Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

Futebol Feminino: O que espero de 2016?

Futebol Feminino: O que espero de 2016?
Eu gostaria de esperar um brasileirão feminino com um nível técnico bemmmm melhor! Mas isso depende de clubes, profissionais e atletas. Em alguns casos uns tem mais culpa, em outros menos, em outros fica empatado, mas todos tem SIM culpa.
É Triste quando é tão óbvio um comentário ou observação de jogo e mesmo assim atletas e profissionais se revoltem com eles. Me pergunto se não assistem seus jogos ou se não tem noção do que acontece em campo! Muitos jogos da temporada foram duros de assistir.
Outro fator preocupante de 2015 é que o Brasileiro feminino com 3 anos seguidos não consegue se consolidar e não vende, não porque é um coitadinho, mas em grande parte porque se mostra um produto ruim. Devemos nos preocupar e tentar fazer um 2016 que dê gosto de assistir. Organização, clubes, profissionais e atletas, todos devem se preocupar com isso, apesar de eu saber a dificuldade de alguns casos em fazer mais, mas mesmo com pouco, muito pode ser feito …

3 anos de Brasileirão Feminino na TV e não mostramos que merecemos aquele espaço que tanto reclamamos

3 anos de Brasileirão Feminino na TV e não mostramos que merecemos aquele espaço que tanto reclamamos.
Os problemas são muitos e os fatores diversos!!  Poucos clubes se programam com antecedência até porque tirando os de São Paulo são poucos os que tem calendário pra mais de 3 meses.
Quando chega o Brasileirão os times estão montados "em cima da hora" ou devido a falta de calendário em seus estados, ou também por falta de maior organização de seus dirigentes, não terão como apresentar um trabalho melhor e futebol mais vistoso.
Além desses fatores a falta de noção de quem gerencia a competição e escolhe os jogos de TV faz com que o futebol feminino tenha imensa dificuldade de conquistar novos expectadores e também faz com que a estigma de futebol ruim/produto ruim se reforce.
Adianta ter uma competição apenas por ter? O espaço de mídia pode alavancar uma imagem bem como pode derrubar qualquer coisa que apresente um material ruim.
Mas o que os clubes podem fazer além de se or…

Brasileirão Feminino: Cadê o nível Técnico?

O nível técnico dos jogos e das jogadoras no Brasileirão Feminino está de mediano baixo para ruim.
Atletas técnica e fisicamente mal, inteligência de jogo quase nenhuma.
A intenção não é criticar e sim alertar porque pra dizer coisa bonita tem um monte, já pra apontar onde precisamos melhorar... 
O pior é que isso, essa deficiência, é um retrato do futebol feminino brasileiro como um todo (quase que generalizado mesmo... quase) que luta contra profissionais de clubes que acham que são muito bons e perpetuam essa mediocridade de nível porque não corrigem quando devem e não cobram mais e mais a cada dia de suas atletas.
O futebol feminino luta também contra as jogadoras, que por sua vez, acham que jogam muito mais do que elas realmente jogam. (Por favor, assistam os VTs de seus jogos!)
Jogadoras ou atletas? Ao que parece uma maioria de jogadoras despreocupadas com o seu baixo domínio de fundamentos básicos.
Nem mesmo jogadoras de seleção estão escapando e apresentando algo diferenciado…

Futebol Feminino: faltam peças de qualidade hoje e continuarão faltando daqui a 20 anos

O futebol feminino brasileiro passa por momentos de dificuldade principalmente quando o assunto é formação de base e reposição de talentos.
Raríssimos os clubes que tem algum trabalho nesse sentido. Logo os reflexos são vistos na dificuldade de localizar peças de reposição para a seleção brasileira de futebol feminino.
As atletas das categorias adultas refletem bem a nossa cultura que pouco se preocupa em como e onde são  formadas nossas jogadoras.
Mas como refletem?  Refletem quando vemos dificuldades físicas, táticas e técnicas nos jogos. Erros de passe, batida na bola pouco polida, dificuldade de domínio, grande dificuldade em jogar de cabeça erguida, a dificuldade de raciocínio e identificação da melhor opção para um passe em progressão, entre outras coisas.
Além da enorme dificuldade por estas meninas terem ficado dos 10 aos 16 ou 17 anos sem um trabalho mais adequado focado no básico que qualquer jogadora necessita, enfrentamos o problema de haver poucos trabalhos em categorias…

CBF - ALELUIA, camisas da seleção feminina no mercado?! Demorou eihn! Mas ainda não basta!

