Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Marta embaixadora da Copa não faz diferença para o futebol feminino brasileiro

Foto: Júlio César Guimarães/UOL
Marta e mais 5 personalidades do futebol brasileiro foram escolhidos como embaixadores da Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Os embaixadores são Marta, Ronaldo, Bebeto, Carlos Alberto, Amarildo e Zagallo, e foram escolhidos pela Fifa e pelo COL (Comitê Organizador Local da Copa de 2014).


O que muda para o futebol feminino brasileiro em ter um dos seus principais ícones como embaixadora?

Talvez uma pequena menção à modalidade, mas fora isso, se ninguém meter a boca para criticar ou questionar a forma como a modalidade é mantida no Brasil, não adiantará nada.

Ao que parece, Marta terá papel apenas de figurante pela sua representatividade e força que sua imagem tem para o mundo. E não seria isso muita cara de pau do futebol brasileiro?

Muitos podem dizer que foi uma escolha da FIFA e do COL não tinha como ela ficar de fora, mas isso é a mesma coisa que colocar um cidadão comum que sofre com o trânsito todo santo dia para ser embaixador do transporte público! Tanto faz como tanto fez, afinal o cidadão não vai fazer nada e quem o colocou lá não está de fato preocupado com ele.

Posso queimar a língua, mas creio que ter Marta nessa posição não significa nada para modalidade. Bacana para ela e por sua imagem e representatividade, mas se falando de futebol feminino isso e nada tende a dar no mesmo.

Já que essa escolha foi feita, o que a CBF teria a dizer sobre o futebol feminino brasileiro? Dizer não, fazer!

E um planejamento de longa data? E o investimento no trabalho de base? E a aproximação com clubes e as cobranças e investimentos nas federações só para o futebol feminino? E patrocinadores individuais para o futebol feminino, distintos do futebol masculino? Podem até ser os mesmos patrocinadores, mas contratos separados, por favor!

Colocar uma atleta e renomada como embaixadora de uma Copa do Mundo de Futebol Masculino no Brasil, é o mesmo que tirar as mulheres que jogam futebol como bobas e toda a modalidade como palhaços dentro de um circo!

Para muitos pode parecer bacana, mas ao meu ver não é respeitoso com o futebol feminino! Ninguém faz nada pela modalidade, mas agora usa a imagem a atleta? Que beleza (Só que não)!

"Ah, Eduardo, mas com ela vai ter visibilidade do futebol feminino lá fora!" ou "Ah, Eduardo, com a Marta aparecendo o futebol pode crescer aqui dentro!" - caros amigos, que se dane a visibilidade lá fora, isso é o que menos me preocupa! Quanto a visibilidade do futebol feminino aqui dentro, também não muda nada!
Eu quero saber é de investimento aqui dentro, de respeito, de seriedade, de planejamentos, organogramas, metas, trabalho de longo prazo, quero desenvolvimento, quero massificação, dentre tantas outras coisas. É de coisas assim que precisamos!

Visibilidade lá fora já temos, precisamos é que o mundo conheça a realidade do futebol das mulheres no Brasil. Quem vai aproveitar uma coletiva de imprensa aí pra soltar a boca e rasgar o verbo?

Ter uma jogadora de futebol como embaixadora soa como 'Eu uso a sua imagem dentro futebol feminino  para beneficiar o Brasil, mas não faço nada por você, tá bom?!'.

Aí tem gente que vai pensar: "Eduardo, mas a Marta é o que é por causa do Brasil, da Seleção"! - eu mando contar outra piada porque essa foi boa! Afinal a Seleção Brasileira de Futebol Feminino é o que é e tem um certo respeito por conta da habilidade das atletas, e não pelo que o Brasil faz pelas jogadoras.

O que o Brasil faz por nossas jogadoras? Não oferece oportunidades, não permite que as atletas vivam de futebol feminino (uma pequena minoria consegue apenas sobreviver), não permite sonhar, não permite à atleta apenas jogar e estudar para assim ter um futuro digno, não permite que as atletas se aposentem tendo juntado um bom pé de meia jogando somente aqui dentro. Mentira? Que nada, a pura realidade!

Isso precisa mudar! Esse abandono e esse espírito de "tanto faz" não pode continuar! Se um dirigente de futebol "tem o direito" de viver bem por dirigir ou gerir uma entidade de administração, por que as atletas de futebol não tem um direito igual, de viver da profissão que escolheram e que amam? (Não sei se os dirigentes país a dentro amam o que fazem ou amam o status do que fazem, mas as atletas eu sei que amam o que fazem, até porque se não amassem já tinham desistido há muito tempo! Só eu acho que elas tem direitos?)

A verdade é que quando algumas pessoas estão bem elas pensam: "pra que me preocupar com os outros?" e sendo assim, por que um dirigente iria se preocupar de verdade com isso? Será que existe mesmo preocupação com o futebol feminino por parte das nossas entidades de administração (federações nacional e estaduais)?

Vocês atletas e profissionais do meio, as coisas melhoraram nos últimos 20 anos e chegamos a um nível satisfatório? (não eu não estou de brincadeira..haha... não foi uma piada e sim uma pergunta séria)

Se existe preocupação e foco na melhoria, por que nossas atletas continuam tendo que jogar fora do Brasil pra tentar gerar uma renda e poder guardar um dinheirinho pensando no futuro? Se houvesse uma expectativa de futuro melhor aqui dentro por parte delas, muitas não sairiam do país certo?

Enfim, na situação que a modalidade vive há tanto tempo, ter a jogadora cinco vezes melhor do mundo como embaixadora parece ser uma piada com o futebol feminino brasileiro, e de muito mal gosto!

Comentários

  1. Opa Eduarodo,muito bom esse post.Podemos dizer que Marta sendo embaixadora do Brasil da Copa do Mundo de 2014 tem um mesmo sentido do que quando Patricia Amorim foi escolhida para ser chefe da delegação da seleção feminina nas Olimpíadas de Londres:nada vai mudar,isso é apenas algo simbólico creio eu...enquanto isso,o Brasil tem poucos amistosos marcados nesse ano,A CBF permanece sendo ineficiente no tratamento e desenvolvimento do futebol feminino,tanto na base como no profissional,falta mais pressão sobre ela,ora o ministério dos esportes não pode ''cutucar''a cbf E AMBAS(principalmente esta)atuarem no desenvolvimento da modalidade,atraindo mídia,patrocinadores?creio que sim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, exato! Quanto a CBF, ela faz o possível para dificultar as coisas e não deixar ou receber ajuda! Situação bem complicada!

      Excluir
  2. Eduarem do Pontes, tem razão em reconhecer a falta de patrocinio ao FF pela CBF. Mas a tua posição sobre a Imagem da Marta como "piada" ou apenas figurante como embaixadora não concordo. Se não tivesse representante do FF todos estariam reclamando. A Marta é importante, e deve a sua postura como verdadeira jogadora, se ela é o que é deve ao seu esforço. Niria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Niria, não é a imagem da Marta que é uma piada, tanto que ela é "só" 5x melhor do mundo. A "piada" está em colocarem a atleta como representante quando o país não dá suporte à modalidade. Mas espero que essa escolha reflita um ar de mudança nessa postura do país e da nossa administração esportiva, e que comecem a apoiar o futebol feminino de verdade.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…