Pular para o conteúdo principal

A valorização do Futebol Feminino

Valorização. Essa é a palavra mais comum de se ouvir e de se ler quando falamos de futebol feminino.

É algo que muitas pessoas querem, mas existe um aspecto que quase ninguém atenta e vou tentar explicar aqui o que eu entendo por VALORIZAÇÃO DO FUTEBOL FEMININO.

Analisando por definição VALORIZAR significa dar valor ou valores, aumentar o valor. ou ainda aumentar o merecimento, talento ou reputação, aumentar o quanto vale aquela coisa ou pessoa.

Eu acredito que neste caso do futebol feminino, valorizar seja muito mais do que uma palavra. Valorizar precisa ser um estado de espírito, uma filosofia e uma atitude constante dentro da modalidade. 

Não se pode esperar valorização vinda de fora se esta não começar a acontecer antes dentro da modalidade. O movimento inicial precisa ser de dentro para fora.

Li uma frase que muitos de vocês devem conhecer ou já devem ter ouvido algo similar: "eu preciso me amar, me cuidar, me mimar e me querer bem... NINGUÉM pode fazer por mim O QUE EU DEVO FAZER". A filosofia contida nessa frase resume qual a necessidade que as atletas e os profissionais precisam ter com o futebol feminino.

Muitas atletas e profissionais alegam por aí que cansaram de lutar, e eu até acredito em uma pequena parcela dessas pessoas, mas também sei que uma grande parte das pessoas que criticam, reclamam e dizem querer a valorização da modalidade não valorizam sua profissão.

Valorização requer consciência de direitos e deveres, requer ética e profissionalismo. Requer fazer o que é certo e lutar pelo que é certo. Requer não recorrer a meios errados para vencer, para se firmar, para trazer atletas, para chegar em uma final. 

Valorização é combater o errado e fazer crescer a partir do correto, cobrar o que é certo, se unir contra o que e quem é errado. É fazer para merecer!

Por enquanto, por tudo que vejo, posso afirmar que essa valorização do futebol feminino ainda não existe, e que a culpa não é da falta de mídia ou da falta de investimento de patrocinadores e sim pela falta de comprometimento, organização e ética da modalidade.

A vida nos mostra que se você não se valoriza como pessoa, ninguém irá valorizar você também! É como você age que irá fazer com que as pessoas te valorizarem ou não. Então não vamos culpar meios externos, mídia ou patrocinadores. 

Podem existir pessoas lutando em prol do futebol feminino por melhorias fora das quatro linhas e das estruturas de clubes e federações e estas podem sim conseguir melhorias, mas por mais expressivos que os resultados por estas pessoas ou entidades possa parecer nunca chegará perto da mudança que poderá ser provocada se as peças do espetáculo (atletas e profissionais) valorizarem o futebol feminino.

É preciso parar de coitadismo, fazer mais e esperar menos! É preciso começar a mudar de postura de dentro pra fora!

Mas, só acho...

Comentários