Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2016

Futebol Feminino: De que adianta a presença equipes de camisa do masculino?

Desde que começou a se falar em reformular o futebol feminino sempre colocaram como fator necessário ao crescimento da modalidade a presença dos tradicionais clubes de camisa do futebol masculino.

A ideia veio sempre acompanhada do argumento de que times de camisa atraem torcida para a modalidade e ajudam a cativar um público que pode passar a ser consumidor do futebol feminino.

Sinceramente discordo e sempre disse que a preferência deve ser dada aos clubes que já fazem futebol feminino há anos.

O QUE OS TIMES DE CAMISA TROUXERAM AO FUTEBOL FEMININO ATÉ AGORA?

Na minha opinião a única coisa que os times de camisa trouxeram para a modalidade foram suas camisas e olhe lá.

Defendo piamente que esses ditos times de camisa tenham que investir e apresentar projetos de médio a longo prazo, tanto no feminino adulto quanto em no mínimo uma categoria de base feminina.

Clubes deveriam no mínimo primeiramente disputar o seu respectivo campeonato estadual para depois ter o direito se tentar plei…

DE QUATRO EM QUATRO ANOS

De quatro em quatro anos aparecem pessoas que acreditam estar aptas a julgar e criticar o futebol feminino. São aquelas pessoas que só acompanham a modalidade nos grandes eventos. 
Quem não conhece a precariedade de estrutura do futebol feminino, o quanto meninas e país de meninas pagam de seus bolsos (mesmo sem ter) para que elas possam treinar ou fazer uma peneira acreditando que poderão ir além. Aqueles que não sabem o tamanho da dificuldade em quebrar barreiras e preconceitos da família e amigos, muito menos a dificuldade de chegar a um clube e conseguir realizar o sonho de jogar futebol, NÃO TEM DIREITO DE FALAR NADA de nossas meninas. 
Só elas sabem o quão duro foi o caminho até a disputa de um bronze olímpico! 
Ao invés de querer falar o que não sabem de futebol feminino procurem valorizar suas esposas, observar como tratam suas filhas e avaliar se estão criando filhos homens ou apenas filhos tão manés quanto vocês pais, que acham que lugar de mulher não é no esporte, na engen…

Brasil deixa equação "esporte + educação" de lado e o reflexo está no quadro de medalhas

O Brasil no momento está em 30º lugar no quadro de medalhas.
Apesar dos 7 anos de preparação do país para as Olimpíadas, desde que o país foi eleito sede em 2009, aparentemente os investimentos (se é que houveram) nos atletas não foram suficientes. 
A grande verdade é que sabemos que esporte no Brasil não é algo valorizado e não existe estrutura e investimento adequado para que se cobre qualquer coisa em relação a conquista de medalhas. Só de participar os atletas são heróis.
Para começar, muito se investiu em estrutura física, valores até absurdos que levantam claramente as dúvidas sobre superfaturamento. Acredito que um investimento adequado aos atletas, em 7 anos, geraria melhoria e alcance de um número maior de medalhas do que o que temos até o momento, mas outro foco, ainda mais importante, aqui é totalmente deixado de lado.
Fica óbvio que a deficiência do Brasil nas conquistas esportivas, não são culpas dos atletas, mas da falta de políticas públicas para o esporte no país e um…

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Investimos em estádios. Mas e o esporte na escola?

Em Outubro de 2009 o Rio de Janeiro/Brasil foi escolhida como sede dos jogos Olímpicos 2016!

De lá para cá muito se gastou em estruturas esportivas, mas quanto investimos na formação de atletas, popularização do esporte e seu desenvolvimento dentro da escola através da educação física escolar?

Acho que investimos excessivamente em estrutura, até porque estão superfaturadas, e nada foi investido em quem movimenta o espetáculo: os atletas!

O Brasil tem muito potencial, mas o esporte aqui não é visto como investimento.

Esporte na escola significa:

- redução da violência;
- diminuição da evasão escolar por tornar a escola mais atrativa;
- melhoria de notas e do aprendizado;
- promoção de saúde;
- maior interação social;
- redução de casos de bulyng;
- melhoria da disciplina e educação (que as crianças não trazem mais de casa);
- melhoria cultural, social e na expectativa de vida dos jovens;
- formação de cidadãos melhores.

