Translate

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

FUTEBOL FEMININO: Seleção Brasileira Sub 17 fora do mundial de 2014.



A Seleção Brasileira de Futebol Feminino sub-17 não passou da primeira fase do Sul-americano sub-17 do Paraguai e assim não irá ao mundial de 2014 da categoria, na Costa Rica.

Venezuela, Paraguai e Colômbia ficaram com as vagas.

Já me questionaram algumas vezes e criticaram bastante a seleção.

Ontem me fizeram uma simples pergunta sobre o assunto: o que faltou? 

Respondi: "Planejamento, estrutura nacional, investimento... posso citar diversos pontos e nem sei por qual começar! É a responsabilidade de uma Confederação que acha que colocar meninas pra treinar juntas antes de uma competição seja o suficiente. 

Temos o talento, mas se este não for trabalhado de forma correta, de nada adianta.

Um diamante não lapidado acaba sendo apenas uma pedra.

Acho que assim é nosso futebol feminino. 

Ainda somos uma pedra, sem forma, ainda suja de terra, mas que com investimento e trabalho decente pode se tornar um magnífico diamante, uma joia da melhor qualidade!"

E complemento dizendo que:  Não adianta simplesmente convocar meninas e colocar pra treinar juntas. A fase de treinamento é para aperfeiçoar e trabalhar o conjunto, mas as meninas chegam na seleção com condicionamento físico, técnico e tático muito baixo e com isso se perde tempo da preparação com um trabalho de nivelamento. Se as atletas não tem clubes e competições para disputar em suas categorias, a coisa fica complicada.

E isso vale não só para a sub-17, mas para todas as nossas seleções femininas de futebol.

Uma seleção é reflexo da forma como o futebol de um país é conduzido. A seleção é apenas um produto!

Na Indústria, um produto é o resultado de atividades ou de processos.

Em matemática, produto é o resultado de uma multiplicação.

Então, a Seleção (e sua qualidade) é o produto de uma modalidade onde se deveria levar em consideração a qualidade de profissionais, número de atletas, número de times, número de competições oficiais, valores de investimento, oportunidades de capacitação e observação de atletas e profissionais.

São somas, multiplicações, divisões e subtrações que precisam ser feitas para que o resultado seja satisfatório e justo, mas ao que parece no Brasil não se sabe fazer contas no futebol feminino. Consequentemente, se não sabem fazer contas, não sabem administrá-lo como um todo.

fatores A + fatores B = Produto

Administrar apenas o produto, sem pensar em como os seus fatores são importantes, não altera seus resultados!

Mas só acho...

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Jogadores das séries A e B pedem reunião com CBF para discutir calendário de 2014. Futebol Feminino também cogitado

fonte: Banco de Imagens do Zero Hora.
Como tem sido divulgado pela mídia, insatisfeitos com o calendário do futebol brasileiro, 75 jogadores de clubes das séries A e B do futebol brasileiro reivindicaram uma reunião com a CBF. 

Até mesmo uma greve nas últimas duas rodadas do campeonato brasileiro 2013 foi cogitada pela Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol, mas não deve acontecer, pois acredita-se em solução pacífica da questão por um entendimento entre atletas e CBF.

FUTEBOL FEMININO É COGITADO

Um movimento por um calendário do futebol não pode deixar o futebol feminino de fora, por isso algumas pessoas ligadas ao movimento também estão tentando contato com atletas do Futebol Feminino brasileiro, mas por medo de retaliações, fatos que são comuns quando se trata de bastidores do Futebol Feminino, as atletas dificilmente demonstrarão interesse.

A ditadura militar já acabou, mas as mulheres que jogam futebol sofrem muito mais do que muitas pessoas imaginam. É algo que ainda vai além do simples fato de ter o direito de jogar, chegando até o direito de se expressar.

Muita gente desconhece, mas segundo atletas e ex-atletas, situações de pressão acontecem quando atletas do futebol feminino se pronunciam questionando por seus direitos e direitos da modalidade e essa pressão pode, inclusive, afastar uma atletas de futuras convocações.

A situação está cada dia mais desgastada, mas oficialmente o silêncio das atletas prevalece (embora a maioria das jogadoras reclamem nos bastidores da modalidade). 

Ter participação de jogadoras de peso nas discussões sobre um calendário do futebol brasileiro são fundamentais, afinal a modalidade precisa de um calendário para ganhar força e organização, dois itens que talvez nunca tenham existido.

