Translate

terça-feira, 26 de novembro de 2013

FUTEBOL FEMININO: Já mandou seu vídeo para o bola cheia?


Todas as meninas que jogam deveriam mandar vídeos para o quadro BOLA CHEIA do programa Fantástico!

O quadro "Bola cheia, bola murcha" é um quadro que destaca vídeos das melhores jogadas de telespectadores assim como aqueles lances "pernas de pau" e o melhor e o pior da semana são mostrados no programa que vai ao ar domingo a noite.

Mandar vídeos para o quadro é uma boa forma de promover a modalidade e de mostrar que tem muita mulher que joga futebol e bem! Além disso vocês mostram isso para uma das principais emissoras do país.

Fez gol? Um lance bonito? Tem filmado? Então entra lá no site (vou deixar o link no final do texto) e envia seu vídeo!

Poxa, não tem? Passe a filmar e incentive todas as suas amigas a mandar seus vídeos!

Quer mandar aquele lance que perdeu o gol feito, furou na hora do chute, foi driblar e caiu sentada sozinha? Pode mandar também! Fica a critério de cada uma!

O importante é dar a dimensão de quantas mulheres estão querendo mostrar seu futebol e chamar atenção para o futebol feminino.

Mandando o seu vídeo você atleta chama atenção não só da emissora, mas de quem vota, e tem a chance de ter seu vídeo passando no programa domingo chamando atenção do país inteiro para a modalidade!

ATENÇÃO: Não adianta o clube mandar o vídeo da jogadora A ou B, ou um amigo ou amiga mandar seu vídeo. Só são aceitos vídeos enviados pelo próprio interessado! LEIAM O REGULAMENTO!

Para quem quiser saber mais e enviar seu vídeo, acesse o link do programa: http://g1.globo.com/fantastico/quadros/bola-cheia-bola-murcha/

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Escrever sobre FUTEBOL FEMININO no Brasil é complicado.


Escrever sobre FUTEBOL FEMININO no Brasil é complicado.

Se você não escreve publicidade sobre a modalidade,ou seja, só coisas agradáveis e positivas, você logo é mal visto.

Além disso você tem que tomar extremo cuidado ao abordar certos assuntos e as vezes nem abordá-los porque pessoas que se dizem profissionais país a fora adoram perseguir e coagir atletas, pais de atletas e até mesmo ameaçar blogueiros como já aconteceu comigo e com algumas outras pessoas.

Eu só não escrevo sobre determinados assuntos e as vezes deixo de entrevistar atletas pelo simples fato de querer preservar pessoas que não tem nada a ver com o perfil desses sem caráter que vivem no futebol feminino. Porém adianto que espero que certas atitudes que acontecem por aí como perseguição a atleta pelo simples fato delas cobrarem o que é direito e justo PARE!

As atletas tem todo o direito de questionar, cobrar, relatar e comentar situações que acontecem em seus clubes e querendo ou não A OBRIGAÇÃO DOS PROFISSIONAIS é escutar, entender, se corrigir e buscar o melhor para as atletas, o trabalho e o clube...

DÁ PARA PARAR DE SE PREOCUPAREM COM O PRÓPRIO UMBIGO, SENHORES "PROFISSIONAIS"?

Ao invés de se ofenderem com críticas deveriam vê-las como oportunidades de crescimento e melhoria. 

Escutem atletas, seus parentes e terceiros, sejam humildes em assumir erros, pedir desculpas! APRENDAM A SER TRANSPARENTES!

E ao invés de ficaren putos da vida com o que ouvem e lêem procurem se preocupar em serem técnicos melhores e mais completos, preparadores físicos que realmente entendem do que estão fazendo, auxiliares melhores e preparadores de goleiras mais competentes. Eu falo isso porque existe muito trabalho que precisa melhorar... e como tem! E isso vale pra dirigentes também viu!

E alguns vão argumentar que tudo isso é bobagem, palavras vazias de quem não entende nada, ou ainda afirmar que o texto é bom, as palavras são verdadeiras e que conhecem muita gente que precisa melhorar PORÉM DIRÃO QUE NÃO SE ENCAIXAM neste perfil porque suas atletas não reclamam de seu trabalho no clube ou projeto onde você está. 