Defendo essa bandeira porque acredito que educação e esporte são o futu…

MARKETING, FUTEBOL FEMININO E MULHERES NO ESPORTE

Em 2010, se não me falha a memória, tive a oportunidade de participar do meeting de responsabilidade social do Instituto Bola pra Frente (do ex lateral Jorginho, hoje treinador).
Na ocasião, junto com Ale Amaral treinador de futebol com quem trabalhava no time Cabuçu FC, durante um debate tivemos a oportunidade de questionar o diretor de marketing da Nike Brasil (o qual infelizmente não recordo o nome agora) sobre o mercado do futebol feminino e o que a Nike pensava ou pretendia sobre este mercado no Brasil.
Falamos de possibilidades, quantidade de mulheres no país segundo senso do IBGE, estimativa do número de mulheres praticantes futebol e outros esportes, a dificuldade de achar produtos femininos para a prática de esportes, entre outros pontos.
O diretor da Nike desconhecia tudo que foi dito, se mostrou extremamente surpreso com as informações e só respondeu gaguejando "não, a Nike pensa nesse mercado sim. Pensa sim... " saindo pela tangente as pressas para responder qua…

Futebol Feminino em destaque na mídia. E depois da Olimpíada?? [Desafio à Mídia]

Futebol Feminino ganhando destaque agora no youtube

Agora a polêmica e os assuntos sobre futebol feminino tem um novo espaço no YouTube!
Depois de muitos anos escrevendo aqui no blog e para o site VoaGoleiro.com, decidi fazer um canal no youtube para trazer, agora em vídeo, abordagens de questões sobre o futebol feminino e as dificuldades pertinentes à modalidade. 
Preconceito, gestão, seleção, polêmicas, novidades e muito mais.
A intenção é trazer um vídeo por semana no canal falando sobre assuntos pertinentes e sobre assuntos indicados por vocês nos comentários do youtube e também aqui do blog.
E já tem vídeo no canal!

Acesse e confira, e não esqueça de se inscrever para receber o conteúdo!

Futebol Feminino no Brasil: Quem pensa fora da caixa vira laranja podre

Já pararam para observar a quantidade de pessoas, atletas e profissionais do meio, que estão ou ficam fora de planos quando se pensa em um futebol feminino responsável e correto na busca pela profissionalização e por evolução.

A realidade é que a politicagem (política de interesses pessoais, troca de favores, amizades/Coleguismo) rege a maior parte das relações dentro do esporte.

O melhor profissional ou a melhor atleta é aquele indivíduo que se cala diante do errado, que pensa que mais importante é estar dentro de algo, errado ou não, se beneficiando daquilo de alguma forma onde as vezes há mérito, mas quase sempre associado aos interesses. E muitos questionam tudo isso até que passam a fazer parte de algo e se sujeitam para estar ali e alimentar o ego, a visibilidade ou o bolso, tornando esses fatores mais importantes do que a consciência.

Quem pensa fora da caixa, quem questiona e acredita que é possível fazer futebol feminino de uma forma diferente e alcançar evolução pelas vias …

Futebol Feminino: O que virá depois da carreira de Atleta?

Não é de hoje que venho pensando na importância do estudo e da preocupação com o durante e o depois da carreira de atleta. 
O futebol feminino no Brasil não oferece muito, mas é importante que as atletas tentem ao máximo retirar dos clubes aquilo que puderem!
Aproveitem suas carreiras e tentem cobrar de seus clubes oportunidades de estudo. Um salário mais "gordo" (se é que existe isso na modalidade) é atraente, porém mais importante que isso pode ser um salário modesto e uma bolsa de estudos para cursar uma faculdade de modo gratuito.
Parem e pensem: após a carreira de atleta, o que virá? 
Infelizmente a modalidade não lhe dá estabilidade e futuro financeiro garantido no dia em que você encostar suas chuteiras.
Claro que quem atua fora do país tem a oportunidade de ganhar um pouco mais e precisa também ter cabeça para saber investir aquilo que ganha para que se transforme em algo próprio, seu, quando chegar o dia de parar de jogar. Mas claro, que dadas as devidas proporções…

CBF mais aberta ao Futebol Feminino

Na última quarta-feira a CBF recebeu representantes do futebol feminino.

