Pular para o conteúdo principal

Futebol Feminino é muito ruim

É muito comum ouvirmos:
Que as goleiras nem sabem sair na bola!
Que as meninas erram demais!
Que só dão bicuda!
Que deveriam estar lavando louça, arrumando a casa ou brincando de bonecas!

O que os muitos homens e até mulheres que falam esse tipo de coisa são incapazes de raciocinar é que toda essa dificuldade tem diversos motivos.

As mulheres são, por inúmeras vezes, privadas de brincar livremente no meio dos meninos ou de realizar brincadeiras consideradas "masculinas" e isso prejudica sim seu desenvolvimento motor.

Não existem brincadeiras mais masculinas ou femininas. Para crianças existem apenas brincadeiras que ajudam com que meninos e meninas desenvolvam e descubram melhor seu corpo, aperfeiçoando métodos de corrida, movimentações e giros para ambos os lados, impulsão, equilíbrio, força, explosão, frenagem e mudança de direção, entre tantas outras coisas.

Enquanto aos 7 anos meninos estão na quadra, na rua ou no campo de bola brincando dos mais variados piques as meninas ainda estão sendo proibidas de brincar de "coisas de homem", ganhando bonecas, jogo de cozinha de brinquedo, aprendendo a cozinhar, varrer a casa e tirar o pó.

Muitas meninas só começam a brincar e jogar aos 12, 13 anos e isso tira delas anos de desenvolvimento,aprendizado e ajustes de suas capacidades motoras.

Logo é extremamente natural que meninas de 14 anos tenham muitas deficiências em relação a meninos da mesma idade

Em teoria e na "conta de padeiro" as meninas tem cerca de 5 a 7 anos de prejuízo no seu desenvolvimento em relação aos meninos da mesma idade.

E aí você que enche a boca pra falar que futebol feminino é ruim, em momento algum para pra pensar que no país onde a mulher busca ainda condições iguais no mercado de trabalho e o respeito e direito de andar nas ruas sem receber cantadas, julgada por como se veste ou pela maquiagem que usa, também faltam escolinhas e professores capazes e dispostos a trabalhar duro e pacientemente para corrigir e refinar gestos motores de meninas que tem boa parte da infância e desenvolvimento motor perdidos porque MENINAS NÃO PODEM BRINCAR OU SE MISTURAR COM MENINOS, JOGAR FUTEBOL OU PIQUES PORQUE PODE VIRAR MACHO OU PUTA.

Você que abre a boca para criticar o futebol feminino não tem a capacidade nem o conhecimento para poder afirmar que o jogo é ruim por A, B ou X coisa.

Muitos times modestos encontram em meninas de 16 anos e com desenvolvimento motor atrasado por construções culturais que tentam dizer o que a mulher pode e deve, ou não, fazer, suas atletas.

Com trabalhos feitos de forma amadora, muitas vezes totalmente no amor e dedicação não remunerada pegam essas meninas e vão disputar estaduais ou competições nacionais adultas com meninas que dividem a vida de aspirante a jogadora de futebol entre os cuidados da casa, dos irmãos e do trabalho.

E aí você vem querer dizer que meninas que se esforçam e lutam contra toda uma sociedade e cultura são ruins porque querem?

Não falem e julguem sem saber.

Claro que algumas meninas, ou melhor, algumas mulheres de clubes "de melhor estrutura" e que já caminham há algum tempo dentro da modalidade erram muito e essas devem ser cobradas porque já deveriam ser capazes de identificar e corrigir seus erros que estão se tornando tão comuns sejam eles técnicos ou táticos.

Claro que devemos cobrar os profissionais de clubes maiores e que já trabalham dentro do futebol feminino há bons e longos anos que façam um trabalho melhor, cobrem mais e tirem dessas atletas o melhor que elas podem oferecer todo dia.

Mas mesmo assim, releve mais e analise mais todo o contexto.

Afinal, em uma sociedade onde a mulher ainda briga por respeito e por direitos é inevitável que a mulher no esporte ainda sofra com muitas coisas e precise lutar muito para também ter respeito dentro das 4 linhas, EM TODO E QUALQUER ESPORTE.

E isso aqui poderia ser apenas a introdução de um livro recheado de capítulos longos para tentar descrever o que é ser mulher e tentar viver do esporte no país do futebol dos homens.

Comentários