Sem atletas para representar a modalidade nessa reunião, talvez assunto nem seja abordado.

Vamos aguardar os próximos capítulos.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

FUTEBOL FEMININO: Quem é capaz de mandar lesionar uma atleta propositalmente, é capaz de qualquer coisa!

Imagem meramente ilustrativa


Ontem (25), no jogo do Vasco-RJ 1x1 São José-SP pelo Brasileirão Feminino Caixa, debatia sobre a parte tática e técnica do jogo com um treinador de futebol quando este solta a seguinte frase: "Se eu fosse o treinador do time do Vasco, colocaria uma jogadora só para entrar e pisar no calcanhar daquela jogadora alí do São José e tirar ela do jogo. Se não posso ganhar na técnica, na guerra eu uso as armas que tenho."

Olhei com total reprovação e nosso papo acabou ali.

E sabe o mais triste? Tenho certeza que existem muitos "profissionais" que pensam exatamente assim e que mandam fazer isso mesmo.

Nessa mesma semana uma atleta que atua fora do país me informou que uma atleta lhe deu uma entrada criminosa e ao fim do jogo disse que mandaram ela bater ali pois sabiam que ela encontrava-se em recuperação de lesão e essa era a única forma de pará-la.

Condeno totalmente este tipo de atitude e defendo seríssimas punições para casos como este, seja no esporte que for.

E já imagino a quantidade de pessoas do meio esportivo que nesse momento estão achando uma declaração como a que citei algo normal.

isso não é uma surpresa porque já vi muita coisa, mas não posso me conformar e aceitar atitudes como esta. Isso só reflete o tipo de caráter de diversos profissionais do esporte. 


Quem é capaz de lesionar uma atleta propositalmente, é capaz de qualquer coisa!

BRASILEIRÃO FEMININO CAIXA - Entrada e saída de São Manuel da Competição


A CBF ainda não se pronunciou oficialmente, sobre a entrada tão contestada do América de São Manuel-SP na competição, muito menos sobre sua retirada da competição.

Cerca de duas semanas antes do início da competição ao ser questionada nos bastidores sobre a estranha inclusão do time de São Paulo na competição a CBF teria alegado que a Federação Paulista de Futebol teria documentação que comprovava que o América era o antigo Botucatu, que se transferiu de cidade e por isso a Confederação garantiu a equipe na competição.

Nesta quarta-feira (25), a CBF não divulgou nota, mas emitiu uma nova tabela da competição sem a equipe do América e com a equipe do Aliança-GO em seu lugar (veja no link: http://imagens.cbf.com.br/201309/1806751912.pdf ).

América de São Manuel jogaria contra a equipe de Francana, às 15h de ontem (25), em São Manuel. Este jogo foi alterado, mas ao que parece a arbitragem não sabia e foi para o estádio errado!

Não houve nota oficial para esclarecer ao consumidor do esporte (torcedor) sobre a entrada e muito menos a saída do clube paulista da competição. O América teve a "Guinness performance" onde entrou e saiu da competição sem jogar nenhuma partida.

Tive acesso a seguinte nota de esclarecimento que não foi divulgada abertamente: "Em virtude de irregularidade na substituição do Botucatu FC pelo América FC, como detentor da vaga no Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino/2013, a CBF anunciou que a vaga foi assumida pela equipe Aliança (GO). Os clubes antecessores ao time do Goiás no ranking desistiram da participação no torneio".

Gostaria apenas de ter o esclarecimento de como a Administradora do Futebol Nacional garantiu a participação do América como direito do clube onde uma documentação da federação do estado de São Paulo comprovaria isso, mas agora afirma "irregularidade na substituição do Botucatu FC pelo América FC..." .

Seria muito importante que a Sport Promotion e a CBF explicassem o ocorrido, afinal todos aqueles que acompanham e gostam de futebol feminino precisam entender o que realmente aconteceu, e se as instituições cometeram um erro, deveriam ao menos assumir isso publicamente!

Mas, só acho...

terça-feira, 24 de setembro de 2013

FUTEBOL FEMININO - O efeito FOX SPORTS


A Fox Sports é a emissora de TV por assinatura que está transmitindo os jogos do Brasileirão Feminino Caixa 2013.

A Band Sports transmite o VT da partida em horários alternativos e a BAND TV aberta informa resultados e faz um informativo da rodada uma vez por semana.