Representantes da CBF assistiram à apresentações de Ana Lúcia Gonçalves, do Valinhos FC, e Thaissan Passos, do Daminhas da Bola.

Ana Lucia falou sobre o projeto que desenvolve há mais de 20 anos na cidade de Valinhos-SP que tem foco no social até o alto rendimento.
Thaissan Passos, do projeto social Daminhas da Bola falou do seu projeto focado para meninas de 11 a 17 anos que são base da equipe sub-17 do Duque de Caxias-RJ.
Assim como declarou Thaissan na matéria no site da CBF, é bacana ver que a CBF está bem mais aberta para o futebol feminino e ouvindo o que representantes tem a falar. As pessoas do futebol feminino querem ver a modalidade crescer e nada melhor do que o interesse da CBF para incentivar ainda mais quem trabalha pelo esporte no Brasil.
O que todos esperam é que a CBF assuma com propriedade seu papel de Entidade máxima do Futebol Brasileiro e assim venha a cumprir seu papel de reguladora, foment…

FALTA BASE: Futebol Feminino e as lesões de joelho

Nos últimos 3 anos foram aproximadamente 20 casos (depois tentarei enumerar) de atletas que tiveram sérias lesões de joelho no futebol feminino brasileiro. 
Eu acredito que isso é resultado de uma série de fatores, porém entre eles, o principal acredito ser a má formação de base, que sabemos ser praticamente inexistente no país.  Meninas sem preparo chegam a equipes profissionais! O que acontece? 
Sobrecarga de trabalho em um corpo frágil que vem da ausência de trabalho adequado, alimentação ruim, dentre tantas outros detalhes que elas não tem. 
Uma menina de 15 anos muitas vezes já treina em equipe principal de muitos clubes até mesmo pela ausência de equipes de base, coisa que vem tendo certa melhora mas ainda está longe do adequado. 
Com a carga de trabalho nas equipes adultas e com um trabalho físico e avaliação não individualizado, somam-se estas "forças " ou "fatos" e o reflexo é esse: lesões e repetições de lesões graves que afetam mulher entre 20 e 35 anos…

Futebol Feminino: Falta de oportunidade e preconceito?

Recentemente recebi a ligação do meu pai. Falávamos de muitas coisas. O neto, a família, como andam as coisas, entramos no assunto futebol quando falávamos sobre o nosso “sofrido” Botafogo, até que meu pai me disse algo que não é novidade, mas me deu um estalo:
“Meu filho, eu até tentei dar a oportunidade pro futebol feminino esses dias. Estava assistindo um jogo do Brasileiro Feminino, mas não dá. Jogo tecnicamente ruins. Depois as pessoas reclamam de falta de oportunidade, preconceito ou falta de visibilidade, mas se quando vai pra TV e apresenta algo ruim, como espera que as pessoas assistam? ”.
Foi um tapa na cara que já está ficando costumeiro, porque está virando rotina ouvir coisas do gênero. Amigos meus já me questionaram com “esse é o tal futebol feminino que você defende? ”.
Sempre questiono isso que meu pai levantou. Tanta gente dentro da modalidade abre a boca para falar sobre o preconceito, machismo, falta de visibilidade, falta de espaço na mídia, entre outros, para o i…

Futebol Feminino: Clubes precisam entender que se for feito o mínimo básico, o resultado vem