Finalmente parece que a CBF pretende conversar com a NIKE para colocar no mercado as camisas da seleção feminina de futebol. Essa era uma das maiores reclamações das mulheres em relação a material esportivo da seleção. A maior reclamação, claro, continua sendo a falta de apoio.
Os discursos que temos visto são de investimentos, apoio, mudanças e assim esperamos que seja feito porque não basta dar um almoço depois da conquista de um ouro Panamericano pra dizer que a coisa está mudando. O buraco é mais embaixo.
Infelizmente a situação do futebol feminino, por seu histórico é o VER PRA CRER.
- Ainda estamos absurdamente longe de uma modalidade estruturada e auto suficiente. A formação de atletas é precária, a estrutura dos clubes e as questões trabalhistas são quase nulas.
- Clubes de camisa entram na modalidade com um planejamento tão bem pensado que saem no mesmo ano ou logo no ano seguinte. Em estados como o Rio de Janeiro, por exemplo, "times de aluguel", como o da Marinha …

A formação no FUTEBOL (e no esporte) BRASILEIRO

Nosso futebol se preocupa tanto com a altura, a força e a velocidade que esqueceu coisas extremamente importantes como a inteligência, percepção do espaço de jogo, do sistema de jogo e do próprio corpo, a excelência nos fundamentos básicos, desenvolvimento motor, equilíbrio...
Se trabalha o físico em excesso e se esquece do básico. Querem meninos de 16 anos fortes e velozes para ganhar dinheiro rápido em cima deles, sem se preocupar com quantas cirurgias de joelho ou quantas lesões ele vai ter até seus 25 anos muito menos em quantas deficiências técnicas o indivíduo terá.
No futebol feminino então, nem se fala, porque não existe base e as meninas de 16 anos chegam carregadas de deficiências básicas e só conseguem evoluir tecnicamente aos 25 a 28 e até lá terão sofrido pelo menos 2 a 3 lesões de joelho. E as pessoas querem falar de crescimento e evolução sem levar em consideração nenhum desses fatores e como de costume, estão fazendo besteira.
Os nossos "profissionais" preci…

Mais uma copa chega ao fim e ainda choramos pelas mesmas coisas

É, na noite deste domingo chegou ao fim a Copa do Mundo de Futebol Feminino do Canadá.
A seleção dos EUA se consagrou tri campeã ao bater o Japão por 5 x 2.
Uma linda festa, estádio cheio, alguns bons jogos ao longo da competição outros nem tanto... e o Brasil...
Para nossa tristeza, mas com nenhum espanto, não chegamos à final. Torcemos muito por isso, é verdade, mas o insucesso era algo totalmente dentro do cronograma de um país que conduz a modalidade da forma como faz... ou melhor, que não conduz.
Apesar do esforço da CBF em fazer a seleção permanente, com toda estrutura possível, e com o questionamento de contestadíssimas convocações e críticas de clubismo, a coisa não andou e nem andaria de forma perfeita. Eu mesmo já havia dito muito antes da copa que o Brasil poderia aproveitar a copa para se "balizar" em relação a outras equipes e pensar na olimpíada de 2016. Pra mim o mundial nunca foi objetivo de pódio, mesmo torcendo pra que, quem sabe, acontecesse.
Além do mais…

Futebol Feminino Brasileiro - Ah, mas o ouro mudaria tudo!