Uma enorme evolução para uma competição de Futebol Feminino ainda mais se tratando de Brasil, um país que até então desprezava a modalidade.

Um Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino é uma enorme vitória para a modalidade e quase não saiu om tantas dificuldades impostas pela CBF, e a transmissão de TV está trazendo benefícios já no início da competição.

Emissoras de TV aberta, empresas e alguns clubes de camisa começam a ver o Futebol Feminino de outra forma. Quem não quer fazer parte de uma competição e de uma modalidade que começa a demonstrar organização e visibilidade?! 

A tendência deste efeito "Fox Sports" deve trazer benefícios para a modalidade já na próxima temporada.

Seria a CBF capaz de interromper o progresso? Acho que seria um "tiro no pé"! A Administradora do futebol nacional tem poucas opções!

Vamos aguardar o que vai acontecer, pois ainda é cedo, mas muitas pessoas acreditam que seja a hora ideal para dar continuidade ao movimento que toma conta deste esporte no país.

O governo federal tem interesse e fará outras ações e porque não ter o apoio de quem administra o esporte no país? Só depende de uma instituição!

Apoiar a nova caminhada da modalidade é alavancar uma imagem super positiva de quem quer ver o esporte crescer. Não apoiar pode ter o efeito totalmente contrário.

A Fox Sports deixou clara que sua intenção é fazer a modalidade crescer e sua pretensão é apoiar o futebol feminino nacional por algum tempo, e só pra começar!

Que venham novidades!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

BRASILEIRÃO FEMININO CAIXA - D. de Caxias X Centro Olímpico

Nessa quarta-feira (18) ocorreu a estreia do Brasileiro Feminino e o jogo entre Duque de Caxias e Centro Olímpico foi marcado por falta de ambulância, falta de policiamento e grande atraso.

Eu gostaria de enaltecer a postura da FOX Sports que, apesar dos 45 minutos de atraso pela falta de organização das responsáveis por arcar com despesas de jogo como ambulância (que somente chegou no início do segundo tempo), pela total comprometimento e apoio ao futebol feminino.


Outra emissora teria cancelado a transmissão.



Muito obrigado a Fox Sports e seus profissionais por tamanho comprometimento mesmo perdendo 45 minutos de sua grade. Em especial ao Vitor Costa que teve uma postura impecável diante de todos os problemas e administrou tudo com imensa sabedoria.

Quanto ao ocorrido, é algo vergonhoso, mas foi bom para que o país perceba o tamanho do descaso com que é tratado o Futebol Feminino Brasileiro.

Federações estão acostumadas a tratar a modalidade de qualquer jeito, mas isso vai ter consequências!!! Isso vai mudar!

Ressalto também a postura do técnico do Centro Olímpico e toda a equipe por ter se mantido em campo e aceitado jogar mesmo com o grande atraso, FALTA DE AMBULÂNCIA E FALTA DE POLICIAMENTO. O time poderia ter se recusado a jogar e ganhar 3 pontos.

Centro Olímpico e Duque de Caxias foram duas vitimas dos problemas que a modalidade enfrenta e eu pedi desculpas mesmo não tendo nada a ver com o ocorrido, assim como eles também não. 

Agora cabe a SportPromotion, CBF e Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro apurarem de quem é a culpa. Vai ser a hora do jogo de empurra, mas a meu ver todas tem responsabilidade e isso é um fato. Mas não vai voltar a acontecer não é senhores??????

Erros organizacionais como este somente comprovam que ou o futebol feminino é tratado com desleixo ou que falta competência de quem é responsável por organizar a modalidade no país. 

Erros deste gênero não podem ocorrer! Não é e nunca será é algo aceitável!

Mas agora vão ver como se deve tratar a modalidade e que existem pessoas relatando todos os acontecimentos para que os responsáveis sejam devidamente cobrados. 

Futebol Feminino não é brincadeira! E as pessoas do meio irão entender isso!

O bom dos erros é que se aprende a não errar mais. E vamos ver se vão errar de novo, porque errar é humano mas persistir no erro é....

Abaixo seguem os resultados da primeira Rodada do Brasileirão Feminino Caixa e também o último jogo que completa a primeira rodada:


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Agora é pra valer: Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino Caixa

Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Na tarde desta segunda-feira (16) foi anunciado o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino 2013. A competição terá início já na próxima quarta-feira (18) e terminará no dia 4 de dezembro.