Na noite de ontem, o Clube de Regatas Flamengo se tornou Campeão Brasileiro de Futebol Feminino 2016 e assim, assegura sua participação na copa Libertadores da América.
Claro que se trata de uma parceria onde a Marinha levou a camisa do Flamengo até esta posição, mas mostra que se o mínimo for feito, por qualquer clube, em um projeto de base ou projeto de equipe adulta, o resultado vem.
O título de um time fora de São Paulo e de tradição dentro do futebol masculino é sim interessante e importante para a modalidade desde que saibam aproveitar esse momento para alavancar, mesmo que um pouco, a modalidade no Rio de Janeiro e consequentemente no Brasil. E isso vale para todo e qualquer clube!
A comunidade do futebol feminino espera que o título sirva não apenas para o clube comemorar, mas para que a partir de então invista em categorias de base de futebol feminino no estado do Rio de Janeiro.
Que seja feito todo um planejamento e, com a força que a camisa rubro-negra possui, possa buscar junt…

Futebol Feminino - DEVEMOS PENSAR MAIS PROFUNDAMENTE SOBRE O PODER DA FORMAÇÃO DE BASE

É necessário que pensemos na formação da base indo muito além da formação de novas atletas. As atletas não podem ser o único foco pois há muito mais a mudar através do esporte e essas mudanças podem tornar o futebol feminino melhor e mais desenvolvido.

Ter um futebol feminino (ou qualquer outro esporte) começando a ser desenvolvido à partir dos 13 anos (ou ainda mais cedo), por exemplo, auxilia na formação/aperfeiçoamento moral e motor do atleta, mas também auxilia na formação dos profissionais do esporte e de um outro público. 
Um fato que quase ninguém leva em consideração quando falamos em formação de base, e talvez um dos principais, é a FORMAÇÃO DOS PAIS e da COMUNIDADE que vive em torno do esporte. 
Os pais precisam aprender a respeitar e compreender o tempo e a evolução dos filhos, entender melhor o trabalho dos treinadores/professores e acima de tudo aprender a respeitar o adversário da mesma maneira como deve respeitar sua filha/familiar. 
Essa formação, caso existisse em mel…

O Flamengo perdeu muito mais que apenas um jogo de futebol

O que se passa na cabeça de alguns "jogadores de futebol" ao deixarem crianças inocentes que estão esperando para realizar o sonho de entrar em campo de mãos dadas com os jogadores do time do coração de fora do gramado e entrar com toda "marra" do mundo no gramado?
As atitudes tomadas pelos jogadores do Clube de Regatas Flamengo, de quebrar o protocolo, "invadir" o gramado e fincar uma bandeira no centro do campo, a meu ver, representam uma enorme falta de respeito:  - primeiramente com todos os torcedores presentes no estádio, a torcida adversária, os jogadores adversários e as crianças que entrariam em campo e com seus pais;  - Segundo, que tomar uma atitude como esta e ainda perder um jogo onde se tinha a vantagem do empate também é vergonhoso.
O pior de tudo é que a imagem que se prejudica é da instituição Clube de Regatas Flamengo que prestou um papelão no momento em que seus jogadores executaram tal decisão.
E a imagem dos patrocinadores agora asso…

FIFA diz que 45 milhões de mulheres vão jogar futebol em 2019. E como estará o Brasil?

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) estima que em 2019, ano de Mundial feminino, que 45 milhões de mulheres e crianças do sexo feminino estejam ativamente envolvidas no jogo. 
A previsão foi informada pela diretora do desenvolvimento do futebol feminino na FIFA, Mayi Cruz Blanco, justificando que "uma das principais prioridades" é o crescimento do futebol feminino no mundo.
Mayi disse que, "uma parte crucial nas reformas da FIFA é a determinação em assegurar que cada criança e mulher tenham a oportunidade de ser participantes ativas no futebol". 
A FIFA, presidida pelo suíço Gianni Infantino, revelou também que o último ano teve um registo recorde de 130 federações a beneficiarem de programas de desenvolvimento para o futebol feminino, além da realização de 451 atividades na área. "Em 2008, apenas 22 federações tinham integrado iniciativas", acrescentou a responsável, mostrando que, comparativamente, 2015 teve um "forte crescimento" no …

O futebol feminino é muito parecido com muitas empresas.

O futebol feminino é muito parecido com muitas empresas. 
No mundo empresarial, algumas instituições prosperam enquanto outras lutam apenas para sobreviver no mundo dos negócios. Outras acabam decretando falência, fechando portas ou fazendo fusões para se manter ativas, mesmo que isso se torne um ciclo vicioso onde a sustentabilidade da empresa nunca é alcançada.

