Pular para o conteúdo principal

Futebol Feminino: Clubes precisam entender que se for feito o mínimo básico, o resultado vem

Na noite de ontem, o Clube de Regatas Flamengo se tornou Campeão Brasileiro de Futebol Feminino 2016 e assim, assegura sua participação na copa Libertadores da América.

Claro que se trata de uma parceria onde a Marinha levou a camisa do Flamengo até esta posição, mas mostra que se o mínimo for feito, por qualquer clube, em um projeto de base ou projeto de equipe adulta, o resultado vem.

O título de um time fora de São Paulo e de tradição dentro do futebol masculino é sim interessante e importante para a modalidade desde que saibam aproveitar esse momento para alavancar, mesmo que um pouco, a modalidade no Rio de Janeiro e consequentemente no Brasil. E isso vale para todo e qualquer clube!

A comunidade do futebol feminino espera que o título sirva não apenas para o clube comemorar, mas para que a partir de então invista em categorias de base de futebol feminino no estado do Rio de Janeiro.

Que seja feito todo um planejamento e, com a força que a camisa rubro-negra possui, possa buscar junto a outros clubes como Vasco da Gama, Botafogo de Futebol e Regatas, Fluminense Football Club e tantos outros a possibilidade de trabalhar idéias junto à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro - Ferj e também de cobrar soluções para o que acham ser um problema. 

Os clubes do RJ e de outros estados, unidos, sejam de camisa ou não, já apresentaram juntos questionamentos e idéias à CBF?

Não basta ter time principal e disputar título, é necessário investir na formação de base! Essa é a engrenagem que fará o restante começar a se mover.

Passou da hora dos clubes, se querem mesmo fazer algo pelo feminino, se unirem e brigarem pelo esporte, por competições estaduais melhores, por profissionalismo dentro e fora de seus clubes e muito mais.

Os clubes femininos, se tiverem o esporte bem trabalhado, podem alcançar lugares que o futebol masculino não vai alcançar ou demorará muito para chegar! O masculino chega a competições onde fica pelo meio do caminho. No feminino eles tem a chance de voltarem com o título e dar expressão internacional à sua marca!

É comum ouvir frases como "Ah, mas futebol feminino não dá dinheiro"! Não dá dinheiro porque ninguém se preocupa em tornar a modalidade um produto rentável! É como abrir uma loja sem ter material pra vender, sem ter se planejado... o resultado será de DESPESA e sem retorno nenhum!

O futebol feminino é um produto de muito potencial e que precisa ser trabalhado para dar o retorno que os próprios clubes e dirigentes, muitas vezes por pouca visão e machismo, tanto utilizam como desculpa para não ter a modalidade!

Para o feminino render, financeiramente falando, e crescer no seu clube, clube/dirigentes precisam planejar, investir, trabalhar para ter o retorno. É igualzinho como acontece no masculino, porém hoje as cifras $ entre masculino e feminino são bem diferentes!

Se dentro da modalidade clubes e dirigentes forem mais unidos e inteligentes, a modalidade agradece, as atletas se dão bem, os clubes começam a se beneficiar e todo mundo sai feliz!

É difícil? Sim! 
É trabalhoso? Muito!
E os clubes que chegam que tanto reclamam das dificuldades? É porque ainda fazem muita coisa errada dentro de suas gestões e planejamentos e cada dirigente sabe bem do que eu estou falando aqui! Já vi clube saber que ia perder patrocinador 8 meses antes de acontecer e não fazer nada e depois ficar devendo atleta porque perdeu investidor! Então né...

Mas como de costume, é a minha opinião... só acho!

Comentários