Pular para o conteúdo principal

Futebol Feminino: Reflexões sobre o tema Seleção

Na noite do dia 26/10 estive refletindo bastante sobre o tema SELEÇÃO. Não iria postar aqui, mas acho importante compartilhar pensamentos e opiniões.


Seleção... Acredito que, seja em qual o esporte for, uma seleção não é simplesmente convocar ou "juntar" os melhores talentos individuais, mas montar um grupo com peças que se completem e fazer com que eles produzam um jogo coletivo onde melhores individualmente não estejam preocupados em brilhar sozinhos e sim fazer com que todos brilhem juntos, pois só assim se atingem os objetivos de um planejamento.

Uma seleção não é simplesmente a soma de vários talentos e sim, principalmente, a soma daqueles que mais tem vontade de superar seus limites, que não se acomodam, que buscam sempre mais, que conseguem manter os pés no chão e que contagiam por suas atitudes. Que motivam e desafiam os demais a serem também ainda melhores.

Uma seleção não precisa de talentosos brilhantes e sim de talentos determinados a trabalhar duro.

Uma seleção necessita ter profissionais que estimulem os melhores a serem ainda melhores, necessita de profissionais que tenham a capacidade de ler atletas individual e coletivamente para retirar deles muito mais do que eles mesmos acham que são capazes de produzir. 

Uma seleção necessita de profissionais que não se incomodem em não aparecer no palco, mas que se preocupem em trabalhar duro nos bastidores para que o espetáculo tenha o melhor resultado possível, mesmo quando ele e seu trabalho não forem lembrado por muitos.

Vejo hoje muitas pessoas na zona de conforto, satisfeitas simplesmente em estar ali e provavelmente já tendo cometido, talvez sem perceber, um dos maiores erros que se pode cometer na vida - pessoal ou profissional - que é deixar a vaidade ser maior que a ambição.

A ambição se faz necessária na vida de qualquer um e em qualquer área de atuação. Ter ambição é buscar uma coisa que se deseja, que se quer ter, é conseguir, é trabalhar por algo que se quer alcançar.

Já a vaidade é o sentimento de grande valorização que alguém tem em relação a si mesmo, onde se acaba esquecendo de detalhes essenciais como a modéstia, ou da disposição constante e consciência que nos induz a exercer o bem e evitar o mal. 

Vale ressaltar que não importa o tamanho de seu talento se você é incapaz de fazer parte de um grupo, de una comunidade, e se dá mais importância ao "EU" do que ao "NÓS".

Baseado nessas reflexões e tantas outras que ainda não consegui traduzir em palavras, questiono se temos na Seleção pessoas - entre corpo técnico e atletas - que estejam realmente dispostas a sacrificar seu EU para produzir um trabalho, alcançar resultados e objetivos muito maiores do que si mesmos, sem esperar nada em troca.

Comentários