Pular para o conteúdo principal

Marta se torna maior atleta da história do futebol, mas título não significa nada no Brasil

O autor por trás do blog

Olá! Bem vindo ao EduPontes.com!

Se você chegou até aqui provavelmente tem alguns questionamentos e gostaria de saber um pouco mais sobre o autor por trás do conteúdo deste blog que fala tanto sobre futebol feminino.

Por este motivo trago aqui pra você um pouco mais sobre mim e sobre o EduPontes.com!


Quem é o Edu Pontes? 

Eu me chamo Eduardo Pontes. Sou Natural do Rio de Janeiro, mas vivo em Curitiba-PR, desde 2015. Nasci dia 05/12/1984.
Sou casado, pai e amo esportes, e-sports, games, música, violão, filmes e estar com família e amigos.
Escrever é algo muito natural então faço textos as vezes dentro do ônibus, na rua ou em qualquer momento e lugar onde a inspiração apareça e o conteúdo flua.

Qual a minha formação?

Eu sou estudante de Marketing e atualmente estudo no Centro Universitário Internacional  - UNINTER. 

Tenho curso de Graduação Executiva (especialização) em Gestão Aplicada ao Esporte pela Trevisan-RJ concluído em 2011, além de cursos de Marketing Esportivo por João Henrique Areias (JHA) e Balance Score Card - metodologia de medição e gestão de desempenho pela fundação Getúlio Vargas (FGV).

Qual o objetivo do meu blog?

Inicialmente o blog foi criado com o objetivo de escrever sobre algo que eu gostava que era o esporte que logo foquei no Futebol Feminino. Logo vi que, diferentemente de muitos outros canais, não gostava de escrever sobre resultados de partidas ou suas análises de jogos e sim de falar sobre questões pertinentes à gestão e marketing esportivo que interferem diretamente no esporte como produto final (o jogo) e a forma como a modalidade é vista, que tanto tem interferências e influências das questões da gestão e marketing, como das questões sociais, culturais, educacionais e de gênero.

Experiências?

Além de produzir conteúdo para o blog desde 2009 para o blog, tive algumas experiências ao longo destes anos, algumas longas, outras bem curtas, mas que ajudaram no ganho e conhecimento e crescimento até aqui. São elas: 
  • Auxiliar Operacional Voluntário - Telemar Rio de Janeiro Basquetebol - 2004/2007
  • Supervisor de Futsal Masculino e Feminino - UniverCidade RJ 2010/2011
  • Coordenador de Futebol Feminino Cabuçu F.C. RJ - 2010/2011
  • Cobertura da Seleção Brasileira de Futebol Feminino Militar - Jogos Mundiais Militares RJ- 2011
  • Colunista de Futebol Feminino - VoaGoleiro.com - 2011/2017
  • Coordenador de Futebol - XV de Piracicaba SP - 2012
  • Comentarista - Final Torneio Interacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino - Radio Premium Esportes SP - 2012
  • Colaborador Grupo de Trabalho de Desenvolvimento de Futebol Feminino - Ministério do Esporte - 2012/2015
  • Debate - Encontro de gerações em prol das Olimpíadas - Futebol Feminino - Museu do Futebol SP - 2014
  • Gerenciamento de Redes Sociais - Atleta Isabela Vieira - 2012/2015
  • Gerenciamento de Redes Sociais - Atleta Monique Somose - 2015/2016
  • Gerenciamento de Redes Sociais - Atleta Mary Person - 2013/2018
  • Consultorias - Análises de propostas de contrato de atletas e desenvolvimento de projetos para alguns times femininos

Vive do blog e do futebol feminino? 

Não! A produção de conteúdo acontece de forma voluntária. O blog não possui patrocinadores e não gera renda. 
Se para atletas é muito difícil viver de futebol feminino no Brasil, para produtores de conteúdo e mídias independentes se torna ainda mais difícil. Dessa forma concilio minha atividade profissional e a vida pessoal com a produção de conteúdo, o que não é fácil pois o dia tem apenas 24 horas! (risos)
Também por esse motivo acabei reduzindo o tempo de dedicação ao futebol feminino e ao blog que já chegou a ser de 4 a 16 horas diárias!

Qual minha atividade profissional?

