Pular para o conteúdo principal

E o juiz apita o fim do jogo: Este blog chegou ao fim.

Brasil - Por que não assinar em público um acordo para a modalidade?


Vou falar aqui, pra variar, de temas que muitos acham polêmicos mas que acho que são importantes para esclarecer ou despertar o senso crítico das pessoas sobre o futebol feminino.

Planejar e pensar em um trabalho de Seleção Brasileira sem dúvida é importante. Porém, pensar e trabalhar somente as Seleções não contribui em absolutamente nada para o desenvolvimento do futebol feminino nacional como um todo.

Tenho batido e continuarei a bater nesta tecla! Quem trabalha com esporte e acompanha o futebol feminino e até mesmo outras modalidades sabe que uma seleção nada mais é do que o reflexo de uma modalidade bem estruturada e pensada desde a sua base.

É preciso pensar em todas as atletas, em todos os estados, em todos os clubes, em todas as categorias. É preciso muito mais do que vem sendo feito.

Trabalhar só uma seleção torna o trabalho incompleto e beneficia apenas algumas atletas e alguns clubes.

Esta atitude acaba sendo vista como uma forma de maquiar a situação de uma modalidade, pois uma seleção é a forma mais fácil de mostrar que se está fazendo algo.

Como já disse o trabalho com a Seleção é importante, mas ineficaz para a modalidade no país se não é pensado de baixo para cima. E sem ofensas, mas o que muda a situação da modalidade: Convocações, seleções, ou um trabalho básico de fomentação do futebol feminino?

Fomentar é promover o progresso da modalidade, e sem pensar em atletas, base, clubes, estados, competições e outras questões o que se faz é apenas um trabalho de "tapar buracos".

Quando surge uma competição onde o país deve ser representado por sua seleção são realizadas convocações onde o que é feito acaba sendo um trabalho "emergencial" para ter um grupo pronto para disputar aquela competição.

Muitas atletas chegam à seleção sem saber posicionamento tático, sem domínio técnico satisfatório assim como sem a condição física esperada. Por isso é comum vermos, em muitos casos, as listas com aqueles mesmos nomes e isso é a mais clara evidência de que a modalidade não está desenvolvida.

Não critico a forma de convocação, mas a estrutura que faz com que no país apenas alguns clubes e algumas atletas tenham condições ou sejam vistas para vestir a camisa da seleção.

A falta de novos nomes na seleção é devida à falta de observação que é consequência dessa falta de estrutura.

Outro fator claro de que a modalidade está longe do ideal é termos atualmente seleções/peneiras estaduais realizadas pela Entidade de Administração do Desporto, que está diretamente relacionada à falta de processo claro e justo de observação de atletas. Se você não tem estrutura de base e principal, se não tem competições, você não tem como observar todas as atletas e clubes que deveria!

Essas peneiras também são muito importantes! Porém sem estrutura, não resolvem nada e beneficiam (quando beneficiam) alguns poucos clubes e talentos.

Acho que se formos ficar ligando uma coisa à outra, facilmente observaremos as situações de causa e efeito de tudo que acontece no futebol feminino do país.

O mais triste é que profissionais e atletas tem total noção disso, mas muitos fazem de conta que não veem e preocupam-se mais com "o seu próprio umbigo" do que com a modalidade. 

Em nenhum momento afirmo que o trabalho da seleção é ruim. Apenas que ajuda a seleção e só. Talvez o foco da administração do futebol brasileiro hoje seja o menos produtivo para a modalidade.

E sabendo que esta mesma entidade de administração da modalidade tem criado dificuldades em relação ao futebol feminino nos bastidores, parece que a intenção não é desenvolver o futebol feminino nacional.

Se a intenção desta instituição é realmente fazer a modalidade crescer, deve se atentar pois o futebol feminino está no caminho completamente contrário da evolução. Todos sabem que é preciso fazer diferente, mas no Brasil quem questiona e critica mesmo de forma construtiva é tido como inconveniente e visto com maus olhos e talvez por isso tantas pessoas estejam hoje nos bastidores criticando muitas situações da modalidade, mas sem coragem de falar por medo do que pode acontecer caso se fale publicamente destes assuntos.

Se existe realmente a intenção de fazer o futebol feminino evoluir, por que não realizar a assinatura de um acordo com o Ministério do Esporte, com a presença de um representante da Conmebol e da FIFA como testemunhas de um acordo que favoreça o futebol feminino nacional?

Será que a administradora do esporte nacional teria esse ato de boa vontade em prol do futebol feminino?

Hoje qualquer ato contrário ou resistente a um acerto produtivo, qualquer briga ou queda de braço desnecessária por parte de quem administra o futebol brasileiro com o Ministério do Esporte ou com qualquer outra pessoa ou instituição que queira apenas ver a modalidade caminhando para dias melhores é a resposta clara da pergunta em questão!

Estamos estacionados há mais de 3 décadas e este é o sinal claro de que falta algo para a modalidade, seja boa vontade ou capacidade de sua administração em fazer a diferença! Temos sinais claros de que a gestão do futebol feminino precisa de ajuda, afinal não se pode acreditar que o fato de uma modalidade não se desenvolver seja intencional. Ou se pode?

A única resposta à altura para todas estas perguntas que estão sendo feitas e vão ganhando força nos bastidores é aceitar parcerias, assinar acordos em prol do futebol feminino. Não aceitar coloca a administração da modalidade em xeque.

Existe ou não o desejo da administração do esporte nacional em fazer o futebol feminino crescer? Acredito que em breve iremos descobrir!

Comentários

  1. Ai esta a questão! Fico me perguntando. Se há tantas meninas talentosas, em busca de sonhos, da mesma forma que é no masculino, por que as entidades nao dao valor? para mim o retorno seria o mesmo. E assim a seleção teria também uma melhora, sem convocaçoes emergenciais!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião, dúvida ou sugestão! Um abraço, Edu Pontes!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…