A Caixa Econômica Federal e as Loterias Caixa investirão o valor de R$10 milhões na competição e terão o direito ao nome da competição, placas de publicidade e marca estampada em todos os uniformes das 20 equipes participantes.

A competição terá 20 equipes divididas em 4 grupos regionalizados onde todas as equipes jogaram entre si, realizando 4 jogos nesta fase de grupos, sendo 2 como mandante e 2 como visitante. Os 2 melhores classificados de cada grupo vão para a fase seguinte onde chaveamento definirá confrontos.

Ao todo devem ser cerca de 300 atletas em ação. Com o dinheiro do patrocínio da Caixa, os participantes vão ser custeados em suas despesas de transporte aéreo (deslocamento acima de 500 km) e terrestre em ônibus leito (deslocamento até 500 km), além de hospedagem e alimentação, quando da realização das partidas.

Os jogos serão realizados as quartas e domingos e terão transmissão da Fox Sports. A Band Sports transmitirá o VT do jogo da semana em 2 horários alternativos e a Band (TV aberta) irá apresentar os melhores momentos e um boletim semanal sobre a competição.

As equipes participantes da competição são:

GRUPO 1
GRUPO 2
GRUPO 3
GRUPO 4
Francana (SP)
Vasco (RJ)
Vitória (PE)
Tiradentes (PI)
Rio Preto (SP)
Ascoop (DF)
Caucaia (CE)
Viana (MA)
Duque de Caxias (RJ)
ADI Foz (PR)
S. Francisco (BA)
Tuna Luso (PA)
C. Olímpico (SP)
Kindermann (SC)
Mixto (MT)
Iranduba (AM)
América (SP)
São José (SP)
Botafogo (PB)
Pinheirense (PA)
               
Na primeira rodada que acontece nesta quarta, às 15 horas, teremos os confrontos: 

Francana x Rio Preto
Duque de Caxias X Centro Olímpico (Transmissão Fox Sports)
Asscoop x Vasco
Kindermann x ADI Foz
Vitória x Caucaia
São Francisco x Mixto 
Tiradentes x Viana
Tuna Luso x Iranduba 
(Horários podem sofrer alteração)

Outras medidas foram anunciadas pelo Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, como a realização em 2013 da Copa Brasil Escolar de Futebol Feminino sub-17 e destacou que "a luta agora é colocar o futebol feminino de volta nos Jogos Universitários e nos Jogos Escolares", pois é uma forma de valorizar o futebol feminino e popularizar o futebol feminino.

Foi confirmada também a realização da Copa Libertadores da América de Futebol Feminino, que acontecerá de 13 a 27 de outubro, em Foz do Iguaçu (PR) e que contará com recursos do Ministério do Esporte no valor de R$ 600 mil e de $500 mil da Conmebol.

O Ministro Aldo Rebelo também declarou já ter conversado com o Presidente da FIFA sobre o Brasil sediar a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019, mas que ainda é uma ideia.

Sobre a duração do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, este terá duração de cerca de 2 meses e meio, o que é considerado pouco, mas a Caixa Econômica e o Ministério do Esporte deixaram clara a intenção de que a competição seja maior no ano que vem e que de fato tenha sequencia por outras edições .

A atleta Cristiane, atacante da do Centro Olímpico, seleção e referência mundial no futebol feminino, esteve presente e destacou a importância da competição para a observação de novas atletas assim como para que atletas cheguem com mais qualidade até a Seleção – “Esperei por 13 anos por esse momento”.

A coordenadora de Futebol Feminino do Ministério do Esporte e ex-atleta da Seleção Brasileira, Michael Jackson, declarou "Hoje é um dia muito importante para o País, onde essa modalidade é tão sofrida. Espero que esse seja o primeiro passo para outras competições".

Também participaram do evento a coordenadora geral do Direito de Trabalho das Mulheres , Beatriz Gregory, o representante da Sport Promotion, Paulo Bastos, Tadeu Correia, Diretor de Futebol Feminino do Vasco, Treinador Galdino do Duque de Caxias, o técnico Arthur do Centro Olímpico e as seguintes jogadoras: Tania Maranhão, do Vasco da Gama, Taís, goleira do São José dos Campos, Valdinéia, capitã do Duque de Caxias, e Marisa Pires "Caju", ex-jogadora.

Luciane Castro, Regina Landy, Claudia Rodrigues e Eduardo Pontes do grupo de trabalho do Ministério do Esporte também esteve presente assim como Luciane, representante da Conmebol.

