Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

EMPREENDEDORISMO no ônibus x FUTEBOL FEMININO

Hoje eu peguei um ônibus que raramente eu pego para vir trabalhar. Eis que me deparo com um motorista de uma determinada linha do RJ que há cerca de uns 3 meses conheci quando peguei o ônibus que eu nunca pegava, pois estava com pressa de chegar no trabalho neste dia.

Enfim... 3 meses atrás este motorista estava vendendo bolo durante sua carga diária de trabalho no volante do busão! Quando conversei com ele na época ele informou que estava começando nesse negócio para tirar um dinheirinho extra. E eu comprei o bolo e provei que é realmente muito saboroso!

Como a passagem do frescão custava na época R$8 reais, ele colocou o preço do pedaço de bolo por R$ 2 reais e assim ia ganhando um dinheirinho com a fome das pessoas no trajeto e nos engarrafamentos entre os extremos da cidade.

Hoje quando reencontrei o "piloto" perguntei como iam as vendas. Ele feliz respondeu que muito bem e que agora tem variedade! Antes ele oferecia aos consumidores apenas 1 opção de sabor, e hoje ele o…

Quantas atletas não conseguem chegar por falta de oportunidade?

Hoje é dia de futebol feminino no site VoaGoleiro.com. Lá eu escrevo toda quinta-feira sobre a modalidade!

O tema de hoje é: Quantas atletas não conseguem chegar por falta de oportunidade?

O texto faz uma comparação entre a judoca Rafaela e tantas mulheres do futebol feminino.

Uma abordagem que serve para todos os esportes, independente do gênero!

Acessem lá e comentem!


FUTEBOL FEMININO - Pequenas ações podem fazer a diferença

Fiquei feliz em saber que uma jovem e talentosa atleta está voltando aos gramados após ter se "aposentado" pela falta de oportunidade e decadência do futebol feminino no Rio de Janeiro.
No Rio de Janeiro muitas atletas de talento, inclusive atletas com passagem por seleção brasileira, param de jogar entre os 18 e 22 anos.
Existem ainda muitas atletas de 14 a 30 anos que nunca tiveram oportunidade de disputar um campeonato carioca, por exemplo. O número de atletas espelhadas pelo estado é enorme, e grande parte dessas em regiões carentes e poderiam ter no esporte uma oportunidade de mudança de vida.
Onde está a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro? Onde está a preocupação dos clubes e seus profissionais em mudar a situação do futebol feminino carioca?
É importante que os clubes e profissionais trabalhem para si e para seus resultados (a nível de clube), mas pensar somente em si não desenvolve o futebol feminino no RJ. Os clubes tem que pensar em si e em seus resultados…

Trabalhar com esporte é uma arte e nem todos os treinadores e profissionais do desporto são artistas

Talento e habilidade, se utilizados da forma errada, tornam um (a) atleta tão ineficiente quanto um atleta que faz o básico dentro do seu esporte.

Habilidade deve ser utilizada com inteligência e não em qualquer momento de um jogo de futebol, por exemplo.
No caso do futebol feminino, canso de ver meninas talentosas que apesar do talento individual ainda tem MUITO a melhorar. Em campo durante treinos e jogos, são impulsionadas por gritos de profissionais que falam "Pega a bola e bagunça todo mundo" ou aos berros de "você joga pra CARA#&%$", "Tu é FOD#" e outros. Que lamentável!
Cada dia mais vejo meninas que acham estar no nível de uma Marta, Lloyd ou Sinclair, mas que não passam de meninas habilidosas que talvez venham a ser aspirantes a jogadoras de futebol de sucesso.
Muita gente vai ficar estarrecido, chocado ao ler isso, mas é a mais pura verdade.
Habilidade sem inteligência e sem humildade não são nada. 
Se é para ter uma atleta que tem muita hab…

Mensagem à CBDU, o papel das Federações e o Esporte no Brasil

Na noite de ontem, segunda-feira (12/08) enviem uma mensagem à Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU) onde fiz uma proposta em relação aos critérios de convocação de atletas.
"CBDU Brasil, gostaria de propor que houvesse uma regra para convocações de atletas para as seleções universitárias. 
Para o(a) atleta de fato estar "elegível" à convocação este deve não poder ter menos de 3 meses matriculado e a matricula estar ativa por valor de tempo mínimo igual.
Seria um critério justo, acredito. Afinal está difícil saber qual o real critério utilizado hoje em dia, mas sei que não existe padrão no que diz respeito ao tempo mínimo necessário que o atleta deve ter como aluno ATIVO de curso superior.
Este tipo de critério evitaria que atletas fossem matriculados em universidades com a finalidade única de disputar competições oficiais representando o país e seria também uma forma de incentivo de então as instituições de ensino junto com a CBDU desenvolverem pr…

FUTEBOL FEMININO: Feliz dia dos pais!