Essa é a dança do mercado onde os fortes, espertos e bem administrados prosperam e os outros são apenas os outros.



Pontos comuns em empresas que não crescem: 
- Aquele que aponta os problemas é o reativo ou o negativo da empresa e não é bem quisto; - Todo mundo sabe onde estão os problemas, mas todos fazem de conta que eles não existem, e mascaram ou inibem indicadores; - Muitos pensam que o importante não é solucionar problemas que auxiliem no crescimento da empresa e sim que, importante é estar empregado e ganhando dinheiro (mesmo que pouco)... "melhorias, progresso, isso não é um problema meu!"; - As pessoas quer…

Exemplo? Jogadoras dos EUA processam a Federação por discriminação salarial

Cinco das principais estrelas da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos estão processando a federação de futebol do país (US Soccer) por discriminação salarial, revelou o jornal The New York Times desta quinta-feira. A ação foi impetrada na comissão de igual oportunidade de emprego – a agência federal que regulamenta os direitos trabalhistas – na última quarta.

Nela, Carli Lloyd, Becky Sauerbrunn (as duas capitãs), Alex Morgan, Megan Rapinoe e Hope Solo dizem que a equipe nacional das mulheres é quem comanda financeiramente a US Soccer, mas elas recebem bem abaixo dos homens.

A seleção feminina dos EUA é “somente” três vezes campeã mundial e em quatro oportunidades medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Já a masculina…

“Nós fomos muito pacientes durante os anos com a confiança de que a federação faria a coisa certa e nos compensaria justamente”, disse Carli Lloyd, atual melhor jogadora do mundo, em um comunicado divulgado pelas jogadoras e pelo advogado Jeffrey Kessler.

A goleira H…

"Série": Escrevi no Twitter... Esporte e mais em 144 caracteres

Estou começando hoje uma "série" de textos novos que vão trazer para o blog exatamente postagens que publiquei no meu twitter naquele pequeno espaço de 144 caracteres, cheio de abreviaturas e alguns termos do internetês nosso de cada dia. 
No twitter geralmente eu faço diversos comentários sobre diversas coisas, mas a principal é sempre o futebol.  Então, se você estiver interessado, segue lá twitter.com/Edu_pontes e acompanhe e resenhe comigo por lá!
Esta "série" não terá dia fixo! Vou trazê-la de acordo com o que eu for escrevendo!
Então, acompanhem algumas das postagens de hoje:

O problema de alguns clubes brasileiros hoje é que pagam aos atletas muito mais do que boa parte merece receber pelo futebol apresentado!
Sempre disse aqui que sou a favor de uma gestão onde clubes tenham piso e teto salarial e pequenls bônus por metas alcançadas!
De que adianta ter base e não revelar atletas para o time principal. Do que adianta vender camisa e o gasto com atletas ser a…

Utilize o futebol feminino como ferramenta e não esqueça de pagar sua autonomia

O futebol feminino no Brasil ainda está muito longe de ser uma profissão e meio de vida estável e que proporciona à grande maioria que pratica a oportunidade de viver do esporte.
Porém, a modalidade, pode ser uma ferramenta para auxiliar em outras questões como por exemplo, a ponte de ligação com os estudos.
O futebol de campo não tem espaço nas escolas e grande parte das universidades, porém o futebol de salão pode ser uma possibilidade. Lembrem-se também que existe o Brasileiro Feminino Universitário e as Olimpíadas Universitárias - Universíades. Mesmo apesar de sabermos que a Universíade é um castelo de cartas marcadas, o que torna mais difícil ainda uma seleção real e meritocrática de atletas para participar das competições.
O futebol/futsal pode lhe proporcionar bolsas de estudos de até 100% em escolas e universidades brasileiras e essa é uma das coisas que você atleta deve levar em consideração e buscar: a educação através do esporte.
Existem ainda a possibilidade de jogar fora…