Esperamos que o Futebol Feminino Brasileiro seja mais valorizado pois hoje temos ex-atletas das primeiras seleções brasileiras de futebol feminino que estão hoje trabalhando duro em empregos humildes sem o menor reconhecimento. Elas são reflexo do valor que é dado no futebol feminino brasileiro nos dias atuais, pois assim como a modalidade estão esquecidas.

Agora vamos aguardar porque devem surgir mais novidades sobre o futebol feminino brasileiro em breve.

domingo, 15 de setembro de 2013

Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino

O texto não poderia começar com uma expressão diferente de FINALMENTE!

Nesta segunda-feira, 16/09 às 15 horas, será realizada a coletiva de imprensa de lançamento do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino 2013.

"O Ministério do Esporte, a Caixa Econômica Federal e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciam em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, detalhes da abertura do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino 2013. Na ocasião, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, também divulgará novas medidas de fomento ao futebol feminino no Brasil.

O lançamento do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino será realizado na sede da CBF, na Barra da Tijuca." - Fonte: Ministério do Esporte.

Este Campeonato pode ser a marca de novos tempos para o Futebol Feminino brasileiro.

O Ministério do Esporte vinha tentando acordos com a CBF sobre soluções para a modalidade desde o fim dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012 e só agora conseguiu a chancela da CBF para realizar algo em prol da modalidade.

Essa parceria demorada pode ser o início de muitas outras. Só vai depender da entidade que administração do futebol brasileiro aceitar fazer ações e planejamentos em prol do futebol feminino nacional. O Ministério do Esporte quer muito isso.

Ninguém deseja "tomar o poder" sobre a modalidade, apenas espera que entidades como governo e CBF possam trabalhar juntos e de forma objetiva e transparente para o futebol feminino se desenvolver.

E três pessoas devem ser parabenizadas por possibilitar esse feito: o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a Coordenadora Geral de Futebol Feminino do Ministério do Esporte, Marileia "Michael Jackson" dos Santos e ao Sr. Toninho Nascimento, Secretário de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, também do Ministério do Esporte.

Sem dedicação e empenho desses principais nomes o futebol feminino não tomaria os rumos que todos começam a ver.

Muitos reclamarão sobre a competição, sobre não participar, sobre uma série de coisas, mas acho que é um momento em que as pessoas devem unir forças e torcer para a modalidade crescer, ao invés de se preocuparem mais com o "eu" do que com o "todos nós".

Que venha segunda! Que venham novos tempos!

sábado, 14 de setembro de 2013

Organização de eventos esportivos e o Futebol Feminino - Desenvolver é possível!



Estive presente em dois eventos em fins de semana diferentes no Aterro do Flamengo, aqui no Rio de Janeiro.

O primeiro evento foi a corrida de rua da "Série Delta Japão" realizada no dia 08 de setembro. 

Um evento muito bacana, com uma boa estrutura, boa organização (embora eu tenha ouvido reclamações sobre logística de entregas de kits), um ambiente atraente, divertido de corredores, não corredores, amadores e profissionais, todos misturados. 

Aquecimento, alongamento, diversão, música, massagem, isotônico e frutas para os atletas e no fim pessoas felizes e com vontade de fazer outra prova! Eu mesmo saí de lá e me inscrevi em uma corrida já pro mês que vem!


O segundo evento está sendo realizado este fim de semana e é o "3x3 World Tour FIBA Basquetebol" que também acontece no Aterro do Flamengo.

Um evento de basquete muito interessante e muito bem estruturado. E não falo isso porque é um amigo meu que está organizando o evento, mas pelo fato de ser realmente uma estrutura incrível que transformou as algumas das quadras de basquete do Aterro em uma arena de espetáculo. 

Arquibancada, brindes, música, basquete bem jogado e bonito de ver, animação, som, camarote, "camarim" para atletas, tudo na melhor qualidade.

Os dois eventos não foram simplesmente uma corrida e um jogo de basquete. Os eventos são um show, um espetáculo que atrai o público não apenas pela atividade principal (corrida e basquete) mas por todas as atividades que acontecem ali simultaneamente e que permitem que as pessoas se divirtam e sintam prazer em estar ali!

É necessário muito planejamento, trabalho duro, mas é possível sim tornar um esporte atraente, desde que pequenas ações sejam feitas.