E eu pergunto: A ATLETA NÃO RECLAMA DO SEU TRABALHO POR QUE VOCÊ É BOM OU POR QUE VOCÊ SE ENCAIXA PERFEITAMENTE NO PERFIL CITADO NESSE TEXTO?

Uma atleta só vai falar com seu comandante ou com um profissional do corpo técnico se ela tiver confiança e espaço pra isso. E amigos CONFIANÇA É ALGO QUE SE CONQUISTA e isso depende das suas atitudes como pessoa e profissional diante de suas atletas.

Caros profissionais, se elas não confiam em vocês é porque vocês não conquistaram a confiança delas, então vamos rever atitudes e comportamentos???? Isso é o alerta de que tem algo errado então desçam do pedestal em que se colocaram se achando os melhores porque acho que estão se perdendo ou já se perderam.

Mudanças de postura tendem a favorecer a todos. A modalidade ganha, atletas ganham, a qualidade dos trabalhos ganha, e a imagem dos profissionais GANHA MUITOOOO!

Lembrem-se que o real problema da modalidade nunca foi investimento e sim credibilidade e posso afirmar com certeza que a maioria dos vulgo profissionais do futebol feminino está desacreditada, sem credibilidade!

Culpa das atletas, dos jornalistas, blogueiros, dos parentes de atletas? Não, culpa das atitudes que vocês têm há anos e nunca tiveram vontade de mudar.

Menos ego, mais sinceridade, menos coação e mais trabalho de qualidade, menos eu acho e mais o que vocês acham.

Vocês não tem ideia de como assimilar só metade dessas palavras faria bem pra vocês porque hoje são raros os que se salvam!

E lembrem-se muito bem de que A CULPA É DE VOCÊS.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Impressões do Jogo EUA 4 x 1 BRASIL


EUA x BRASIL fizeram no último dia 10 uma partida de 5 gols. Eu ia fazer uma análise mais detalhada, mas estou no trabalho nesse momento e a semana tem sido bem corrida, então vou tentar expôr alguns pontos do jogo.

O jogo mostrou um Brasil desorganizado e uma equipe americana sistemática. Os EUA repetiu o padrão de jogo dos seus últimos 6 jogos explorando as laterais do campo, lançamentos em diagonal sobre a zaga para a jogadora Sydney Leroux, as bolas alçadas na área e algumas bolsa em diagonal quando as laterais estavam marcadas.

O Brasil, que foi com uma equipe relativamente nova e desentrosada, sofreu com o pouco entrosamento de uma equipe que se reuniu e treinou junta apenas duas vezes antes da partida.

Mesmo sabendo do estilo de jogo da seleção americana, o time brasileiro não conseguiu anular as jogadas.

No primeiro tempo, o time se abalou com o primeiro gol sofrido e o pênalti logo em seguida e começar o jogo perdendo de 2 x 0 talvez tenha dificultado ainda mais pelo lado psicológico de tomar 2 gols da melhor seleção do mundo e ter que tentar reverter o placar.

Rosana (que movimentou-se bastante durante a partida, diga-se de passagem) marcou o gol de honra do Brasil ainda no primeiro tempo, em cruzamento de Rilany pela direita.

No meio campo, onde houve bastante espaço do lado Brasileiro durante a partida Zanotti teve uma atuação apagada e a gente sabe que pode render muito mais, Thaissa teve atuação discreta, fisicamente se mostrou bem e com boa visão de jogo. A Laylla, que teve sua primeira convocação, fez  algumas triangulações e desarmes realizados.

O primeiro tempo acabou com o placar de 3 x 1 para os EUA que voltou para o segundo tempo em ritmo mais cadenciado. O Brasil por sua vez voltou mais calmo e tentando estar mais organizado em campo. O baque dos gols já havia passado.

No segundo tempo o Brasil teve boas oportunidades, principalmente com a Raquel, mas esbarrou em uma Hope Solo muito segura e consistente, como de costume, não conseguindo encostar no placar.

Ainda no fim do 2° tempo as brasileiras tomaram mais um gol e a partida acabou assim: EUA 4 x 1 Brasil.

Achei um bom teste para uma seleção brasileira que pode e precisa melhorar muito, e pode muito bem passar a trabalhar mais o toque de bola rápido e objetivo. Nada muito além de 2 toques na bola, exceto em alguns raros e necessários momentos.

