Translate

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Resultados: Copa do Brasil de Futebol Feminino


Ontem, dia 29/01, quarta-feira, teve início a Copa do Brasil de Futebol Feminino 2014.

Caucaia-CE, Kindermann-SC, São José-SP, São Francisco-BA e Rio Preto-SP já eliminaram o jogo de volta e estão na segunda fase da competição. Deram adeus Assemurb-AC, Foz-PR, Monamy-RN, Estrela Real-TO e Atlantico Erechim-RS.

O Comerical-MS e União Esportiva-AL estão em situação difícil e tem que "fazer milagre" no jogo de volta para passar à próxima fase.

O jogo entre São Raimundo-RR e Viana-MA foi o único jogo sem gols da noite.
Confiram os placares!

Jogos que não terão jogo de volta:Assemurb-AC 0 x 6 Caucaia-CE
Foz-PR 0 x 3 São José-SP
Monamy-RN 0 x 8 São Francisco-BA
Estrela Real-TO 0 x 6 Rio Preto-SP
Atlântico Erechim-RS 2 x 7 Kindermann-SC

Jogos que ainda terão o jogo de volta:
Picos-PI 4 x 0 Comercial-MS
Ferroviária-SP 14 x 0 União Esportiva-AL
Espigão-RO 0 x 1 Iranduba-AM
São Raimundo-RR 0 x 0 Viana-MA

Ainda completarão a primeira rodada da competição os seguintes jogos:

Dia 30
às 16h - Jaó-GO x ESMAC Ananindeua-PA
às 20:30h Mixto-MT x Duque de Caxias-RJ e Neves-MG x Capital-DF.

Dia 31
às 20:30 - Bahia-BA x Sport-PE e Vitória-PE x Botafogo-PB
Dia 01/02
às 16h - Santana-AP x Tuna Luso-PA
às 16:45h - Comercial-ES x Vasco-RJ

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

O Atleta e o Futebol: Se destacar fazendo o simples bem feito


É sempre bom conversar com pessoas que entendem de determinados assuntos.

Estive conversando com amigos que já jogaram e atuam hoje no meio do futebol. Esse papo foi realizado durante o Treinão do CETRAF (Centro de Treinamentos para Atletas de Futebol, com foco na preparação física), e foi um ótimo diálogo sobre futebol! 

É uma reflexão que é válida tanto para o Futebol Feminino quanto para o masculino.

É incrível como muitas jogadoras e jogadores de hoje tentam fazer o que não tem capacidade ou tentam realizar ações baseadas naquelas que não são suas melhores qualidades.

As jogadoras e jogadores de hoje não sabem fazer leitura de jogo, não sabem jogar sem a bola, tem uma movimentação muito deficiente e não exploram as suas melhores qualidades.

Por essas e outras, quando acontece de irmos jogar com essa garotada, muitos inclusive de clubes, fazemos o simples e nos destacamos. Exploramos o melhor dos nossos fundamentos, fazemos uma movimentação básica, aquele passe rápido, a leitura do jogo antes da bola chegar sabendo onde ela pode ir e mesmo recebendo ela de costas com um toque a colocamos nos pés de um atleta que está jogando conosco. E geralmente ouvimos: "Caramba, você joga muito!".

Como assim jogamos muito? Apenas fazemos o simples bem feito!

Seu forte é a distribuição de bola, visão de jogo? Então aproveite isso! Não adianta não ter o drible como um forte e querer driblar. Faça o fácil!

Muitas jogadoras e jogadores de futebol na história se destacaram fazendo o simples, roubando bola e passando ao jogador mais próximo, dando passes precisos e conclusivos, sabendo se movimentar sem a bola e assim abrindo espaços no esquema adversário, etc.

O futebol de hoje está muito abaixo do que pode apresentar e não é apenas culpa das(os) atletas. A culpa também é, em grande parte, dos profissionais que comandam estes atletas nos clubes.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

BRASIL E O FUTEBOL FEMININO: Somos mesmo o país do futebol?

Imagem: Publistorm.com
Aproveito o gancho do site do Bom Senso para perguntar também se o Brasil é o país do futebol!

O Brasil e a gestão de seu futebol ainda discriminam o futebol feminino e as mulheres que jogam futebol.