FUTEBOL FEMININO: Quem gerencia a modalidade?

Brasil - Temos atletas, temos talento, temos habilidade, mas é evidente que falta o essencial para qualquer modalidade crescer: GESTÃO.
Há décadas nada muda no futebol feminino, nem mesmo as desculpas esfarrapadas de quem deveria desenvolver o desporto no país.
Como o futebol masculino evolui, mas o futebol feminino continua praticamente na estaca zero? Difícil entender esta diferença uma vez que quem gerencia o futebol masculino é a mesma Confederação que cuida do feminino.
Em um país onde sua constituição diz que "homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações" é estranho ver que no futebol brasileiro homens e mulheres tem direitos  completamente diferentes.
Como justificar o não investimento no futebol feminino? É falta de mídia, é pela falta de espaço no Brasil?
Curiosamente outras modalidades esportivas crescem tanto no gênero masculino quanto no feminino graças a intervenção e planejamento de suas Entidades de Administração Desportivas (EADs) que são as suas Co…

BRASIL: Quanto de cada contrato de patrocínio vai para o Futebol Feminino?

Recentemente, em um evento nos bastidores do futebol feminino brasileiro na tentativa de um acordo para desenvolver a modalidade, dirigentes da administradora do desporto nacional disseram que o Futebol Feminino vai como brinde aos patrocinadores da Seleção. Ainda foi afirmado que o futebol feminino só dá prejuízo.


Então eu pergunto: 

1 - Os patrocinadores oficiais sabem que financiam só o futebol masculino apesar de suas marcas estarem associadas ao futebol feminino?
2 - Como afirmar que a modalidade só dá prejuízo se você, em teoria, "dá ela de brinde" aos patrocinadores? 3 - Quanto de cada patrocínio é voltado para o futebol feminino?


O Futebol Feminino brasileiro deveria ter um portal de transparência onde ficaria claro quanto é investido na modalidade, quanto é gasto e com o que é gasto na modalidade, dentre outras questões.
Outra pergunta curiosa é: como a mesma entidade gerencia tão bem o futebol masculino e deixa tão de lado o futebol feminino? Isso chega a soar com…

QUINTA é dia de FUTEBOL FEMININO

Hoje é dia de Futebol Feminino no VoaGoleiro.com.

Minha coluna semanal onde toda quinta-feira eu falo sobre futebol feminino.

O texto desta quinta fala sobre a evolução que uma nova competição nacional trará para a modalidade, necessitando de mudança de postura de atletas, clubes e profissionais.

Acessem www.VoaGoleiro.com

Santos perde para o Barcelona: Uma clara derrota do futebol brasileiro! Estamos no caminho errado!

Geralmente eu escrevo muito sobre Futebol Feminino, mas hoje vou abrir espaço para falar do futebol brasileiro como um todo.
A derrota do Santos para a equipe do Barcelona em amistoso realizado na última sexta-feira, 02/08, repercutiu negativamente para o Santos, mas acho que o problema é muito maior e não se resume a um clube.
Nenhum clube da elite do futebol brasileiro teria condições de vencer a equipe do Barcelona ou de jogar de igual pra igual. E por que afirmo isso?
O futebol brasileiro vive uma falsa impressão de crescimento. Clubes se gabam de ter maiores receitas com TV e patrocínios, mas também contratam  atletas à preços exorbitantes, o que pões em xeque a saúde financeira de muitos destes clubes.
Falta no Brasil uma gestão realmente revolucionaria e focada não só em ganhar dinheiro, mas principalmente em recuperar o bom futebol, formar atletas de forma adequada e gerar lucro através da venda de atletas que foram formados no próprio clube. Claro que o marketing, licenciame…