Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Futebol Feminino:Talento brasileiro que é sucesso no exterior - Mariana Brito Neves, a Mary Person.

Foto: Arquivo pessoal da atleta
Ela é natural de Mogi Guaçu, município da cidade de São Paulo. Conhecida em sua cidade natal, mas uma "desconhecida" para o futebol feminino brasileiro, Mariana Brito Neves, a Mary Person é conhecida, admirada e respeitada no futebol feminino dos Estados Unidos.

Jogadora de habilidade, inteligência e personalidade, faz bom uso das palavras, das ideias e de seu futebol, e decidiu assim como outras brasileiras em conciliar o esporte com o estudo de qualidade fora do país, uma vez que aqui não existe muitas oportunidades em um cenário onde o futebol feminino ainda caminha e luta por reconhecimento e aceitação até mesmo da entidade de administração de futebol do país.

Tive o prazer de fazer algumas perguntas à ela, Mary Person, para saber um pouco mais sobre ela, o que pensa e o que vive no mundo do futebol.


EP (Edu Pontes) - Como o futebol aconteceu na sua vida?
Mariana - Minha família sempre incentivou a prática esportiva. Minha mãe sempre gostou muito de futebol e meu pai foi goleiro. Mas comecei a gostar mesmo quando assisti a minha primeira Copa do Mundo (1990) e ali me apaixonei pelo Maradona.
EP - Quais os clubes onde passou e onde está jogando atualmente? 
Mariana - No Brasil posso dizer que me fiz jogando futebol de salão e aí fui meio que cigana da bola. Joguei em times pelo interior de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná. Tive uma breve passagem no futebol de campo pela equipe AJA- Jaguariúna e em seguida já me transferi pros States. Aqui estou indo pra minha 5° temporada,no meu terceiro time. (2009-2010 Cochise College, 2010-2012 NMHU e desde agosto de 2012 até o presente momento no Goshen College).


EP - Pra você qual a importância dos estudos na vida de uma jogadora de futebol?
Mariana - O estudo é válido e importante na vida de qualquer pessoa,independente do segmento de vida dela. Acho que na condição de atleta é ainda mais importante,porque os atletas estão ainda mais vulneráveis em questão de direitos como FGTS, aposentadoria. Infelizmente hoje é normal saber de jogadores de futebol que dedicaram uma vida inteira ao esporte e que hoje passam dificuldades, porque não estudaram ou não se deram conta que uma hora o corpo pede arrego. O futebol será algo que vai permanecer comigo a vida toda,mas eu tenho consciência de que não serei jogadora pra sempre. É preciso ter algo que te dê uma segurança no futuro e o estudo é chave pra isso.

EP - No Brasil você ainda é pouco conhecida, mas nos EUA você é referencia. Como é isso pra você?
Mariana - Eu nunca tive a pretensão de ser famosa ou qualquer coisa desse gênero. É até um pouco estranho pra mim quando me abordam com esse tema de "que eu sou referência". Mas inegavelmente hoje eu percebo um interesse maior das pessoas para comigo e eu acho bacana. É legal saber que eu consegui me tornar a mulher que eu queria ser quando criança.

EP - Gostaria de jogar na Seleção Brasileira?
Mariana - Muito,quem não?! A verdade é que se você tem amor pelo o que você faz, você sonha com isso todos os dias. Poder ter a chance de chegar à esse momento seria a cereja do meu sundae. Mas eu sei que preciso trabalhar muito pra conseguir alcançar essa meta.

EP - O que levaria do futebol feminino dos EUA para o Brasil?
Mariana - Eu não vou me isentar dessa resposta.Levaria tudo. Mas é preciso esclarecer que esse tudo diz respeito a organização,a estrutura, o respeito, a disciplina e ao trabalho que é desenvolvido aqui. Em relação à jogadoras eu acredito que o Brasil ainda dispõe das melhores. O que falta é essa soma de fatores que citei à cima.

EP - As pessoas falam que você está sempre bem vestida. O que você tem a dizer sobre isso?
Mariana - risos (tímida) Ah eu fico feliz, e acho engraçado na maioria das vezes. Não sei porque as pessoas tendem a achar que só porque eu sou jogadora de futebol, eu irei aparecer de calção e chuteiras em todo lugar. Nunca vi as pessoas acharem isso de uma bailarina por exemplo. 

