Pular para o conteúdo principal

O Rio de Janeiro não está tão bonito como nos comercias. Problemas existem!

Bem vindos ao Rio de Janeiro, cidade Olímpica e uma das cidades da Copa do Mundo de 2014, além de ser um lugar marcado por suas belezas naturais.

Essa é a impressão de quem vem ao Rio de Janeiro. Lindo o estado realmente é, porém alguns problemas são cotidianos e hoje cedo eu passei mais uma vez por um destes e resolvi relatar..

A caminho do trabalho, vindo da zona oeste  ela conhecida avenida Brasil, me deslocava rumo ao centro do Rio de Janeiro, assim como milhares de carioca no desafio matinal de chegar ao seu trabalho, em sua escola, faculdade ou compromisso. 

Utilizo a palavra desafio porque é assim que os cariocas que dependem de chegar ao centro do Rio de Janeiro se sentem todos os dias, desafiados a conseguir. E não é somente quem quer ir ao centro, mas tem muitos outros lugares da cidade assim.

Copa e olimpíada ainda não começaram, mas o carioca treina forte todos os dias fazendo corrida de obstáculos, maratonas de horários, o jogo do momento 'piotation desvie dos "cracudos" (usuários de crack)', pique não deixe o menino cheirando cola te pegar no centro do Rio, esportes de força aguentando a super lotação do transporte público, e outros relacionados às dificuldades como o nosso problemático trânsito. Seria cômico se não fosse trágico.

Enfim, em meu trajeto, que de ônibus deveria levar cerca de uma hora e dez minutos, até o centro, levei quase quatro horas e quarenta minutos. É amigos, é verdade!

Ao chegar na altura do elevado da perimetral e ali por baixo seguir rumo a rodoviária Novo Rio, localizada às margens da avenida Francisco Bicalho, o normal: um engarrafamento, fato que é cotidiano do carioca em quase qualquer horário em que ele passa por aquele local.

Eu e meus companheiros de corrida contra o tempo, querendo chegar no trabalho no horário correto ou conseguir cumprir seus compromissos, seja lá quais fossem, ficamos uma hora e vinte minutos parados praticamente no mesmo lugar. O ônibus se deslocava poucos metros e então decidi descer e ir apé até meu trabalho, que fica bem próximo do prédio da Prefeitura do Estado do Rio de Janeiro.

Durante a minha caminhada de aproximadamente 3.100 metros resolvi registrar algumas cenas do que estava acontecendo, que é tão normal, mas que não é mostrado para o mundo ver. Aquele Rio de Janeiro que só o carioca conhece, e como conhece!

Vale observar que os rostos das pessoas e algumas placas de veículos mais visíveis foram borradas para não expôr os proprietários e sua imagem, afinal já passamos muita vergonha com o que vemos na cidade todos os dias e isso já basta!

Vamos às fotos: 

1- O Trajeto: As setas em vermelho no mapa representam o trajeto que fiz, e que representa um dos piores trechos do trânsito do centro do Rio de Janeiro.

Imagem: Google Maps/Edição: Eduardo Pontes

2- Trânsito completamente parado sob o elevado da perimetral. Cotidiano carioca praticamente em qualquer horário: 
Foto: Eduardo Pontes

3-Pessoas descendo dos ônibus e indo a pé, pois se tornou mais rápido. É parte do treinamento diário carioca:
Foto: Eduardo Pontes

4- Quem quer cumprir horários e compromissos ou ao menos não chegar atrasado tem que caminhar rumo ao local em que desejam chegar. Na curva no fundo da foto, a Rodoviária Novo Rio:
Foto: Eduardo Pontes

5- Passando pela Rodoviária, o trânsito continua congestionado:

Foto: Eduardo Pontes

6- Percebam  não é apenas na parte de baixo do elevado. Os carros que descem do elevado após a rodoviária também se deparam com o teste do carioca: O de Paciência:
Foto: Eduardo Pontes
Confesso que tenho vergonha ao ver os comerciais que falam das belezas e das melhorias do Rio de Janeiro visando os grandes eventos que estão por vir. "O Rio está ficando bom...".