No exemplo do "3x3 World Tour FIBA" que tem apoio da Confederação Brasileira de Basquete, é uma atividade que motiva e incentiva a prática do esporte mesmo que de forma inconsciente.

O consumidor do esporte que foi ao Aterro e presenciou aquela experiência, saiu de lá com a impressão de que o esporte é algo maravilhoso, feliz e divertido e garanto que muitos meninos e meninas que ali estavam vão querer brincar de basquete e é aí que você fomenta o esporte. 

Fomentar é fazer o esporte progredir, é atrair novos participantes e consumidores do esporte e isso a corrida de rua e esse grande evento de basquete estão fazendo muito bem.

Claro que é necessária uma estruturação e planejamento macro em relação ao esporte, incentivo à prática da atividade, melhoria estrutura a nível nacional, mas isso só mostra que é possível, basta querer!

E onde o Futebol Feminino entra nessa história?

O futebol feminino (seus dirigentes e "organizadores") deveria estar sentado na arquibancada ou participando de uma prova de rua para assim aprender como é possível, de forma simples, tornar o esporte atraente!

Um abraço a todos e um bom fim de semana!

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

TREINAMENTO: Cada atleta tem uma característica e uma necessidade

Imagem: Cidade do Saber

Independente das modalidades esportivas, atletas são treinadas de formas iguais e treinadores esperam que todas evoluam da mesma forma.

Isto, considero de certa forma, um erro comum e que precisa ser mudado.

Cada atleta tem uma característica física e muscular, qualidade e defeitos, vícios de postura além de bagagens psicomotoras diferentes pois cada indivíduo viveu e cresceu de formas diferentes.

Uma vai ter dificuldade com a lateralidade, outra não. Uma tem mais explosão muscular e a outra mais resistência. Uma realiza a parada brusca e a mudança de direção com extrema facilidade, tanto para a direita quanto para a esquerda, outra atleta só gira para um lado.

Tudo isso deve ser levado em consideração e cabe aos profissionais observarem quais as características, qualidades e necessidades de cada atleta e realizar um trabalho em separado com as que mais necessitam de apoio.

Infelizmente, no Brasil, se torna mais fácil o próprio treinador criticar uma atleta sem antes ter a certeza que fez o seu melhor em relação ao treinamento e busca de aperfeiçoamento das necessidades daquela atleta.

Por mais que existam dificuldades, uma atleta pode tranquilamente realizar um trabalho em separado meia hora antes, ou depois do restante do grupo para que detalhes sejam corrigidos e a atleta possa render mais.

Esse trabalho deveria ser algo obrigatório e de responsabilidade de todo profissional, independente do esporte com o qual trabalha, mas infelizmente hoje é visto como um diferencial de um ou outro profissional que faz nada menos que sua obrigação.

O esporte é algo inclusivo, mas pelo fato dos profissionais não estarem tão preparados como deveriam, acabamos promovendo uma segregação. O profissional que deveria observar o atleta e identificar suas características e até mesmo sua melhor posição de atuação dentro do seu esporte, não o faz!

Vi uma boa atleta de arremesso de peso que gostava de jogar basquete receber orientação e se tornar referência brasileira no basquetebol.

Vi uma atleta começar a nadar e ser convidada a treinar voleibol, se tornando uma das melhores jogadoras do Brasil e multi-campeã na modalidade.

Vi um péssimo zagueiro, discriminado, se tornar um excelente goleiro. Assim como vi atletas que foram treinadas em suas deficiências evoluírem muito e agregar muito valor ao grupo onde atuavam, superando até atletas que consideravam que elas não alcançariam.

O papel do profissional do esporte é fundamental para que o esporte se torne algo inclusivo. Observar, avaliar, trabalhar as deficiências, analisar características e determinar em que função a atleta pode realmente ter um maior rendimento, e até mesmo indicando qual o melhor esporte dentro das características que a atleta possui seria o ideal para esta(e) atleta.

Quantas(os) atletas são dispensados por falta de visão dos profissionais do esporte? Quantos talentos são mal aproveitados? 

Muitos profissionais acham que entendem e sabem de tudo, parecendo esquecer de muita coisa que foi estudada e até mesmo vivida. Ao ter nas mãos um diploma, aquele indivíduo esquece o estudo e cria suas próprias teorias e então, o profissional que deveria fazer o atleta se superar, faz muitas meninas e meninas abandonarem o esporte.

Mas, só acho...