EP - Quais são seus ídolos na vida e no esporte?
Mariana - Eu me sinto uma privilegiada de poder dizer que a minha maior inspiração é a minha mãe. Pessoa de suma importância na minha vida, tudo o que eu vou fazer ou decidir eu penso se seria do agrado dela ou não que eu fizesse. Dentro do esporte gosto muito da Daiane dos Santos, vibrei muito com o Guga mas ainda acho o Senna imbatível nesse quesito idolatria. Como figura pública na minha opinião o maior de todos é o Mandela,acho que dificilmente alguém deixará uma história tão bonita quanto a dele.

EP - Como você espera ver o futebol feminino no Brasil dentro de alguns anos?
Mariana - Espero que em breve o futebol feminino deixe de ser promessa, e que realmente seja aceito e praticado com dignidade no Brasil. Mas acredito que essa mudança só será possível com a mudança de postura das próprias jogadoras. Nós jogadoras que estamos na ativa agora, temos por obrigação lutar e reivindicar por um espaço maior. Para que as próximas gerações de jogadoras não precisem passar pelas mesmas dificuldade e descaso que a grande maioria de nós sofreu.

EP - Você tem uma agência de intercâmbio esportivo para atletas que queiram jogar e estudar no exterior - a Step Up Sports Management. Como surgiu esta ideia?
Mariana - Surgiu da minha própria história dentro do futebol. Da dificuldade em se conseguir um time, do descaso alheio e da minha vontade em tentar mudar isso ao me redor. Fico feliz em saber que hoje posso usar a minha própria bagagem de vida pra ajudar a realizar o sonho de terceiros.

EP - O que tem a dizer sobre a experiência de jogar e estudar fora do Brasil? Você recomenda?
Mariana - Foi sem dúvida nenhuma a decisão mais acertada da minha vida. Sou muito agradecida a oportunidade que eu tive de poder vivenciar isso. São quase 5 anos de uma experiência de vida sensacional. Poder jogar e estudar aqui, estar diariamente em contato com pessoas de outras nacionalidades e culturas me despertou pra novos horizontes. É uma experiência realmente riquíssima e que vale muito a pena.

EP - Se não fosse jogadora de futebol, o que seria?
Mariana - Com toda convicção do mundo:  seria esquizofrênica (risos). Eu nunca tive um plano B. Sempre me vi como jogadora de futebol, nunca me imaginei sendo outra coisa. Fico realmente feliz em saber que consegui chegar aonde sempre sonhei.

EP - Que frase leva com você pra toda vida?
Mariana - Eu acho que depende muito do momento em que eu estou vivendo. Difícil pensar em uma única frase. Existem duas que eu acabo repetindo sempre e viraram uma espécie de mantra. A 1° é :  "A criança que você foi,se orgulharia do adulto que você se tornou?" e uma passagem bíblica que diz:" Porque nós sabemos, que o sofrimento produz perseverança, a perseverança o caráter, e o caráter esperança." Romanos 5:3-4

EP - O que tem a dizer aos seus fãs e seguidores da sua página oficial no facebook?
Mariana - Eu quero aproveitar o espaço e realmente agradecer de coração a todas as pessoas que me deixam mensagens de carinho,conforto e admiração seja por todas as redes sociais que eu costumo usar. Realmente faz a diferença, descansa meu coração saber que existem pessoas que realmente torcem e se importam conosco, sem contar que essa vibe toda dá aquele gás que falta em muitos momentos.


Foto: Arquivo pessoal da atleta


Aos interessados segue os links da página oficial da atleta no facebook e a página da sua empresa:


Página oficial no Facebook:  www.facebook.com/MarianaBritoNeves

Página de sua empresa de intercâmbio esportivo: www.facebook.com/pages/Step-Up-Sports-Management/394372960637876?fref=ts

Comentários

  1. Essa é a verdadeira mulher brasileira, guerreira de verdade, gostei muito da história da Mari, que continue assim e que possamos ver ela na seleção para desfrutar um pouco desse futebol ! rs. :)

    ResponderExcluir
  2. Tomara que eu consiga realizar o meu sonho de ver a minha idola Mary Person na seleção,ela joga de mais e tbm é muito guerreira e determinada,
    #EternamenteMaryPerson.

    ResponderExcluir
  3. Esse carinho que eu venho recebendo fora de campo, é o que me faz querer estar dentro dele.Brigada pelo carinho,torcida e respeito sempre. Deus abençoe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…