar a cabeça, engolir o orgulho e se preocupar em desenvolver o futebol das mulheres que aqui hoje é tratado como um cão sarnento que o dono não quer cuidar e abandona: Se o cão morrer, tudo bem... se o cão se salvar, tanto faz também!

O futebol feminino brasileiro deve reverenciar cada atleta pois são elas que fazem e levam o nome do Brasil, afinal se dependesse somente do que há tantos anos é feito aqui dentro pela modalidade, o futebol feminino já teria acabado e isso o mundo não sabe!

Comentários

  1. No meu ponto de vista o futebol feminino, não vai pra frente por "N" motivos, precisamos realmente de resultados, o futebol é coletivo e não individual, podemos ter as melhores jogadoras do mundo, mas isso não faz o brasil coletivamente ser o melhor, não temos a melhor seleção, ou até temos, mas não sabemos aproveitar, nossa comissão técnica, tanto a antiga como a de hoje é despreparada para tomar conta de uma seleção, ha muita vaidade dentro do fut fem, seja entre jogadoras ou em treinadores de todos os clubes, muitos deles ao inves de ajudar, é mais facil o seu nome ser reconhecido por ter criado um time, do que varios nomes tendo reconhecimento em elevar o nome do fut fem, pq nao se juntam e montam uma liga de fut fem?
    outro ponto interessante, fomos mal nas olimpiadas e no mundial, porque? falta de estrutura? organização ou falta de comprometimendo das atletas?
    na minha opiniao foram todas elas juntas, não quero colocar a culpa em ninguem, mas as meninas do fut fem precisam deixar de lado o lance de se acharem as coitadas do esporte, porque nessas ultimas competiçoes tiveram, estrutura, talvez mais tempo de preparação do que as outras vezes, todas tinham clubes, independente dos campeonatos, a maioria estavam em atividades, seja aqui no brasil ou fora dele,todas já se conheciam, todas recebiam bem e recebem até hoje, então o que faltou? sendo que nas edições anteriores não tinham nada disso e corriam mais, estavam mais preparadas. Temos que parar de pensar que o fut fem vai ser igual o masculino porque nao vai, temos que ser um esporte independente, temos que buscar o respeito, ex do volei, o volei ganhou respeito depois de um titulo, depois que tivermos um, ai podemos cobrar, ninguem vive de vice, ninguem é lembrado no vice, as atletas de mais nome, precisam intermediar sim, ja que elas tem a força dentro desse esporte, mas muitas delas se acomodam," esta bom pra mim entã ta tudo certo"! as categorias de base tem que entender, que ainda não ganharam nada, e que pra fazer a diferença precisam trabalhar muito, e quando elas tiverem essa consciencia, com certeza elas chegarao em algum lugar, precisamos de treinadores que tenham o comando dessas seleções e nao treinadores que são comandados por elas, ai vira bagunça.
    as jogadoras precisam entender que o futebol feminino vive de aparencias e parar de achar que elas são iguais o futebol masculino, com girias, fotos em redes sociais igual aos jogadores e que isso realmente denigrem a imagem do fut, as meninas precisam ser mais inteligentes e usar certos recursos a favor delas e não contra. depois que tudo isso mudar com certeza o futebol feminino vai pra frente!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei quem foi o anônimo, mas concordo com todas as suas colocações! Em outros textos já abordei um pouco destas questões citadas. Infelizmente fica difícil escrever sobre tudo isso em um só texto, senão vira um livro!..RISOS!

      O problema não está só na gestão. Atletas, clubes, profissionais... todos tem sua parcela de culpa e realmente tem muita coisa pra mudar!

      Obrigado por compartilhar aqui seu ponto de vista e opinião!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olha, trabalhei muito no Vasco da Gama para ajudar a erguer a modalidade, quem está de fora acha que lá é o máximo, mera ilusão!
    vou pensar um pouco, logo mais vou relatar o que realmente acontece.
    A visão da atleta, como ela é tratada.
    A condições de trabalho e a aceitação da diretoria.
    até logo mais

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…