É, o Rio está ficando tão bom que os pontos de enchentes, os pontos de assaltos, concentração de menores e moradores de rua, usuários de entorpecentes como cola de sapateiro e crack, são os mesmos há décadas.
Tudo isso sempre esteve ali! A marginalidade, a violência, as casa que deslizam dos morros quando chove, os hospitais lotados e a corrupção são reflexo de algo que já estava ali, mas que alguns viram e nada fizeram, e como um "fungo" encontrou o lugar ideal para crescer sem ser incomodado e com as condições ideais para seu desenvolvimento. Não, não é exagero! É uma realidade que poucos tem estômago para aceitar! Essa realidade existe... ela sempre existiu!

Olhem este problema do trânsito que segue da avenida brasil/perimetral até a avenida Presidente Vargas. O "nó" de carros acontece por conta de "agulhas" onde motoristas que vem das pista da direita entram para a esquerda, seguidas de outras agulhas onde os motoristas que vem da esquerda querem ou precisam entrar para a direita. Isto é bem básico e facilmente perceptível, e eu me pergunto: Como alguns se gabam de estarem sendo realizadas obras tão grandiosas no estado, das quais os envolvidos enchem a boca para falar e noticiam até mesmo na TV, se não são capazes de organizar um "simples" problema de trânsito?

Como podemos nos gabar de ter "O Carnaval", um dos maiores e mais belos espetáculos do planeta, se no entorno do Sambódromo, durante o evento, haviam dezenas de jovens cheirando cola e praticando diversos furtos contra os mais desatentos, e isso inclusive em um ponto de ônibus bem em frente o prédio da Prefeitura do Estado?

Como alguns tem a coragem de dizer que o Rio está crescendo, ficando mais bonito, se a cracolândia, situada às margens da principal via da cidade, a Av. Brasil, cresce a cada dia? Na verdade não seria isto uma comprovação de que apenas está sendo mostrado aquilo que é interessante mostrar? Ou que o mais importante neste momento é ganhar dinheiro com as obras e investimentos na Cidade Olímpica que virou um banco imobiliário de gente grande?

Infelizmente o que temos são muitas perguntas sem respostas e muitas coisas que visivelmente precisam ser melhoradas. Mas são interessantes pra alguém?

O Rio de Janeiro pode até ser a cidade da Copa e da Olimpíada, mas também vem se tornando a cidade da maquiagem, da especulação imobiliária e de problemas sociais claros.

Enquanto alguns lucram com obras e investimentos, a população sofre com a realidade diária de enfrentar transportes públicos lotados, trânsito cada dia pior, filas de espera e problemas na área da saúde, além da visível queda da qualidade de ensino que nossos jovens tem hoje. Falta cultura, falta esporte, falta muita coisa! Mas o povo, que há décadas é educado a nada ter ou ter muito pouco, se contenta com qualquer migalha de falsa melhoria!

Este "ditado" que me foi citada por um amigo de trabalho resume e se encaixa muito bem na situação: "Você está com fome, eu posso te pagar um churrasco da melhor qualidade, mas pra que eu farei isso se posso te pagar um macarrão com salsicha e você vai lembrar de mim do mesmo jeito?!". Falta tanta coisa que o povo acaba se contentando qualquer coisa.

Não sei pra quem o Rio de Janeiro está ficando bom, mas posso afirmar com certeza que até o momento não é para mim!

Comentários

  1. Uma das coisas que se fala quando se pensa em grandes eventos esportivos é o legado que ficará para a população das cidades. O que restará para a população carioca? Obras de infraestrutura que maquiam os problemas e são “coisas pra inglês ver”? Lembro que no PAN 2007 havia faixas exclusivas para o trânsito de delegações, enquanto a população se espremia nos engarrafamentos nas outras faixas. Feriados e outras ações são paliativos para as cidades que, por causa da má gerência do aparato público, não conseguem chegar a um nível de desenvolvimento à altura da população que habita a cidade!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!