A discriminação acontece não só quando se julga a mulher que escolheu como profissão o futebol, mas também quando lhes deixam entregues ao tempo e à sorte, sem estrutura, sem reconhecimento, sem salários, sem respeito e sem expectativas.

Isso é violência contra a mulher sim! Isso é discriminação!

"O BRASIL É MESMO O PAÍS DO FUTEBOL?

De 684 clubes profissionais, 583 não tem calendário anual. Ou seja, 85% dos clubes ficam inativos por mais de 6 meses mo ano;

Dos 20 mil atletas PROFISSIONAIS, cerca de 16 mil recebem menos de um salário mínimo e ficam desempregados por pelo menos 6 meses no ano representando 82% dos atletas com menos de 2 salários mínimos, 15% desempregados por 6 meses e apenas 3%tem mais de 2 salários e jogam mais de 6 meses no ano;

O endividamento dos clubes brasileiros cresceu 74% nos últimos 5 anos;

Somente ao governo, os clubes devem cerca de R$2,5 BILHÕES. Isto é equivalente a 75 hospitais e 178 salas de aula;

Hoje somos o 18° país em média de público nos estádios do mundo, atrás de países como Austrália, e EUA.
fonte: Bom Senso F.C. - www.BomSensoFC.org"

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Força Tarefa de Futebol Feminino da FIFA realiza sua primeira reunião

Foto de FIFA.com

A Força-Tarefa da FIFA de Futebol Feminino, presidida por Moya Dodd, membro associado do Comité Executivo da FIFA e membro do Comitê Executivo AFC, realizou sua primeira reunião hoje na sede da FIFA em Zurique.

Durante sua primeira sessão, a força-tarefa formada por vários peritos e especialistas discutiram a situação atual do esporte e focada na criação de uma estratégia de FIFA para o futebol feminino, a curto e longo prazo.

Governança, igualdade, desenvolvimento, marketing, comunicação e gênero foram alguns dos temas abordados . A criação de uma Copa do Mundo de Clubes da FIFA Feminino também foi discutido e será analisado mais adiante.

"Estamos no bom caminho depois de uma primeira reunião muito construtiva. Agora precisamos implementar as nossas propostas e trabalhar para trazer os nossos pontos de vista e idéias em realidade. A FIFA deve ser o motor do desenvolvimento do futebol feminino e a força-tarefa fará o seu melhor para ter sucesso em sua missão ", disse o presidente da força-tarefa, Moya Dodd .

A criação da força-tarefa foi anunciada pelo presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, na sequência das reuniões do Comitê Executivo da FIFA em outubro de 2013. Depois de reconhecer a história do futebol feminino de 25 anos, o Comitê Executivo decidiu criar a Força-Tarefa para identificar e estabelecer as prioridades para o desenvolvimento do futebol feminino.

O resultado e as propostas do grupo de trabalho será agora apresentado ao Comitê da FIFA de Futebol Feminino e a  FIFA World Cup Feminina ™  em sua próxima reunião em 13 de fevereiro de 2014, antes de decidir sobre os próximos passos .

Os participantes da reunião foram: 

Presidenta 

Moya Dodd, o Comitê Executivo da FIFA membro associado 

Membros 

Junko Imai, membro do Comitê das Mulheres AFC, vice-presidente da CommitteeFran Hilton-Smith da Mulher JFA, Diretor Técnico da Associação de Futebol Sul-Africano 
Nicola Demaine, Futebol Development Officer da Mulher, Oceania Football Confederation 
Vera Pauw, instrutor da FIFA para o futebol feminino 
Jean-Michel Aulas, presidente do clube Olympique Lyonnais, substituído por Olivier Blanc, Director-Geral Adjunto do Olympique Lyonnais 

Secretário-geral da FIFA 

Jérôme Valcke 

Administração FIFA 

Thierry Regenass, Desenvolvimento e Associações Membro Diretor 
Mustapha Fahmy, diretor Competições 
Tatjana Haenni, Diretor Adjunto de Competições de Futebol Feminino

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Marta quer aliança entre o Bom Senso FC e o Futebol Feminino

"Marta quer aliança entre futebol feminino e movimento Bom Senso FC" - já que ela levantou essa bola, ela poderia ser a peça chave nesse elo e vestir a camisa do movimento.