Uma das coisas mais erradas que podem existir no futebol feminino brasileiro é o pensamento de que só o ouro mudará as coisas. 
Será que vocês não percebem que o problema não é nem nunca foi o ouro?
Eu, particularmente acredito que são as coisas que precisam mudar para que um dia conquistemos o ouro e não o contrário. É como a busca desesperada da modalidade por mídia quando não temos ainda um produto completo para apresentar ao mercado. Hoje, meninas de 10, 11 anos, de todo Brasil, não tem onde jogar se assim quiserem.
Não temos competições de base, os profissionais e clubes sempre esperam que alguém ajude, mas eles mesmos (em sua maioria) não buscam trabalhar para se sustentar e manter o ritmo.
Claro, existem outros clubes e profissionais que se esforçam sim. Mas ainda falta o espírito coletivo de pensar no bem na modalidade.
Ainda pensamos no meu bem, no bem do meu projeto, que eu deveria estar na seleção, que o meu trabalho é melhor que o de A ou B, mas em nenhum momento pensamo…

A modalidade não cresce porque Brasileiro não gosta de Futebol Feminino! É mesmo?

Olá amigos! O blog anda parado, mas de vez em quando, sempre que tiver algo a dizer, darei uma passada por aqui.
Hoje ficou mais fácil porque estou de folga e entre uma coisa e outra parei rapidamente para escrever.
Quando muitos dirigentes de clubes, federações, representantes da TV e até pessoas da CBF ou Ministério do Esporte falam das dificuldades do futebol feminino, citam a falta de interesse do brasileiro pela modalidade como uma das barreiras que impedem a modalidade de crescer. 
Eu discordo totalmente desta afirmação tão comum. 
Já disse outras vezes e repito: BRASILEIRO AMA ESPORTE! e não interessa qual esporte seja.
Amigos, o brasileiro (e quando falo brasileiro, me refiro ao povo brasileiro, homens, mulheres, crianças, adultos e idosos) assiste qualquer esporte na TV ou no estádio. Basta um mínimo de divulgação. 
Durante a semana, na partida entre Inglaterra e Colômbia, pelo mundial de futebol feminino, saí da empresa para fazer um lanche e parei na lanchonete ao lado da e…

INSATISFAÇÃO NO TRABALHO - ALERTA VERMELHO

A insatisfação no trabalho é um grande problema que afeta milhares de pessoas em todo o país e no mundo.
O funcionário insatisfeito pode utilizar a insatisfação como combustível para aprender, crescer e até criar ações ou projetos que solucionem problemas dentro do setor/empresa. PORÉM, o mais comum é que as pessoas insatisfeitas passem a render cada dia menos.
Na maioria dos casos, a pessoa insatisfeita deixa de enxergar as oportunidades e passa a ver somente os problemas e então passa a apontá-los diariamente. E quando você apenas aponta problemas, sem tentar solucioná-los ou sem enxergar neles oportunidades, você deixa de crescer. Você involui e se torna O CHATO DA EMPRESA.
Os sintomas são clássicos: 1- o seu salário que é menor que o de todo mundo; 2- você trabalha mais que todos e não é reconhecido; 3- tudo para você é mais difícil; 4- ninguém te compreende; 5- você tem sempre razão.
A verdade é que a insatisfação faz com que você trabalhe menos do que muitas pessoas ao seu redo…

É chegada a hora do adeus

Olá amigos e amigas que há tanto tempo acompanham o blog e os textos publicados aqui e em minhas redes sociais.
Hoje venho lhes comunicar que não estarei mais dando continuidade neste trabalho em escrever sobre a modalidade Futebol Feminino.
Foram muitos anos de dedicação, estudo, pesquisa e esforço, mas é chegado um momento em minha vida no qual é preciso focar em prioridades maiores como minha vida pessoal e profissional.
Como bem sabem, o futebol feminino nunca me deu nada além de alguns bons amigos. Renunciei por anos a mim mesmo e a meu futuro pessoal e profissional, me esforçando e cobrindo gastos do próprio bolso para acompanhar jogos e competições, investir em projetos de futebol feminino, além de demandar tempo, muito tempo, para trazer informações e expor meu ponto de vista sobre muita coisa.
Me orgulho de tudo que fiz até aqui... mas é hora de dar tchau!
É então chegada a hora do adeus!
Foram cerca de 8 anos acompanhando a modalidade e 5 a 6 anos escrevendo sobre. Muitas ami…

