Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Santa hipocrisia no Futebol Feminino brasileiro.


Jogadoras e profissionais do meio vivem falando que a modalidade precisa mudar, que precisa de profissionalismo e tantas outras coisas.

Mas do que adianta querer ver mudança e não mudar também?

Do que adianta querer uma modalidade forte se nem jogadoras nem profissionais conseguem se unir em busca do que é melhor pro Futebol Feminino?

Enquanto cada um pensar em seu benefício próprio, em beneficiar amigos, amigas, namoradinhas, paquerinhas... Enquanto um profissional ficar tentando tomar o lugar do outro ou jogadoras fizerem várias coisas pra se beneficiar em cima de pessoas e situações, nada vai mudar.

Santa hipocrisia no futebol feminino brasileiro.

Tem a banda certinha sim, mas tem uma quantidade enorme de gente que faz errado e ainda tem a cara de pau de dizer que o sistema exige isso.

Galera, caráter e essência são algo de cada um e que só os muda quem quiser mudar.

E tem gente que se ofende quando lê isso e fala que a gente não sabe de nada, não conhece ou não entende. Não precisa se doer. Mudar é mais importante!

Querem pensar cada um no próprio umbigo? Então pensem nas merdas que andam fazendo por ai!

Cada pessoa do meio sabe muito bem o que faz, o que fez, o que deixa de fazer, onde errou, onde acertou e onde se arrepende.

Chega de "O futebol não muda", "a entidade tal não cuida", "ah, o governo não faz nada"... se a modalidade mudasse hoje, com a forma de agir e de pensar das pessoas algo mudaria?

Entendam que a mudança tem que vir de cada um e cada uma!

E eu defendo que uma renovação de pessoas vai ser necessária, tanto de profissionais quanto de atletas, porque tem gente que se preocupa só consigo e estão tão acostumados a fazer de tudo pra ganhar, vencer ou subir A QUALQUER CUSTO que esses eu acho muito difícil que mudem.

Mais uma vez... quem faz o certo CONTINUE. E os demais, reflitam bem enquanto mudar ainda é uma opção.

No futebol feminino, enquanto aceitar e se satisfizer com qualquer porcaria, qualquer migalha e com tantas coisas e comportamentos errados NÃO VAI MUDAR.

Eu sei dos prós, contras, benefícios e malefícios que podem afetar cada um. Eu penso nisso todo dia. Coloco no papel, analiso, comparo, procuro alternativas e sempre chego no mesmo lugar.

MUDAR É PRECISO!

Mudar pra ter dignidade na profissão enquanto ainda se está em atividade, mudar pra que as próximas gerações possam se beneficiar e ter aquilo que as de hoje não tiveram, mas gostariam. E também para abrir todo um novo e extenso leque profissional para as jogadoras que não tem a menor ideia do que fazer quando abandonar os gramados.

Vocês se dão conta que se vocês começarem a mudar a tendência é que mude para todos e pra melhor? Ou será que ainda estão só preocupadas em mudar pra melhor pra si?

Cadê a união? Cadê a vontade de fazer a modalidade crescer? Cadê o que lhes motiva à ação?

Estou falando de união de verdade e não dessas rodas de falsa amizade onde na frente diz que ama e está junto e pelas costas fala mal, critica, mente e prejudica!

Isso ai não é união nem amizade!

Está mais do que na hora de acordar, de fazer e DE SER DIFERENTE. Dizer que quer mudança, não se mexer e não mudar as suas atitudes não significa medo do que pode acontecer e sim hipocrisia de querer e não fazer nada.

Mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira.

Está na hora de acordar e principalmente de mudar de comportamento. Na hora não! Já passou e muito da hora!

E que fique claro que não estou dizendo em nenhum momento que tudo isso é moleza de mudar, porque não adianta que 30 anos de comportamento inapropriado não serão corrigidos em 30 dias. Mas se o comportamento não começar a mudar agora, vai mudar quando?

Querem esperar mais 30 anos?

Eu sinceramente não quero esperar!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…