Nada melhor do que ter um ícone da modalidade para dar o primeiro passo e assim atrair outras atletas para o movimento.

O Bom Senso demonstrou interesse em também abraçar o Futebol Feminino desde o começo, mas atletas se esquivaram e não abraçaram ao movimento.

Existe o medo da retaliação e das pressões por ir contra a Entidade de Administração do Desporto, mas o peso do nome MARTA, 5 vezes a melhor do mundo, poderia ser pressionado?

Acho que sua imagem e sua representatividade dentro do Futebol Feminino mundial tem mais peso e pode sim mudar a situação da modalidade no Brasil e esse pode ser o momento.

Já que ela demonstrou essa preocupação e interesse em ver o Futebol Feminino e o Bom Senso juntos, seria muito bom tê-la como representante da modalidade neste movimento!

domingo, 12 de janeiro de 2014

Futebol Feminino: Por que eu quase não falo sobre Seleção?

Constantemente algumas pessoas me procuram e perguntam porque eu quase não falo de seleção brasileira e competições que nossas meninas disputam.

Meu foco maior nunca foi noticiar jogos ou a seleção, falando sobre uma partida e placar ou como foi o jogo.

Existem muitos detalhes no Futebol Feminino que são tão importantes quanto a Seleção nacional. Importantes porque estes detalhes refletem diretamente nas nossas seleções femininas sendo assim operações que somadas resultam na qualidade de uma seleção. 

Muita gente fala e muito bem sobre jogos e resultados, porém raros os que falam dos detalhes dessa cadeia da gestão, administração, marketing, as dificuldades, os erros e os comportamentos existentes na nossa modalidade, e é neste ponto que eu entro.

Eu falo da parte mais desagradável, a menos interessante para muitos profissionais. Eu falo dos problemas, aqueles que precisam ser levados em consideração, mas que quase ninguém leva. Falo das coisas que ninguém fala ou que não querem que ninguém fale.

Eu falo sobre aquilo que influi diretamente na qualidade final do nosso futebol feminino que é a seleção. 

Por isso eu não costumo falar do produto final que é o selecionado nacional, porque eu talvez veja o esporte de uma forma diferente, mas que seria importante que todos quisessem compreender para fazer melhor pelo esporte.

Não se pode fazer de conta que estamos no caminho certo ou que os problemas são parte do passado. Estamos no caminho certo há décadas e nada muda, os problemas e dificuldades são as mesmas, logo, se estávamos no caminho certo acabamos em algum momento pegando o caminho errado.

E eu não faço de conta, eu não vejo um resultado bom em um jogo e me acomodo, porque sei que podemos melhorar muito. Sempre podemos! 

Além disso, se eu me acomodasse não teria diferencial nenhum pra tantos que estão acomodados por aí ou que foram corrompidos moralmente no meio do caminho e deixaram de lutar por aquilo no que acreditavam.

Então apesar das críticas, dos ataques, das retaliações diretas e indiretas é assim que eu falo e continuarei falando sobre o Futebol Feminino.

Utilizando a Copa de 2014 e Olimpíada de 2016 para dar visibilidade ao Futebol Feminino

Aqui no país da próxima Copa e da Olimpíada sempre se inventam desculpas para justificar a falta de investimento no futebol feminino. 

A principal delas é a FALTA DE VISIBILIDADE. 

Sendo assim, com o Brasil sendo o centro das atenções do mundo por ser o país sede da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016, acredito que ações utilizando a imagem do futebol feminino e suas atletas para divulgação dos eventos e até para "brincadeiras" com a imprensa, seriam capazes de popularizar e fortalecer o FUTEBOL FEMININO não só com a mídia, que deixa muito a desejar, mas também com a população.

Alguns exemplos de ações:
  • Colocar banners de propagandas no metrô, trem, ônibus, lojas de esporte;
  • Outdoors e propaganda nos termômetros das cidades e pontos de ônibus da Copa com jogadoras da seleção;
  • Colocar as jogadoras para fazer a divulgação da lista de convocados da Copa de 2014;
  • Realizar treinamentos da seleção masculina e a feminina no mesmo campo, lado a lado, com presença da imprensa;
  • Colocar as jogadoras para entrar em campo com os jogadores, não só do Brasil, mas de outras seleções;
  • Fazer vídeos das jogadoras da Seleção e até de clubes desejando sorte à seleção masculina na Copa e passar em rede nacional.
Isso seria utopia? Difícil de fazer? Eu acho possível!