Futebol Feminino

Se o futebol feminino fosse um produto bom, organizado e bem desenvolvido (pesquisa, promoção, bem planejado e projetado, diferenciado) os clubes "de camisa" do futebol masculino já teriam entrado faz tempo.
Querer a entrada dos clubes de camisa sem avaliar bem e cobrar determinadas coisas é querer colocar a carroça à frente dos bois e esperar que ela ande no caminho certo ou na velocidade correta. Minha opinião! A camisa é legal, o público é legal, mas a mentalidade dos clubes de camisa em relação ao futebol feminino é a pior possível!
Precisamos nos preocupar com o formato do produto, em como torná-lo sustentável, interessante, atraente, na base, na escola. Aí sim as coisas começarão a andar! Precisamos pensar nos clubes que já fazem o futebol feminino e não estamos pensando neles em momento algum até agora, ou estou enganado?
A MP do futebol pode até parecer legal, mas pode se tornar um enorme problema para o desenvolvimento da modalidade baseado no meio sujo, corruptíve…

Todas as jogadoras da Seleção merecem estar por lá?

Todas as jogadoras da Seleção merecem estar por lá?
Se questionem MUITO SOBRE ISSO!
Acho que precisam pensar que muitas outras queriam e poderiam estar ali, então elas tem que treinar e jogar como se cada jogo fosse impedir a destruição do mundo, a morte dos pais, a morte do animal de estimação. .. sei lá! Jogar tudo que podem!
Porque dá pra melhorar e MUITO!
Não importa se joga no Brasil, na Europa, se já disputou mundial, olimpíada ou se só jogou o campeonato do bairro... São todas iguais, ninguém maior que ninguém e acho que se não rende, se estiverem acomodadas, com história ou sem, devem ficar de fora das importantes competições que vem por ai.
A preocupação de muitos é com o Pan, o mundial e a Olimpíada.
A minha preocupação é com renovação de atletas e do tesão em vestir a amarelinha (coisa que muitas meninas já não tem como antes), qualidade, futuro e a sustentabilidade da modalidade que depende em muito das atitudes de quem trabalha e de quem joga (além das outras de gestão q…

Futebol Feminino: Temos que educar a base para ter atletas melhores

Estamos sempre muito preocupados em profissionalizar a modalidade e criar competições, geralmente, tendo o pensamento sobre "profissionalismo" estando associada a categoria adulta.
Precisamos pensar em formar e moldar o pensamento, as características e estilo de vida do profissionalismo das meninas mais novas também porque elas são o futuro da modalidade.
Hoje as meninas novas apenas reproduzem/copiam os maus comportamentos e exemplos que vem de jogadoras mais velhas e de profissionais do meio.
Se não dermos atenção à nova safra do futebol feminino não mudaremos nada.
É preciso fazer entender, por conceitos e principalmente pelo exemplo, desde muito cedo, o que significa ser profissional.
Pelo menos é meu ponto de vista.

Futebol Feminino: Antes de cobrar, seja exemplo.

FUTEBOL FEMININO... é comum ouvir:
"Temos que ter uma liga... Temos que ter TV... Temos que ter espaço na mídia...
A mídia nos odeia...  Os patrocinadores são preconceituosos e não gostam do futebol feminino..."
Acho as questões do que devemos ter até bacana, até compreendo as reclamações sobre mídia e patrocinadores... mas ando refletindo muito.
Vamos raciocinar: que produto temos a oferecer? O futebol feminino tem potencial? O produto é bom?
Atletas fisicamente mal preparadas, tecnicamente muito abaixo do que podem render, clubes e profissionais que não podem ser chamados exatamente de profissionais, organização e logística precárias.
Estamos trabalhando corretamente para ter um produto realmente interessante?
O produto, hoje, não é nada bom. Tem potencial, mas não é bom porque peca nos detalhes mais importantes.

Não podemos levar à TV um futebol de passes errados, chutões, falhas básicas de marcação, posicionamento e leitura de jogo, pouco domínio dos fundamentos básicos…

FUTEBOL FEMININO: Por que dirigentes, clubes e federações não querem investir na modalidade?

