Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

Eduardo Pontes - "O CARA QUE CAIU DE PARAQUEDAS NA MODALIDADE"

Esta é uma das coisas que mais estou acostumado a ouvir a respeito de minha pessoa. As críticas são muitas, até mesmo de pessoas que vivem me chamando por inbox se fazendo quando precisam de algo, mas que falam mal e denigrem minha imagem por aí.
Pois bem, todos que entraram no Futebol Feminino, um dia, também "caíram de paraquedas". Assim que se começa, do zero e aí, aos poucos as coisas vão acontecendo.
E convenhamos que com caráter, bom senso e boa vontade muita coisa pode ser feita na modalidade. E estou aí... 6 anos, alguns meses e contando..rs
Talvez eu não agrade... ou melhor, eu sei que não agrado a pelo menos 90% dos profissionais da modalidade que estão hoje no mercado.
Jesus não agradou a todos, quem sou eu pra agradar? E nunca irei agradar muita gente, até porque, no futebol feminino, agradar é significado de "puxar saco" ou de apenas noticiar uma ou outra coisa que lhes é de interesse, ou que eleve seus nomes. Uma pena que os problemas da modalidade n…

Alteração e lambança no Brasileirão Feminino 2014

Sinto cheiro de lambança no ar ... Ao que parece e pelo que já foi confirmado, até onde sei, a CBF está tentando trazer equipes de camisa para o brasileirão feminino, sendo assim ela mudou a forma de ranqueamento e também o regulamento da competição, porém não estou sabendo profundamente dos detalhes.
Pelo que li no site da Federação Maranhense de Futebol, e que algumas pessoas me confirmaram, a Sport Promotion tem novo critério, que foi discutido e aprovado pela CBF.
"O novo critério para a participação das vinte equipes para a temporada, de 10 de setembro a 22 de novembro, deverá ser este:
1ª chamada - os oito primeiros colocados no RNFF/2014: São José (SP), São Francisco (BA), Vitória (PE), Foz Cataratas (PR), ADECO (SP), Duque de Caxias (RJ), Kindermann (SC) e Vasco da Gama (RJ); 2ª chamada - para as 12 vagas restantes, os clubes que disputaram o Campeonato Brasileiro da Série A em 2013 (obedecendo ordem de classificação); 3ª chamada - caso as 20 vagas não sejam preenchidas nas…

Profissionais do FUTEBOL FEMININO

Postei isto no meu facebook, assim como no VoaGoleiro.com, mas é sempre bom destacar então estou postando também no meu blog.
LIBERDADE DE EXPRESSÃO:
Atenção profissionais, seja de clube ou de seleção…


As atletas tem direito de curtir, compartilhar e conversar o que e com quem quiserem no dia a dia e nas redes sociais.

Se vocês convocam ou não, ou escalam ou não atletas porque essas jogadoras conversam sobre o que ou com quem vocês não gostam, recomendo que cuidem e se preocupem mais com a qualidade de seus trabalhos como profissionais e de suas condutas.
Até porque fica bem feio se doer por situações em que nenhum nome geralmente é citado, simplesmente porque você se encaixa dentro do que é criticado: tipo esse post!
Esse post, por exemplo, é apenas um alerta a vários “profissionais” que se encaixam neste perfil e que acham que tem o direito de controlar da vida pessoal de suas atletas.
Posição de treinador ou de membro de comissão técnica não te dá este direito!

Boa sexta!

Elas Não Merecem Ser Estupradas

Vivemos em uma sociedade em que os meninos são tratados por seus pais, em sua grande maioria, como "comedores", machos alpha, que podem tudo, que devem pegar todas e isso é tido como lindo!
As mulheres, criadas para serem submissas, cuidar da casa, da família, se darem ao respeito, zelarem por sua imagem, ter cuidado pra não ficar com fama disso ou daquilo.
Um  menino pode namorar todas, mesmo que tenha apenas 12 anos. Já a menina, mesmo que tenham mais idade e mais maturidade, não podem falar de sexo, não podem namorar vários, não podem ir a um motel... já menino pode né?!
Minha mãe sempre pregou o respeito a todos independente da cor, sexo ou religião. Sempre pregou igualdade para com as mulheres, batia nessa tecla sempre, e sempre exemplificou para que eu entendesse que eu não podia fazer o que quisesse com as mulheres. Eu tenho uma irmã, eu tenho uma mãe e então devia respeitar as demais "da mesma forma" que as respeito, tratá-las como um ser e não como um ped…