Pular para o conteúdo principal

Mensagem à CBDU, o papel das Federações e o Esporte no Brasil


Na noite de ontem, segunda-feira (12/08) enviem uma mensagem à Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU) onde fiz uma proposta em relação aos critérios de convocação de atletas.

"CBDU Brasil, gostaria de propor que houvesse uma regra para convocações de atletas para as seleções universitárias. 

Para o(a) atleta de fato estar "elegível" à convocação este deve não poder ter menos de 3 meses matriculado e a matricula estar ativa por valor de tempo mínimo igual.

Seria um critério justo, acredito. Afinal está difícil saber qual o real critério utilizado hoje em dia, mas sei que não existe padrão no que diz respeito ao tempo mínimo necessário que o atleta deve ter como aluno ATIVO de curso superior.

Este tipo de critério evitaria que atletas fossem matriculados em universidades com a finalidade única de disputar competições oficiais representando o país e seria também uma forma de incentivo de então as instituições de ensino junto com a CBDU desenvolverem programas de bolsas de estudo para novos atletas.

É uma forma de desenvolver o desporto, mas principalmente de oportunizar os estudos a novos atletas, além de garantir a legitimidade de convocações.".

Infelizmente sabemos de situações em que atletas são convidadas a defender uma seleção mesmo sem estudar! Sim, isso existe e todo mundo sabe!

O mais triste é, por mais que se entenda a falta de oportunidade em algumas modalidades no país, que o atleta se preste ao papel de aceitar tais propostas. Você que aceita uma proposta "irregular" acaba prejudicando outras pessoas, mas obviamente a maioria não está preocupada em colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilo. 

No Brasil existe este ponto em que atletas e profissionais acham muita coisa errada, mas a partir do momento que aquela coisa errada lhes beneficia de alguma forma, ninguém lembra mais que achava a situação incorreta.

Muita coisa precisa mudar! Da postura dos profissionais à forma de gestão das Entidades de Administração Desportivas (EAD's) sejam elas de esporte profissional ou não, estudantil ou não.

O atleta e o profissional podem não ter a melhor conduta, mas se a federação do esporte (estadual ou nacional/confederação) for correta e fizer uma gestão básica e pautada pela moral e bons costumes, estes atletas e profissionais terão que agir da melhor forma possível. Ou fazem o certo, ou ficam de fora! É simples!

Então, fica claro que: Ou as federações estaduais e nacionais de desportos no Brasil são negligentes por não saberem o que acontece no esporte que administram ou deveriam administrar, ou então estas EAD's são coniventes com tudo que acontece e assinam em baixo das coisas erradas!

As EADs são diretamente responsáveis pela fiscalização e desenvolvimento de uma modalidade, tendo responsabilidade pelo que é feito e também pelo que deixam de fazer.

Se disserem que não sabem o que acontece, demonstram a incompetência! Se assumirem que o erro acontece, então demonstram ter conhecimento do problema e então aceitá-lo!

Não existe outro caminho a não ser, fazer a coisa certa!

Isso vale para todas as federações (e confederações) do desporto no Brasil. Muita coisa acontece nas esferas estaduais, nacionais, educacionais e militares e acho que isso dá um tremendo material de uma série ou uma reportagem com atletas contando um pouco do que acontece nestes bastidores e poucos sabem!

Já imagino até a repercussão que isso poderia ter no cenário nacional e mundial do desporto! E sinceramente acho a ideia ótima.

Comentários