Importante também trabalhar mais a forma física e talvez realizar um trabalho físico individual, avaliando a temporada de cada atleta de acordo com seu país de atuação, bem como avaliando também o que está sendo trabalhado pela atleta em seu clube. Talvez seja a melhor forma de tornar o grupo homogêneo fisicamente.

Os gols do jogo foram marcados por Sydney Leroux (15' e 36'), Abby Wambach (17' de penalti), Rosana (25') e Erika Tymrak (76').

Abaixo vocês podem conferir os melhores momentos da partida. Queria o vídeo na íntegra, mas se ele sair eu posto pra quem não viu o jogo poder acompanhar.

Claro que eu não gostei do jogo e queria um Brasil mais organizado, entrosado e mais ciente do estilo de jogo dos EUA, mas acredito que dentro do pouquíssimo tempo que a equipe esteve junta não dava pra fazer muita coisa. Com mais tempo a equipe deve mostrar um futebol mais organizado, mas ainda precisamos trabalhar bastante a movimentação das linhas, toque de bola, forma física, e estar mais atentos a outros detalhes que são muito importantes na preparação ou renovação de qualquer equipe.

Que venha o Torneio Internacional de Brasília e esperamos ver evolução e uma definição de estilo de jogo, afinal o Sul Americano 2014 está logo aí.




sexta-feira, 8 de novembro de 2013

FUTEBOL FEMININO: O Problema nunca foi investimento e sim CREDIBILIDADE



Os clubes, dirigentes e profissionais que fazem utilização indevida de dinheiro ou superfaturam valores de serviços, forjam notas fiscais para "comprovar" gastos que não tiveram ou que foram menores do que o fornecido são irresponsáveis. E olha, e-mails chegam, ligações, mensagens, conversas e por aí vai... Não são casos isolados!


As dificuldades do futebol feminino não são culpa do esporte,e sim da índole e caráter dos envolvidos!

E isso vai de pessoas desconhecidas até pessoas de nome. 

E além da questão do dinheiro existem as pessoas que fazem ou pedem favores para atletas em troca de uma titularidade, assim como tem atletas que fazem de tudo para estarem entre as 11 jogadoras que saem jogando. E tem também os cargos dados por amizade, por favores. O futebol feminino poderia es chamar mundo dos favores ... como isso é normal!

O problema do Futebol Feminino nunca foi investimento, visibilidade ou falta de atenção.

O problema do futebol feminino está na credibilidade que se tem quando se fala na modalidade. Primeiramente porque a Confederação Brasileira de Futebol pouco ou nada faz pelo esporte como um todo e isso é fato desde os tempos mais primórdios.

Em segundo lugar, porque é difícil ter credibilidade de um patrocinador/investidor que vê uma nota superfaturada de um serviço ou produto que ele já pesquisou antes e viu que o valor era muito inferior ao citado naquela "nota fria".

Em terceiro vem a falta de credibilidade em profissionais, por todo o histórico que se tem, por cada assunto que se veicula nos bastidores. Amigos, quando acontece um problema com um profissional, clube ou atleta, O PAÍS INTEIRO SABE EM INSTANTES. Atletas, isso vale pra vocês que fazem certas coisinhas por aí... ;)

Quantos bons técnicos temos? Quantos teriam condições de estar em uma seleção? E profissionais de corpo técnico, tem algum que se salva?

Ninguém pensa mais na modalidade, naquela coisa poética do amor ao esporte e preocupação com ele e com suas atletas, em fazer o melhor pelo bem da modalidade. Talvez ainda exista um ou outro Pierrot que ainda demonstra paixão pela colombina que é o futebol feminino, mas está complicado.

Eu não me preocuparia tanto mais com patrocínio, visibilidade, investimento... se eu pudesse pedir algo a Deus em prol do futebol feminino eu pediria mais caráter para as pessoas que estão no meio porque provavelmente é o que o esporte mais necessitou e necessita em todos estes anos em que se arrasta tentando crescer no Brasil.

Mas eu, pra variar, só acho...

Minha visão de profissionalismo e de futebol feminino é tão diferente que eu devo ser o errado da história!