Eu atuo no ramo de Telecomunicações, área na qual me formei no ensino médio técnico. Já trabalhei em empresas nacionais e multinacionais como OI, NOKIA, CLARO, SEICOM e EZENTIS. Hoje atuo como Líder de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações.

Sonhos?

Um dos principais sonhos é ter uma vida mais estabilizada e poder melhor suprir minha família.

Sonho em ver o futebol feminino ser realmente tratado com respeito e gerido de forma profissional. Acredito que a modalidade é um grande produto e que só precisa ser melhor trabalhado, receber mais investimento de tempo e dinheiro, desde que com pessoas sérias nos lugares certos.

Sonho também com o dia em que mulheres possam viver do esporte com dignidade. Que meninas possam não apenas sonhar, mas realizar o sonho de se tornar jogadora profissional de futebol com uma modalidade difundida no país, organizada e forte, com competições e clubes mais estruturados.

E claro, sonho em trabalhar com marketing e esporte! 

Então amigos, é isso! E caso queiram saber um pouco mais, basta deixar aqui um comentário ou entrar em contato através do e-mail eduardopontes@edupontes.com.

Obrigado pela atenção e volte sempre!

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol feminino parou, mais uma vez, o país do futebol masculino

Sexta-feira, dia 12 de agosto de 2016. 
Às 22 horas, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino entraria em campo já sabendo que as seleções de França e EUA foram eliminadas por equipes consideradas azarões.
O Brasil, começou a tarde desta sexta sabendo que, caso passasse da seleção da Austrália, encararia o vencedor de EUA x Suécia. Logo, saber que a seleção americana havia sido eliminada e não teria a chance de ser nosso algoz nas semifinais já era um peso a menos nas costas de nossas atletas.
Iniciado às 22 horas, o jogo contra a Austrália foi uma mistura de tensão e responsabilidade, fatores que aparentemente pesaram muito e que geraram um nervosismo a cada minuto que se passava e a bola não entrava para que o placar ficasse à nosso favor.
No tempo normal, nada de gols. Então que venha a prorrogação!
Ela veio, com mais nervosismo e tensão ainda. Vale destacar que precisamos clonar a Formiga, pois essa jogadora é fora de série e ninguém joga como ela.
O jogo foi rolando, brasileiros…

Tabu ALTURA - Preconceito com goleiros e goleiras ou falta de visão?

Um tema tem sido frequentemente abordado no futebol, tanto no masculino quanto no feminino: Estatura dos goleiros.
Tem sido uma prática comum clubes dispensarem ou não darem a devida atenção a goleiros e goleiras considerados "baixos" para a posição sem que ao menos sejam analisadas algumas características que muitos destes possuem, mas que precisam ser trabalhadas. Um goleiro de 16 anos e 1,79m é considerado pequeno, assim como uma goleira que tem 18 anos e 1,70m por exemplo! E isso acontece com atletas de menor idade, como exigências de clubes de que goleiros devem ter 1,80m ou 1,90m com 13 anos!

E qual seria o problema: 
Preguiça associada a busca de um jogador ou jogadora prontos para o clube ganhar dinheiro "sem ter trabalho"? 
Ou a intromissão de cartolas que mal entendem sobre futebol e estão preocupados apenas com seus bolsos e seguem assim padrões de escolas internacionais, e por pouca inteligência neste quesito, perdem profissionais (goleiros e goleiras) q…

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

Pra chegar onde ninguém chegou é preciso fazer coisas que ninguém fez!

É preciso acreditar em você em seu sonho! É necessário ter foco!
O que diferencia o vencedor do perdedor é que o vencedor decidiu seguir em frente mesmo quando a vida lhe bateu com força e pareceu até lhe faltar chão. O vencedor caiu e levantou quantas vezes foi necessário e acreditou no seu potencial mesmo quando ninguém acreditava em seus objetivos.
É preciso saber onde se quer chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. 
O caminho não é fácil! A trajetória é cheia de obstáculos, mas é preciso seguir em frente, fazer ajustes no seu planejamento de como chegar até lá, mas nunca mudar seu foco. 
Eu sei o que quero, sei onde quero chegar e sei o que preciso fazer pra alcançar meus sonhos. 
As vezes é preciso estar acordado enquanto os demais dormem, é estar em casa estudando, indo a eventos e se atualizando enquanto muitos estão em festas e curtindo o fim de semana. É preciso abrir mão de muitas coisas para i…