Translate

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Futebol Feminino na TV? O patinho feio se transformaria então no cisne bonito e barato!

A TV Brasil demonstra interesse em transmitir o Futebol Feminino em sua grade já há alguns anos! Não é nenhuma novidade e parece que agora essa vontade fica mais forte.

Mas será que quem administra a modalidade quer ela sendo exibida na TV?

O Futebol Feminino na TV aberta teria a capacidade de quebrar a mística de que a modalidade não vende ou não tem espaço/interesse da mídia.

Outra consequência seria a necessidade de melhor gestão de clubes e federações com transparência das informações e prestação de contas. Além disso contratos entre clubes e atletas seriam fundamentais para a definição dos direitos de imagem de cada atleta.

Seria uma reviravolta com empresas querendo aparecer na TV tendo como ferramenta para tal a utilização das camisas dos clubes sob a forma de patrocínio esportivo, afinal o valor de patrocínio anual seria infinitamente menor do que o valor pago para aparecer na TV ao longo da temporada, sem falar nos demais meios de comunicação como jornais e revistas impressas e digitais.

O patinho feio se transformaria então no cisne bonito e barato!

Os clubes e dirigentes querem este dinheiro. Mas os clubes e dirigentes estariam dispostos a ter contratos registrados com suas atletas? Pagar em dia? Prestar contas ao público?

Todos podem se dar bem trabalhando direito. Oportunidades surgem, basta ninguém ficar pensando no próprio umbigo, pensar em ganhar o que lhe é justo e pagar a suas atletas o que é justo e da forma correta!

Tenho dúvidas se dirigentes vão querer a TV se forem de alguma forma "forçados" a trabalhar corretamente.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Futebol Feminino - Seleção Brasileira Sub-20 se despede do mundial

A seleção sub 20 se despediu do mundial do Canadá sendo derrotado para a Alemanha.

Eu não me surpreendo com o resultado final por tudo que conhecemos da falta de estrutura de base no futebol feminino brasileiro, parabenizo as atletas e grupo pelo empenho mas deixo claro a todas que espero que aproveitem a oportunidade para refletir e melhorar ainda mais e aprender a avaliar e questionar tudo que é "empurrado" pra vocês de qualquer jeito.

Vexame? Vergonha? Das atletas e dessa seleção aí? DE FORMA ALGUMA! 

Vergonha sim pela estrutura que o país oferece à modalidade, pela gestão ruim dos clubes, pela postura da grande maioria daqueles que se acham profissionais da modalidade mas se preocupam apenas com seus trabalhos e seus umbigos.

Dos desvios de verba, do assédio moral e sexual dentro do futebol feminino, da troca de favorzinhos... disso tudo que eu tenho vergonha!

Os problemas não são de agora, a grande maioria sabe ou entende boa parte do que deve ser necessário para mudar os resultados. Que as pessoas da modalidade se unam para brigar pelo que é justo e gastem nisso a mesma energia que usam para tantas outras coisas. Mas que façam sem esperar nada em troca e pensando no futebol feminino e só!

"Brasil eliminado de goleada igual ao masculino na Copa".

Essa é a frase que canso de ler e que ainda muito vou ouvir.

Pena que as emissoras de Tv e veículos de comunicação, e várias pessoas, que nada sabem do nosso futebol feminino irão querer comparar os resultados da principal masculina e sub 20 feminina.

A situação é incomparável! A estrutura de base masculina no Brasil, apesar de toda dificuldade ainda é MUITO MELHOR do que a estrutura de base feminina. Além disso jogadores da masculina adulta ganham até 5 milhões de reais por mês de salário enquanto meninas mal tem clubes, campeonatos, não tem contratos e recebem ajudas de custo inferiores a um dia de trabalho de qualquer jogador profissional.

O resultado de 5 x 1 diante de uma forte Alemanha é apenas reflexo da importância que o Futebol Feminino tem aqui no Brasil e de como ele é gerenciado. 
Enquanto a Entidade de Administração do Futebol Brasileiro acreditar que não tem responsabilidade na gestão da modalidade como um todo e pensar apenas na gestão das suas seleções, perderemos de 5 x 1 muitas e muitas vezes ainda. Me pergunto, até quando?

Queria que os meios de comunicação perguntassem ao presidente da CBF qual o planejamento da entidade para mudar a realidade do futebol feminino no Brasil, uma vez que as principais federações nacionais de futebol no mundo se preocupam com o esporte como um todo e não apenas com suas seleções.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

ESPORTE: É necessário repensar a formação de atletas e cidadãos no Brasil

No Brasil, clubes querem atletas iniciando sua carreira e já "maduros", dominando toda a técnica, tática e com exemplar desempenho físico pois assim lucram mais rápido. Se o atleta tiver alguma deficiência em algum destes quesitos, dificilmente será aprovado em uma peneira.

Se isso acontece, o esporte que deveria ter o papel de ferramenta de educação e inclusão social acaba tendo o papel inverso sendo então um discriminador.

Já em outros países o atleta é avaliado como um todo e não apenas como ele já apresenta. São avaliadas as qualidades do atleta, mas também são analisadas suas deficiências e projetado o quanto o atleta poderá evoluir se tiver suas deficiências trabalhadas e consequentemente somadas às suas qualidades.

No Brasil existe a preguiça dos profissionais em tornarem-se FORMADORES DE ATLETAS por conta da nossa filosofia imediatista muito comum aos clubes e aos "gestores" amadores que existem à frente das agremiações esportivas. Mas claro que existem exceções de profissionais preocupados sim com a formação não só de jovens atletas, mas de cidadãos.