A coisa é bem simples: a dificuldade de se investir na modalidade por parte de dirigentes, clubes e federações é porque é barato, o custo de patrocínio é pequeno, logo não dá pra embolsar aquela grana gorda e comprar um carrão zero.
Na verdade, o Futebol Feminino pode sim dar lucro, mas o problema é que ninguém quer fazer o que é necessário e que demanda tempo.
Investir no masculino é mais fácil porque é um produto mais ou menos onde se ganha alguns milhões com venda de atletas embolsando uma grana em acordos obscuros de patrocínio, contração e venda, coisa que não acontece no futebol feminino, então melhor ainda sendo em clubes de renome né?

Por que NENHUM DIRIGENTE tenta abrir um clube novo e começar do zero? Porque não querem ter trabalho pra encher o bolso.
O futebol feminino tem espaço, basta ser trabalhado porque com muito pouco é possível muito! Não é difícil ou impossível, é apenas trabalhoso! (O vôlei, por exemplo, é uma prova de que trabalhar gera resultados)
Se a modalidad…

Beach Soccer Feminino do Botafogo permanece. Masculino também.

Com as recentes notícias do fim da equipe de Basquete feminino do Botafogo, existia grande receio que o Beach Soccer Feminino do clube também seguisse o mesmo caminho.
Após diversas reuniões a Diretoria do Botafogo Futebol e Regatas decidiu pela permanência da modalidade (masculino e feminino) com o atual Coordenador Geral Carlos Dreux. 
O Beach Soccer do Botafogo retomará as atividades oficialmente no dia 19 de fevereiro.
Fico triste pelo basquete feminino glorioso do botafogo, mas feliz pelo beach soccer. Que o clube, se reestruturando, retome as atividades em outras modalidades. 

Desligamento do Grupo de Trabalho do Ministério do Esporte

Eu, Eduardo Pontes, venho por meio desta nota comunicar meu desligamento do Grupo de Trabalho da Comissão Geral do Futebol Feminino - Ministério do Esporte Ministério do Esporte do Brasil.
Foi um grande prazer fazer parte do grupo desde a primeira reunião, antes mesmo de sua formação, em fevereiro de 2012.
Estes 3 anos foram um período de grande aprendizado, amadurecimento e evolução. Oportunidade de contato com muitas pessoas de idéias, ideais e pensamentos variados, mas sempre focados no Futebol Feminino. Foram reuniões, projetos, planejamentos, emails, ligações, opiniões, idéias expostas e debatidas para tentar tornar o futebol feminino brasileiro melhor e acredito que uma ou algumas sementes foram plantadas, mas ainda há muito pela frente.
Agradeço ao Sr Ministro Aldo Rebelo pela oportunidade e atenção dispensada, agradeço à coordenadora de Futebol Feminino do Ministério do Esporte, Sra. MJackson Dos Santos pela confiança, assim como a todos os que fizeram e/ou fazem parte deste …

Um brasileiro executado na Indonésia. E os brasileiros executados todo dia pela política no Brasil?

Um Brasileiro foi executado hoje na Indonésia! Comoção, comentários, e tudo mais. Indignação política!
Mas me digam: Quantos brasileiros são executados todos os dias aqui mesmo, no Brasil?

Todos os dias brasileiros e brasileiras são executados porque, apesar de continuarem vivos, seus sonhos, seus direitos e suas esperanças são dilaceradas, esquartejadas, e assim estes brasileiros morrem gradativamente, pouco a pouco. É uma morte a longo prazo!
Talvez seja complicado comparar a pena de morte à pena da escravidão imposta pela forma como a política é conduzida no país, mas esta é apenas uma expressão de pensamento meu, uma reflexão.
Policiais executados, inocentes executados, inocentes encarcerados.
Jovens, o futuro do país, escravizados por uma educação básica precária que é assim exatamente para deixá-los ignorantes, sem poder raciocínio e logo sem poder de decisão.
Acho muito curioso o governo se preocupar com o cidadão brasileiro executado na indonésia. Este é o cúmulo da hipocrisia…