A FIFA já deixou claro que tem preocupação com o desenvolvimento do Futebol Feminino, então não haveria problemas com a entidade máxima do futebol mundial. Pelo contrário, existe uma grande probabilidade de ações como esta serem apoiadas.

Temos a faca e o queijo na mão... ou seria a bola e a oportunidade?!

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Oportunidade no Futebol Feminino: BOTAFOGO-RJ abre testes para novas atletas


O Departamento de Futebol de 7 do Botafogo de Futebol e Regatas anunciou hoje por meio de sua página oficial no facebook que estará realizando testes para atletas que desejam a oportunidade de jogar na equipe de futebol de campo feminino do clube.

A peneira é para atletas entre 13 e 20 anos.

Os testes começarão no dia 14 de janeiro e será realizado todas as terças e quintas-feiras a partir das 09:00h (chegar com pelo menos meia hora de antecedência) no CEFAN (Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes), localizado na avenida Brasil, número 10.590.

Pelo fato do CEFAN ser área militar, as atletas deverão comparecer ao local utilizando calça pois não é permitida a entrada de bermuda/short.

As atletas devem levar:
Documento de identidade;
Uniforme de treino (Camisa branca, short preto e meião branco ou meia branca);
Chuteira de campo e caneleira.

Não será permitida a utilização de uniformes de outros clubes.

ATENÇÃO: Não sou eu quem realiza a peneira, então para maiores informações ENTREM EM CONTATO através dos links abaixo:

E-mail: dariosouza22@hotmail.com
Facebook do Dario Souza 
Facebook do Botafogo Futebol de 7

O clube também informa  para atletas de outros estados que não dispõe de alojamento.


terça-feira, 7 de janeiro de 2014

LEGADO: Após a Copa e a Olimpíada nossos atletas poderão viver do esporte? E como fica o povo?

O que vai ficar depois da COPA e da OLIMPÍADA será apenas a lembrança.

Não sou contra a Copa e sim com os gastos absurdos feitos. Enquanto isso saúde, educação e segurança continuam uma porcaria!

Se tivesse que escolher entre ter uma Copa no Brasil ou Olimpíada e saúde e educação, sem dúvida eu deixaria os eventos esportivos de lado.

Creio que a melhor forma de tornar os eventos esportivos um legado para o país é que, após a Copa de 2014 e Olimpíada de 2016, o Brasil tenha o esporte como carro chefe.

Uma tentativa de tornar o Brasil DE VERDADE um país olímpico, não na realização de um evento, mas na formação de talentos, no esporte como ferramenta de socialização e transformação de vidas. Atrair assim investidores, fazendo um trabalho sério e transparente.

Mas como vivemos no Brasil, acho que será MUITO DIFÍCIL disso acontecer.

O legado que restará provavelmente será apenas a lembrança de uma copa e olimpíada realizada no país, e infelizmente não vejo hoje a possibilidade de que 4 anos após o fim da Olimpíada, estejamos melhor no quadro de medalhas de competições internacionais.


É complicado até porque a corrupção existe dentro das próprias federações esportivas então se torna muito difícil ver os esportes crescerem. Não existe transparência e o ser humano se preocupa mais em encher o bolso de dinheiro a qualquer custo do que em trabalhar certo, fazer seu trabalho bem feito recebendo o que é justo por ele.

Teremos o legado estrutural, mas e o legado social?

Mesmo que depois dos eventos esportivos exista interesse de jovens por praticar esportes e se tornarem atletas, o país tem estrutura para atendê-los e realizar seus sonhos?

O país vai pegar estes jovens e transformá-los em grandes atletas que poderão viver do esporte?

Temos condições de nos tornar uma potência olímpica e mundial no esporte, atrair grandes patrocinadores, formar grandes atletas até porquê temos jovens com qualidades e características físicas para o esporte, mas nos falta muitas outras coisas.

No Brasil parece que não querem investir na formação de atletas e sim lucrar em cima do esporte e de alguns atletas. Todas as modalidades sofrem com isso!
Não somos um país olímpico!