No caso do futebol masculino e FEMININO (mas também enquadrado à diversas outras modalidades coletivas e individuais), enquanto não pensarmos à longo prazo e planejarmos para que os resultados comecem a aparecer com pelo menos 2 a 3 anos de trabalho (pensando no médio prazo) e visando as metas de longo prazo, continuaremos involuindo quando deveríamos, assim como diversos países do mundo, evoluir.

O professor, educador, treinador e gestor Miguel Luz disse uma frase muito correta em recente entrevista e que deveria ser levada como alicerce de qualquer modalidade esportiva e alicerce do país: "Independente do desporto, o futuro está na base".

Consequentemente, para evolução do desporto a forma como se trabalha a base deve ser cuidadosamente pensada, repensada e valorizada. Clubes devem incluir mais e excluir menos.

O Brasil poderia ser uma potência olímpica em todas as modalidades, mas pra isso é necessário repensar como é conduzido o esporte desde a fase de iniciação, então creio que devemos repensar seriamente a educação física escolar e o seu papel considerando-a ferramenta fundamental no desenvolvimento do indivíduo física e moralmente, sejam estes futuros atletas ou não, simplesmente pensando na formação do cidadão através do esporte.

Vivi o esporte desde novo e em diversas modalidades esportivas tanto à nível de participação como de competição/alto rendimento e vi o que o esporte foi capaz de fazer na vida de centenas de crianças e jovens. O poder de transformar pensamentos, vidas e perspectivas de futuro.

Com crianças mais ativas em uma sociedade cada dia mais tecnológica e sedentária veríamos os índices de obesidade infantil diminuir. As capacidades físicas e motoras seriam aprimoradas tendo jovens com melhor coordenação motora, teríamos jovens crescendo apaixonados pela atividade física e levando isso para toda a vida, e ainda estaremos contribuindo para o futuro de potenciais atletas nas mais variadas modalidades, reduzindo o índice de adultos e idosos com doenças que foram prevenidas através do esporte e atividade física durante toda a vida.

Isso sem contar toda as mudanças e crescimento social proporcionado a todos que tiveram acesso a esta maravilhosa ferramenta que é o esporte.

Mas, como de costume, só acho...

Boa sexta a todos!

terça-feira, 5 de agosto de 2014

FUTEBOL FEMININO: Brasil estreia no Mundial Sub-20 do Canadá

Hoje começa a caminhada das meninas do Brasil no Mundial sub-20 do Canadá, comandadas por Doriva Bueno e CIA!

O Brasil está no grupo B, com Alemanha, EUA e China, sua adversária na estreia que acontece hoje às 23h (horário de Brasília) com transmissão da SporTV no Canal SporTV 1. A BAND reprisa o VT do jogo do Brasil às 2h da madrugada.

Abrindo a primeira rodada da competição hoje teremos:
18h - Finlândia x Coréia do Norte
20h - Alemanha x EUA
21h - Canadá x Gana
23h - China x BRASIL

Os jogos poderão ser acompanhados pelo site http://www.rojadirecta.me/

Boa sorte a todas atletas e membros da comissão técnica! Estamos na torcida! VAI BRASIL!!!

O Brasil e a precária e atrasada estrutura esportiva

A estrutura esportiva no Brasil deixa
muito a desejar (imagem ilustrativa)
Assistindo a reportagem/documentário sobre o Joaquim Cruz, grande campeão no atletismo nacional, ouro olímpico em 1984.

O Brasil poderia formar grandes atletas e ser uma das maiores forças mundiais do esporte porque tem uma mistura de raças que fornece biotipos para a prática de toda e qualquer modalidade esportiva.

Joaquim deixou o Brasil para treinar nos EUA porque não haviam escolas que permitissem o treino e o estudo caminhando juntos. 


Será que algo mudou de 1984 para 2014? Acho que não preciso responder...

30 anos se passaram e hoje este guerreiro brasileiro, recordista e medalhista mundial,  treina atletas militares e paraolímpicos dos EUA. Não teria ele espaço formando grandes nomes do atletismo nacional? Vai ver não tem capacidade e por isso treina atletas na precária estrutura norte-americana, deve ser isso né?!

Estamos muito atrasados na estrutura esportiva, educacional e social de um modo geral! É lamentável e vergonhoso! 

Quantos potenciais atletas temos? Quantos poucos conseguem ir além e alcançar sonhos? Quantos conseguem continuar vivendo do esporte ao fim da precária e sofrida carreira de atleta brasileiro?

É triste demais a nossa realidade! Enterramos sonhos e matamos futuros todos os dias, e depois não entendemos porque existem tantos jovens em caminhos  errados! Não que a falta de esporte justifique a escolha dos jovens afinal estão associadas a diversas outras deficiências sociais e educacionais... mas pensem como o esporte poderia preencher estas lacunas e mudar a vida destes jovens.

Quantos meninos e meninas, quantos bairros, quantas cidades, quantos municípios, quantos estados poderiam crescer através do esporte? 

Quanto a nossa economia poderia ser forte baseada no esporte, em patrocinadores, formação de atletas, conquista de títulos, excelência no esporte sendo referência, escola e espaço de pesquisa mundial? O quanto tudo isso tornaria o Brasil o país de todos os esportes e não apenas o "país do futebol"?

Ainda estamos muito muito muito e muito longe do básico aceitável! Me envergonho e peço desculpa aos nossos atletas pelo país em que vivemos e pela pouquíssima condição de futuro esportivo que esse país proporciona a vocês! 

Mas também parabenizo a todos aqueles atletas que conseguem chegar a competições com todo seu esforço pessoal e lutando contra toda a falta de estrutura que temos! Vocês são heróis!