Futebol Feminino - Meninas do Sub-17 do Brasil se classificam para o mundial

Nesta quinta-feira (17/03) as meninas da Seleção Brasileira de Futebol Feminino sub-17 bateram a Colômbia pelo placar de 2 x 0, em jogo válido pela segunda rodada da última fase do Sul-Americano sub-17, e garantiram assim a vaga no Mundial da Jordânia que acontece entre os dias 30 de setembro e 21 de outubro de 2016.
Esta é a primeira competição feminina realizada em um país árabe.
Com o resultado alcançado as meninas do Brasil chegaram ao quadrangular final com seis pontos e liderando parcialmente o grupo. 
O próximo compromisso da Seleção Feminina será no domingo, dia 20, às 10h30, diante das anfitriãs Venezuelanas.
Boa sorte meninas e parabéns pela classificação.

Futebol Feminino - Vasco, Bangu, Karanba e mais na Taça Cidade de Nova Iguaçu 2016

Mais duas equipes confirmaram participação na Taça Cidade de Nova Iguaçu de Futebol Feminino em 2016 que terá inicio no dia 02 de abril próximo. Projeto Karanba que vai disputar nas categorias de adulto e sub 17 e o SEVEN que esta garantida no adulto.
O Projeto Karanba desde o ano de 2012 vem participando da Taça Cidade de Nova Iguaçu de Futebol Feminino disputando quatro finais, sendo uma na categoria sub 17 em 2012, e chegando nos últimos três anos consecutivos na decisão da categoria adulto (2013 a 2015).
Outras três equipes já haviam confirmado participação na competição, CR Vasco da Gama, Bangu e EC Nova Cidade.
A Liga de Desportos de Nova Iguaçu aguarda até o dia 18 de março a confirmação das equipes que manifestaram interesse em disputar a Taça Cidade em 2016 para divulgação da tabela e do regulamento que irá acontecer na próxima semana.
Matéria de:http://ldni.blogspot.com.br/

Futebol Feminino - Brasil encara Canadá em amistosos para a Olimpíada

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou que a Seleção Brasileira de Futebol Feminino realizará dois amistosos com o Canadá em preparação para os Jogos Olímpicos de 2016.
Os jogos serão nos dias 4 e 7 de junho nas cidades de Toronto e Ottawa. 
Boa sorte meninas do Brasil e que esses amistosos auxiliem na preparação rumo ao objetivo do ouro na Rio 2016.

Futebol Feminino - Meninas da sub-20 do Brasil tem adversárias definidas no Mundial

A seleção brasileira sub-20 de futebol feminino já tem seu grupo e adversários definidos no mundial da categoria.
O Mundial de Futebol Feminino sub-20 será disputado em Papua Nova-Guiné, de 13 de novembro a 13 de dezembro. Nesta quinta-feira, foram sorteados os grupos, na sede da Fifa, em Zurique. 
Brasil fará a abertura contra a seleção de Papua Nova-Guiné. 



Grupo A Papua-Nova Guiné Brasil Suécia Coreia do Norte
Grupo B Espanha Canadá Japão Nigéria 
Grupo C França Estados Unidos Gana Nova Zelândia
Grupo D Alemanha Venezuela México Coreia do Sul

Times têm dificuldades de incentivar futebol feminino

Li em matéria do jornal O EXTRA que "a exigência do incentivo financeiro ao futebol feminino para a permanência no programa de modernização da gestão e de responsabilidade fiscal do futebol, o Profut, desafia a capacidade de os clubes cariocas se adaptarem à lei".
Infelizmente não é um desafio à capacidade dos clubes cariocas não! É um desafio a capacidade de todos os clubes "de camisa" do futebol masculino do Brasil e ainda de alguns clubes tradicionais do futebol feminino.

Segundo declarou o vice-presidente das categorias infantojuvenis do Vasco "é muito caro manter uma equipe profissional feminina, e acho difícil a categoria decolar, mesmo com o Profut".

Essa é uma declaração que surpreende pois gostaria muito de entender como é "mais barato" manter nas equipes de futebol Brasil a fora jogadores com salários mensais que variam de 50 a 150 mil reais, em que estes jogadores pouco acrescentam tecnicamente a seus clubes, sem contar o que re…